quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

SOL, MERCÚRIO, VÊNUS E LUA EM JANEIRO E MARTE, JÚPITER, SATURNO, URANO E NETUNO AO LONGO DO ANO!


Caro Amigo das Estrelas, Caminhante do Céu e da Terra:

Eu sou absolutamente apaixonada pela visão do céu estrelado a olho nú e convido você a também me acompanhar nesta viagem estelar. 

Moro no Sítio das Estrelas, Latitude 22s52 e Longitude 43w00 e, portanto, meus textos apresentam a visão que tenho do céu a partir desse ponto no Planeta Terra. 

Venho realizando meu Projeto de descrição de As 88 Constelações: Da Terra ao Céu e ao Infinito -, onde apresento os Mitos, as Informações Interessantes, as Estrelas, as Nebulosas, os Aglomerados, as Galáxias, os Aglomerados de Galáxias acolhidos por estes asterismos estelares que circundam a nós e ao nosso Planeta Terra, nossa Mãe-Gaia.  Você poderá encontrar as descrições das constelações da Virgem e da Lira acessando http://sobrevirgo.blogspot.com e http://sobrelyra.blogspot.com. As próximas constelações a serem descritas serão a Ursa Maior e a Ursa Menor. Aguarde!

Boa Observação e Bons Estudos!

Com um abraço estrelado,
Janine Milward

Temas Apresentados nesta Edição:

Alguns Eventos Interessantes no Céu do Mês de Janeiro
e Previsão dos Eclipses Solares e Lunares do Ano e Trânsito de Vênus

O Aparente Andamento do Sol em Janeiro de 2012

Planetas, os Deuses estão no Céu
O Andamento Aparente de Mercúrio e Vênus em Janeiro e Síntese do Andamento Aparente de Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno ao longo do ano de 2012

  O Aparente Caminho da Lua ao longo do Mês de Janeiro de 2012:
 Olhe para o céu e aproveite para saber um tantinho mais sobre os Mitos que acolhem as Treze Constelações que fazem parte do Zodíaco, o anel de estrelas formando constelações que emolduram o Caminho da Eclíptica



ALGUNS EVENTOS INTERESSANTES NO CÉU DO MÊS DE JANEIRO
 E
PREVISÃO DOS ECLIPSES SOLARES E LUNARES E TRÂNSITO DE VÊNUS
AO LONGO DO ANO DE 2012:


JANEIRO:

LUA Crescente - dia 1, na constelação dos Peixes

DIA 02: Apogeu da LUA, ou seja, distância máxima entre a LUA e a Terra (400 mil quilômetros).

DIA 04: Momento máximo da Chuva de Meteoros denominada de Quadratídeas, na constelação do Boieiro:

Um dos mitos sobre o Boieiro nos diz que este  é Arcas, cuja mãe Callisto foi transformada por Juno em um urso, que no céu é representado pela Ursa Maior .  Enquanto caçava, Arcas aproximou-se de sua mãe e, sem saber que esta havia se transformado em ursa, perseguiu-a até o templo de Júpiter onde a matou e mais tarde, foi ele mesmo morto pelos guardiões do templo.  Júpiter apiedado de tal situação, levou mãe e filho para os céus, através as constelações do Boieiro e da Ursa Maior.
O Boieiro - Ascensão Reta 13h33m / 15h47m  -  Declinação +7o 6’ / +55o 2’ - é uma das mais antigas constelações e foi mencionada em A Odisséia de Ulisses.  Bootes situa-se entre as constelações Coma Berenices, Virgo, Serpens, Corona Borealis, Hercules, Draco, Ursa Major, Canes Venatici.
Principal Estrela:  ARCTURUS.  Alpha Bootis. 
Ascensão Reta 14h 14,8 - Declinação +19o 17’. Magnitude visual 0,24 - Distância 36 anos-luz. Uma estrela amarelo dourada, situada no joelho esquerdo do Boieiro.  De Arktouros, o Guarda da Ursa.  Também conhecida como O Caçador à espera da Ursa.

Ascensão Reta 230o. e Declinação 50do radiante em seu momento máximo de Chuva de Meteoros.  Com o radiante no zênite e em condições ideais de observação, poderão ser vistos cerca de 120 meteoros por hora. 

A LUA se apresentará em seu momento entre Crescente e Cheia e assim, estará permitindo uma melhor observação já na madrugada após as duas da matina, depois de Selene se deitar no horizonte oeste, certamente.

DIA 05: Periélio da Terra, ou seja, a menor distância entre a Terra e o SOL (147.1 milhões de quilômetros).

LUA Cheia - dia 9, na constelação dos Gêmeos
LUA Minguante - dia 16, na constelação da Virgem
Dia 17: Perigeu da LUA, ou seja, mínima distância entre a LUA e a Terra (360 mil quilômetros).
LUA Nova - dia 23, na constelação do Capricórnio
Dia 30: Apogeu da LUA, máxima distância entre a LUA e a Terra (400 mil quilômetros)
LUA Crescente - dia 31, na constelação de Áries

Chuva de Meteoros e Apogeu e Perigeu da LUA e Perihélio são Datas calculadas pelos astrônomos da NASA Fred Espenak e Sumit Dutta (NASA GSFC).


Eclipse Anular do SOL em 20 de Maio - não visível para o Brasil
Eclipse Parcial da LUA em 04 de Junho - pouco visível para o Brasil
Trânsito de VÊNUS em 05/06 de Junho - não visível para o Brasil
Eclipse Total do SOL em 13 de Novembro - não visível para o Brasil
Eclipse penumbral da LUA em 28 de Novembro - visível para o Brasil

Informações extraídas de http://eclipse.gsfc.nasa.gov/eclipse.html
All eclipse calculations are by Fred Espenak, and he assumes full responsibility for their accuracy. Permission is freely granted to reproduce this data when accompanied by an acknowledgment:


O APARENTE ANDAMENTO DO SOL EM JANEIRO DE 2012:

Os dias concluidores do ano anterior nos trouxeram o Ponto do Solstício de Dezembro (Verão para o Hemisfério Sul e Inverno para o Hemisfério Norte - embora que, astronomicamente, possamos dizer que este Ponto significa o Apogeu destas Estações e não o começo das mesmas), lugar de aparente andamento máximo do Sol em direção ao Sul, o Trópico de Capricórnio. 

Analemma  -  Fotografias do sol realizadas pelo astrofotógrafo Frank Zullo entre 9 de setembro de 1990 e 23 de agosto de 1991.  Foram feitas 37 exposições do sol em um único filme de 36 fotos, todas as fotos tiradas exatamente as 08:00 da manhã MST, mean solar timeFoi usada uma técnica simples de dupla exposição sobre o dial de um relógio de sol.
Foto publicada na Revista Astronomy,  edição de dezembro de 1997, sob o título “First Views: Old Sol Celebrates the Solstice” dentro da seção “The Sky Show”.  Kalmbach Publishing Co., U. S. A.

Daquele momento em diante, o SOL parece retornar em seu caminho rumo ao Ponto Vernal, o Equinócio da Primavera e depois, em seu caminho rumo ao Ponto do Solstício Norte, o Trópico de Câncer.  Para os moradores (assim como eu) próximos à Latitude 23 Sul, no momento exato do zênite solar não existe sombra alongada e sim apenas a sombra diretamente oposta ao objeto - quando do momento do Solstício do nosso Verão.
Os primeiros dias do ano nos traz o tempo do Perihélio, quando a Terra e o SOL encontram-se em sua menor distância um em relação ao outro.

O SOL começa o mês de Janeiro passando bastante próximo à estrela Nunki, do Sagitário, tendo a belíssima Coroa Austral ao sul. Esse é um lugar muito bonito do céu porque fica sempre recheado de estrelas, formando mesmo nuvens esbranquiçadas, como se fossem leite derramado.... é a Via Láctea sendo cruzada por nosso astro-rei, nossa estrela mais próxima desde a segunda quinzena de dezembro até o dia 10 de janeiro.
Daí em diante, o SOL aponta seu andamento em direção à constelação do Capricórnio onde visitará as três estrelinhas bem visíveis da entrada um pouquinho depois do dia 25.
O SOL termina o mês de janeiro já bem centralizado em Capricórnio. 



PLANETAS, OS DEUSES ESTÃO NO CÉU
O Andamento Aparente de MERCÚRIO e VÊNUS em Janeiro
Síntese do Andamento Aparente de MARTE, JÚPITER, SATURNO, URANO e NETUNO ao longo do ano de 2012


MERCÚRIO encontra-se bem distanciado do SOL, surgindo nas altas madrugadas como se estivesse anunciando a chegada da luz solar.  Sendo assim, é bom que o observemos este Planeta Mensageiro dos deuses e dos homens, seja acordando muitíssimo cedo, ainda antes do canto inicial do galo, ou seja retornando de alguma festa interessante! À medida que o mês de Janeiro vai acontecendo, a distância entre MERCÚRIO e SOL vai diminuindo, diminuindo..., até que não mais possamos usufruir desse grande prazer de observar este Planeta a olho nu.

MERCÚRIO começa o ano passeando pela constelação do Escorpião - mais propriamente dizendo, pela constelação do Ophiucus, o Serpentário. Quando o Zodíaco foi originalmente nomeado, a Eclíptica não passava pelo Ofiúco, de forma que esta constelação não foi incluída.  Hoje em dia, sim, em função da Precessão,  Ofiúco recebe a passagem da linha da Eclíptica e o Sol passa um bom tempo aqui depois de ter adentrado a Cabeça do Escorpião e passado ao largo de sua estrela Alpha, Antares.  Por volta do dia 10 de janeiro, MERCÚRIO já terá deixado as imediações do ponto que leva para o centro da Galáxia - entre Escorpião e Sagitário - e estará ingressando em Sagitário, o Bule de Chá, por onde caminhará até os dias concluidores do mês de Janeiro, ingressando, então, em Capricórnio, onde estará se encontrando com o Sol, já nos primeiros dias de Fevereiro e distante de nossos olhos, certamente.

A LUA final de ciclo e já buscando tornar-se LUA Nova, encontra-se com MERCÚRIO na madrugada do dia 22.



VÊNUS começa o ano passeando ao miolo da constelação do Capricórnio e vai cumprindo com este andamento capricorniano até a metade de Janeiro quando mergulha nas estrelinhas marolantes da constelação do Aquário.  Sendo assim, ao final da tarde e começo da noite, à noitinha, não perca a visão imperdível do Planeta VÊNUS, a Bela da Tarde, galgando o horizonte oeste após o poente do Sol.  VÊNUS permanecerá brilhando e iluminando os céus do começo da noite ainda durante os meses de fevereiro, março e abril e somente no miolo do mês de maio voltará a engrenar seu movimento de marcha-a-ré para encontrar-se com o Sol em 5/6 de junho. Sendo assim, ao acompanharmos o aparente andamento de VÊNUS ao longo das constelações do Aquário, dos Peixes, de Áries e de Touro, poderemos observar as estrelas mais proeminentes destas constelações bem como as constelações vicinais e suas estrelas, que vão, vagarosamente, se despedindo dos céus estrelados noturnos, caindo no horizonte oeste e desaparecendo de nossa visão...  Acessando http://oceudomes.blogspot.com, você encontrará minha descrição dos céus estrelados ao longo do nosso Verão e de nossa Primavera do hemisfério sul em meu texto sobre Um Passeio pelo Céu Noturno do Sítio das Estrelas: Breve Roteiro de Viagem Celeste para as Quatro Estações do Ano..

O cair da noite do dia 25 de janeiro nos brindará com a belíssima visão da LUA (recém Nova e se revelando em novo ciclo) em conjunção a VÊNUS, em horizonte oeste baixo.  Um tantinho mais acima, JÚPITER estará testemunhando esse maravilhoso encontro.



MARTE começa o ano passeando com sua luz vermelha pela constelação do Leão e próximo à Estrela Denebola e na madrugada do dia 13 de Janeiro poderemos observar a Conjunção entre LUA e MARTE, sempre um espetáculo interessante pois que nos apresenta a luz branca da LUA em contraposição com a luz amarelada-avermelhada do Deus da Guerra.

(DENEBOLA:  Beta Leonis, Ascensão Reta 11h 48,0m - Declinação + 14o 41’
Magnitude visual 2,23 - Distância 43 anos-luz.
Uma estrela azulada na cauda do Leão.  De Al Dhanab al Asad, a Cauda do Leão).
 
O caminhar do Planeta MARTE estará sendo realizado de maneira bem vagarosa ao longo do mes de Janeiro em função do fato de que no dia 23, o Planeta Vermelho estará engrenando sua marcha-a-ré, ou seja, aparentemente estará se movimentando para trás.  Nessa forma aparente de movimentação, MARTE estará se apresentando aos nossos olhos sempre retornando seu caminho dentro da constelação do Leão até finalmente encontrar-se com a Estrela Alpha, Regulus, já na metade do mes de abril e ali recuperando sua movimentação direta, para frente. Regulus  era uma estrela real e  guardiã do norte - juntamente com Fomalhaut (Alpha Pisces Minor), Aldebaran (Alpha Tauri) e Antares (Alpha Scorpii), consideradas todas estrelas reais do céu dos persas, na antiguidade.  Em virtude de um engano de Ptolomeu, que a nomeou de Pequeno Rei, hoje conhecemos esta estrela como Regulus.  Por se situar extremamente próxima à linha da Eclíptica, podemos sempre apreciar a LUA e os Planetas visíveis passando bem grudados à Regulus.

MARTE entra em cena nos céus estrelados do mes de janeiro por volta das 23 horas, podendo, portanto, ser observado ao longo da noite e nos trazendo a boa oportunidade de bem estudarmos a constelação do Leão  as constelações e suas estrelas nas vizinhanças.

Nesse vai-e-vem na constelação do Leão, MARTE gastará meio ano, sem dúvida alguma.  No entanto, quando MARTE ingressar em Virgem, em começo de Julho, deverá realizar essa passagem bem rapidamente, encontrando-se com Spica, Alpha Virgo, no miolo do mês de agosto e já se voltando para pesar-se nos dois pratos da Balança a partir do final de Agosto, encontrando-se com Alpha Librae, Zubenelgenubi, por volta de 10 de Setembro e com Beta Librae, Zubenelschemali, por volta de 23 de Setembro.  Nos primeiros dias do mês de Outubro, MARTE estará adentrando a Cabeça do Escorpião, fazendo sua Conjunção com sua estrela-rival, Antares, Alpha Scorpii, por volta de 19 de Outubro e a partir de então, mergulhar nos braços do Serpentário, Ophiucus, para fazer o direcionamento de seu caminho em direção ao Sagitário por volta de 20 de novembro.  O ano termina com MARTE aos pés do Capricórnio.



JÚPITER inicia o ano de 2012 com uma bela Conjunção com a LUA, na noite do dia 02 (e novamente este encontro acontecerá bem ao final do mês de Janeiro, no dia 30) e o Deus dos Deuses situa-se nas proximidades da fronteira da constelação dos Peixes com a constelação de Áries, já tendo ultrapassado o Ponto Vernal, o Equinócio da Primavera, entrecruzamento das Linhas da Eclíptica e do Equador Celeste desde o mês de maio de 2011 e andado bem rapidamente, encontrando-se com as estrelas Alpha e Beta da constelação de Áries, Hamal e Sheratan, atuando seu movimento de marcha-a-ré a partir de agosto passado e retomando seu movimento direto ao final do ano que recém findou.

HAMAL. Alpha Arietis. Ascensão Reta 02h06,1 - Declinação +23o 22 Magnitude visual aparente 2,23 - Distância 76 anos-luz. Uma estrela amarelada situada na testa do Carneiro. De al Hamal, a Cabra também a Ovelha. Simbolicamente chamada de Ferida Mortal.

SHERATAN - Beta Arietis. Magnitude visual 2.7 - Distância 52 anos-luz.
A Pérola Branca. Uma estrela branco perolado situada no chifre do Carneiro e chamada normalmente por Chifre ao Norte.

JÚPITER parece feliz da vida, todo sempre brilhante e esfuziante dentro dos céus estrelados da noite e bem visível aos nossos olhos fascinados pelo deus dos deuses!  A verdade é que a partir de agora JÚPITER tem gana de vivenciar a constelação de Áries de maneira bem rápida de forma que possa vir a encontrar-se com as irmãs chorosas, as Pleiades, em começo de junho de 2012 e encontrar-se com a belíssima Aldebarã, o Olho Iluminado do Touro, em final de julho de 2012.  Dessa forma, podemos verificar que JÚPITER estará adentrando os campos onde o Touro pasta já a partir de junho.  Em outubro, JÚPITER entrará em seu movimento de marcha-a-ré, novamente encontrando-se com Aldebarã em final de dezembro de 2012.  A bem da verdade, com a entrada de JÚPITER em Touro, poderemos ter a imensa oportunidade de bem estudarmos dois Aglomerados Abertos que efetivamente cativam nossos olhos: as Pleiades e as Hyades.  E também veremos que JÚPITER estará mergulhando em lugares dos céus estrelados que acolhem a belíssima Via Láctea!



Pleiades (à esquerda) e Hyades, com Aldebaran apresentando-se como a estrela mais proeminente e avermelhada - foto extraída da Internet sem que eu tivesse transcrito a autoria e o crédito, infelizmente.

Leia mais informações sobre os Aglomerados das Pleiades e das Hyades (nesse último, mora Aldebaran, Alpha Tauri):

ALDEBARAN.  Alpha Tauri.  Ascensão Reta 04h34,8m - Declinação +16o 28’. Magnitude visual 1,06 - Distância 68 anos-luz. Uma estrela gigante alaranjada marcando o olho esquerdo e sul do Touro.  Seu nome advém de Al Dabaran, Aquela que Segue. Aquela que vem antes da Estrela da Água, isto é, das Pleiades.

AGLOMERADO ABERTO TAURUS - HYADES - Magnitude fotográfica global 0,8    Distância kpc 0,040. Diâmetro 400’   Tipo Espectral A2. Hyades - Aglomerado em movimento: Grupo de mais de 200 estrelas que circundam Aldebarã e que se deslocam todas para um mesmo ponto do céu, próximo a Betelgeuse, a estrela-alpha de Órion.  Estas estrelas são um aglomerado aberto e seu desenho forma a cabeça do Touro.  Todas as estrelas encontram-se em movimento em conjunto e por esta razão as Hyades são chamadas de Aglomerado em Movimento do Touro.  A estrela Alpha Tauri, Aldebarã, gigante alaranjada, adorna as Hyades como se fosse uma gema brilhante porém não é membro desse aglomerado por se situar cerca da metade do caminho entre o centro das Hyades e nosso Sol.

AGLOMERADO ABERTO - PLEIADES. Ascensão Reta 03h45m    Declinação +24o.04. Magnitude fotográfica global 1,6   Distância kpc 0,125. Diâmetro  120’  Tipo Espectral B6. Distância: cerca de 350 anos-luz.  Aglomerado de mais de 400 estrelas em uma área de um grau de diâmetro e facilmente visível a olho nu.

O começo de dezembro de 2012 será um momento estupendo para você fotografar o Deus dos Deuses, JÚPITER, em seu momento de Oposição ao Sol, momento ímpar para você realizar belíssimas fotos deste Planeta grandiosamente exuberante!



SATURNO começa o ano passeando querendo, aparentemente, concluir sua passagem pela constelação da Virgem.... Ledo engano: em começo de Fevereiro, SATURNO ingressará em seu movimento de marcha-a-ré (e por esta razão vem caminhando ainda mais lentamente do que seu costume).  Na madrugada alta do dia 17 de Janeiro, poderemos observar a Conjunção entre LUA e SATURNO, ambos muito próximos à estrela Alpha Virgo, a belíssima Spica!

Sendo assim, ainda teremos a oportunidade ímpar de observarmos a belíssima conjunção entre SATURNO e a estrela Spica, Alpha Virgo, durante o mês de Maio e ainda durante os primeiros dias do mês de Junho, quando o Senhor do Tempo deverá retomar seu movimento direto ao final de Junho, sempre bem conjugado à Spica, realmente!   SATURNO somente se desgarrará da proximidade com a estrela Alpha Virgo já para a metade em diante do mês de Agosto.  

Sem dúvida alguma, 2012 será um ano voltado para bem podermos nos deliciar com a maravilhosa visão de SATURNO sempre bem próximo à Spica.

SPICA.  Alpha Virginis.  Ascensão Reta 13h 24,1m  Declinação -11o 03’.
Magnitude visual 1,21 - Distância 220 anos-luz.
Uma estrela binária branco brilhante no ramo de trigo  que a Virgem carrega em sua mão voltada para o sul. Freqüentemente chamada de Arista (nome também usado para designar esta constelação) e também conhecida como Azimech


Eu penso, portanto, que seria muito interessante se pudermos bem estudar sobre a constelação da Virgem, a maior em extensão na Linha das constelações do Zodíaco: em Virgem, existem estrelas simpáticas a serem estudadas juntamente com as constelações e suas estrelas nas vicinitudes; existem aglomerados tantos, galáxias e mais galáxias e mais galáxias!  Se você quiser saber sobre o mito, sobre as estrelas e aglomerados e galáxias e o importantíssimo aglomerado de Galáxias em Virgem, acesse minha Página sobre estes temas em http://sobrevirgo.blogspot.com


Mario Jaci Monteiro , As Constelações, Cartas Celestes -
Apoio: CARJ/MEC/CAPES/PADCT-SPEC 


Ao comecinho do mês de outubro, poderemos presenciar SATURNO dizendo adeus à Virgem e ingressando na constelação da Libra.  Já bem ao final do ano de 2012, estaremos podendo observar SATURNO muitíssimo aproximado da estrela Alpha Librae, Zubenelgenubi, um dos dois pratos da Balança. 

ZUBENELGENUBI, (O Prato) dA Balança do Sul.  Alpha Librae. Estrela Dupla .
Ascensão Reta 14h49,8. - Declinação -15o 54’. Magnitude visual 2,90 - Distância 66 anos-luz.
Uma estrela dupla, amarelo pálido e cinza claro, situada no prato ao sul da Balança.  Seu nome é Zubenelgenubi, de Al Zuban al Janubiyyah, a Garra do Sul - uma referência para quando Libra fazia parte do Escorpião.  Em outra versão, Kiffa Australis, o Cesto austral, nome árabe que designa o cesto ou prato austral da constelação da Balança. Esta Estrela situa-se exatamente na linha da Eclíptica.  Dessa forma, sempre poderemos observar a Lua e os Planetas passando por entre as duas principais estrelas da Balança.

Não deixe de observar SATURNO no céu estrelado, com sua luz de um amarelo pálido e envelhecido...  SATURNO é o último Planeta visível a olho nú.  2012 será, sem dúvida alguma, um grande momento para observarmos SATURNO e seu andamento em esplendorosa Virgem e sua vizinhança:

Spica, Alpha Virgo, é uma estrela que sempre chama atenção por seu brilho e sua altivez.  Um tantinho ao norte, outra estrela acompanha  e rivaliza com Spica: é Arcturus, a estrela Alpha do Boieiro.  Ainda antes da chegada de Spica, o Corvo, em seu vôo elipsal voltado para o sul, vem anunciando a Virgem.   Em termos das constelações do Zodíaco, o garboso Leão antecede a Virgem e realmente seu desenho de estrelas é bem impressionante e bem marcado pela estrela Alpha Regulus, o pé do rei dos animais, e pela estrela Beta Denebola, sua cauda.  Entre o Leão e o Boeiro, encontraremos um pedaço do céu que é verdadeiramente maravilhoso: a Cabeleira de Berenice, com suas tímidas estrelinhas formando suas sedosas mechas - espetáculo que pode ser visualizado somente em lugares de céus escuros e transparentes, com toda a certeza.  E a Virgem é seguida pela Balança, constelação que se evidencia por suas duas estrelas ponteadoras dos pratos a serem bem equilibrados, Zubenelzenubi e Zubenelschemalli.  A Balança marca a presença do Escorpião - de tal forma que, antigamente, as estrelas Alpha e Beta Librae eram consideradas como as Garras do Escorpião. 

Para quem pode usufruir de morar ou visitar lugares de céus escuros e transparentes, é sempre muito interessante se poder acompanhar o enredilhado rastejador das tímidas estrelinhas da Hydra, com sua cabeça apontando para a também tímida constelação de Câncer acolhendo seu maravilhoso Presépio, berço de estrelas-bebês que viajam juntas, e com seu coração batendo intensamente através sua estrela Alpha, Alphard, e seu corpo seguindo enredilhando e rastejando apresentando o sul para o Leão, para a Taça, para o Corvo, para a Virgem..., indo terminar na Balança.

Alguns mapas celestes nos mostram um dos pés da Virgem já adentrando a constelação da Balança e é interessantíssimo se notar o fato de que neste lado do céu surge a figura estranha da Cabeça da Serpente, belíssimo asterismo a ser observado apenas em lugares de céus escuros e transparentes.  A Cabeça da Serpente parece estar guardando tanto os pés da Virgem quanto, e fundamentalmente, a Coroa Boreal, espetáculo de retirar o fôlego, pequeno arco de estrelas situado entre o Boieiro e o Herói Sentado, Hercules.

Por volta do dia 16 de Abril, não deixe de se munir com sua fantástica máquina fotográfica e realize belas fotos do Senhor do Tempo, SATURNO em Oposição ao Sol, em seu melhor momento para ser fotografado!



URANO Em 11 de dezembro de 2011, URANO, o Deus dos Céus Estrelados, retomou seu movimento direto nas proximidades da fronteira da constelação dos Peixes, onde vem mergulhando abissalmente desde o ano passado e por onde ainda continuará abissalmente mergulhado por cerca de mais sete anos à frente....  O Planeta Verde estará nadando cerca de sete a oito graus nos mares dos Peixes até finalmente engendrar seu movimento de marcha-a-ré no miolo do mês de Julho, recuando aparentemente cerca de três a quatro graus até que, no miolo do mês de dezembro de 2012, estará novamente retomando seu movimento direto. 

Certamente, se acaso você tiver um bom telescópio em casa, poderá tentar encontrar o Planeta Verde nadando entre as estrelinhas bem pouco iluminadas da constelação dos Peixes, não custa tentar! 

Em Janeiro, a Ascensão Reta para URANO fica entre 01o.3’ e 01o.53’ e a Declinação fica entre 00s19 e 00n02

Ao final do mês de Setembro, aproveite a boa oportunidade do tempo de Oposição entre Sol e URANO e use sua aparelhagem de astronomia buscando bem focalizar o Planeta Verde, URANO...


NETUNO encontra-se na fronteira entre as constelações do Capricórnio e do Aquário - onde esteve ao longo do ano de 2011 e por onde ainda pretende estar ao longo do ano de 2012, em função de seu andamento bem lento, realmente.  

NETUNO é um Planeta bem longínquo e exige aparelhagem consistente para ser observado em telescópios bem simpáticos. 

Em Janeiro, a Ascensão Reta para NETUNO fica entre 331o.13’ e 332o.09’  e a Declinação fica entre 12s22 e 12s01.

Por volta do dia 24 de Agosto, aproveite a boa oportunidade do tempo de Oposição entre Sol e NETUNO e use sua aparelhagem de astronomia buscando bem focalizar o Planeta Azul, NETUNO.....



O APARENTE CAMINHO DA LUA AO LONGO DO MÊS DE JANEIRO DE 2012
 - Olhe para o céu e aproveite para saber um tantinho mais sobre os Mitos que acolhem as Treze Constelações que fazem parte do Zodíaco, o anel de estrelas formando constelações que emolduram o Caminho da Eclíptica:


DIA 01: A LUA começa o ano concluindo a constelação dos Peixes e realizando seu momento de LUA Minguante (06:16 GMT).  A constelação dos Peixes é muito interessante pois possui dois círculos separados entre si e acaba misturando-se, sempre em estrelinhas bem pouco visíveis, com as ondinhas marolantes da constelação do Aquário e conclui-se já próximo ao centro do grande quadrado formado pela constelação do cavalo alado, Pegasus. É neste lugar que também estaremos encontrando o Ponto Vernal, Equinócio da Primavera, o ponto de entrecruzamento entre as Linhas da Eclíptica e do Equador Celestial.  Olhando para o norte, estaremos diante de um dos mais belos mitos transformado em constelações: o mito de Andromeda, a bela princesa presa a uma ilha e ameaçada por uma baleia monstruosa, Cetus.  Perseus salva Andromeda e para tanto, usa seu Cavalo Alado, Pegasus.  Bem ao norte, poderemos ver o pai  de Andromeda, Cepheus, e a madrasta Cassiopéia. 

DIA 02: Apogeu da LUA, ou seja, distância máxima entre a LUA e a Terra (400 mil quilômetros).  Logo ao cair da noite poderemos nos deixar enlear com a belíssima visão da Conjunção entre LUA e JÚPITER, ambos já tendo concluído a constelação dos Peixes e dando entrada à constelação de Áries, com suas duas estrelas ponteadoras, Hamal e Scheratan.

DIA 03: LUA inchando mais e mais e a cada noite aparecendo mais aproximada do horizonte leste. É interessante se notar que à medida que a LUA incha, as constelações e suas estrelas menos proeminentes vão desaparecendo...  No campo e distante das luzes urbanas, podemos andar pelos gramados dos Sitios e pelas estradas rurais em o auxílio de lanternas, pois que a luminosidade da LUA já nos é suficiente para bem olharmos nossos caminhos.

DIA 04: Momento máximo da Chuva de Meteoros denominada de Quadratídeas, na constelação do Boieiro. A LUA se apresentará em seu momento entre Crescente e Cheia e assim, estará permitindo uma melhor observação já na madrugada após as duas da matina, depois de Selene se deitar no horizonte oeste, certamente.

DIA 05:  Periélio da Terra, ou seja, a menor distância entre a Terra e o SOL (147.1 milhões de quilômetros). LUA encontrando-se com as Pleiades, as Irmãs Chorosas (Seus nomes são: Alcyone, Maia, Electra, Merope, Taygette, Celaeno e Sterope, com a adição dos pais, Atlas e Pleione) e formam um aglomerado, com Alcyone como estrela principal, situado no ombro do Touro. Touro é considerado a mais antiga de todas as constelações e talvez a primeira a ser delimitada pelos babilônios, que a utilizaram para marcar o início do ano, pois o equinócio da primavera, há 4000 AC, localizava-se neste asterismo.  Aliás, o estudo de todos os antigos zodíacos mostram o seu início no Touro: o ano começava com o aparecer matinal das Pleiades na primavera, e o inverno, com o seu aparecimento vespertino no outono.  O aparecimento das Pleiades em novembro era saudado como a festa dos mortos, que comemoramos até hoje. Povos da antiguidade, como os caldeus e hebreus, davam ao mês de novembro o nome de Pleiades. No mais antigo de todos os zodíacos egípcios - o de Denderah -, a constelação do Touro está associada a Osíris, que era o deus especial do Nilo.

DIA 06:  LUA encontrando-se com Aldebarã, o Olho Iluminado do Touro, a Estrela Alpha Tauri, que pode ser vista como se fazendo parte do Aglomerado Aberto e em movimento,  Hyades.  O nascer helíaco das Hyades, principal aglomerado do Touro, era associado à estação da chuva - donde a origem do seu nome, que significava ‘chover’. As Hyades são um grupo de mais de 200 estrelas que circundam Aldebarã e que se deslocam todas para um mesmo ponto do céu, próximo a Betelgeuse, a estrela-alpha de Órion.  Estas estrelas são um aglomerado aberto e seu desenho forma a cabeça do Touro.  Todas as estrelas encontram-se em movimento em conjunto e por esta razão as Hyades são chamadas de Aglomerado em Movimento do Touro.  A estrela Alpha Tauri, Aldebarã, gigante alaranjada, adorna as Hyades como se fosse uma gema brilhante porém não é membro desse aglomerado por se situar cerca da metade do caminho entre o centro das Hyades e nosso Sol.

DIA 07: A LUA continua se apresentando mais e mais iluminada e inchada, arredondando um pouquinho mais a cada noite e sempre se dirigindo para o horizonte leste, quando a noite cai.  Se prestarmos boa atenção e se estivermos em lugares amplos e com boa visão do céu da tarde, céu cor de anil, observaremos Selene já presente!  A LUA se despede dos campos do Touro e agora tem toda a intenção de encontrar-se com os Gêmeos Castor e Pollux. 

DIA 08:  LUA caminhando através os corpos dos dois Gêmeos Castor e Pollux, filhos de Leda e JÚPITER. A origem deste asterismo prende-se à coincidência de estar o SOL nesta região do céu no período posterior às inundações do Nilo, precedendo a época da germinação e anunciando a fecundidade.  Inscrições existentes no túmulo de Ramsés VI, do século XIIII AC, mostram dois brotos de plantas no lugar dos Gêmeos: e à semelhança desta representação, no Atlas Celeste de Bayer, Pollux é encontrado armado de uma foice.
Na antiguidade, a constelação dos Gêmeos foi freqüentemente representada pela figura de duas estrelas sobre um navio, pois Castor e Pollux são considerados divindades protetoras dos marinheiros e viajantes.

DIA 09: LUA Cheia  conversando diretamente com os Gêmeos Castor e Pollux.  Mesmo com a LUA Cheia, eu creio ser possível bem visualizarmos estas duas estrelas que podem ser assim descritas: Castor. Alpha Geminorum.  Estrela Dupla: Uma estrela binária,  branco brilhante e branco pálido, situada na cabeça do Gêmeo ao norte.  Representa Castor, o mortal entre os dois Gêmeos, famoso por suas habilidades em domar e tratar cavalos.  Leda, esposa de Tindarus, rei de Esparta, é a mãe de Castor e Pollux.  Pollux - Beta Geminorum. Uma estrela alaranjada situada na cabeça do Gêmeo ao Sul.  Representa Pollux, filho de JÚPITER e Leda, e é o imortal entre os gêmeos,  famoso por sua habilidade no boxe.  Muitas vezes chamado de Hercules e simbolicamente nomeado como um Juiz sem Coração.

DIA 10:  LUA dizendo até logo aos Gêmeos Castor e Pollux e dirigindo-se para seu encontro com a constelação do Câncer, que acolhe NGC 2632 - M 44 - Aglomerado Aberto, O Presépio : Situado entre as Mulas do Sul e do Norte, contendo mais de 300 estrelas fusionadas e entre Magnitude visual 6 e 12 - verdadeira maravilha de poder ser observada, como se fosse uma LUA cheia de estrelinhas tímidas.  Um aglomerado situado na cabeça do Caranguejo, popularmente chamado de Colméia de Abelhas e conhecido pelos chineses pelo nome de Tseih, She Ke, Exalação dos Corpos Empilhados.  O Presépio representa a mangedoura onde Baco e Vulcano esconderam os dois jumentos.

DIA 11:  A LUA começa a chegar mais tardiamente a cada noite e sempre se apresentando mais e mais murchenta, diminuindo gradativamente seu brilho e sua luminosidade, certamente.  Agora, portanto, podemos bem usufruir da oportunidade de darmos uma boa olhada no céu estrelado escuro antes dos rasgos de luz da Selene surgirem atrás do horizonte leste!  Com boa sorte e em lugares de céus escuros e transparentes, podemos observar as duas estrelinhas ponteadoras de Câncer acolhendo em seu miolo O Presépio.

DIA 12:  A LUA despede-se da constelação bem pouco iluminada (porém maravilhosa!) de Câncer e passa a querer se encontrar com o rei dos animais do céu, a constelação do Leão e seu primeiro encontro acontece com a Estrela Alpha, Regulus, que faz parte do asterismo denominado de A Foice ou os pés e a cabeça (a juba) do Leão garboso.  Esta constelação do Zodíaco representa o Leão de Neméia que se originava da LUA e que foi degolado por Hércules.

DIA 13:  LUA ainda encontrando-se com o Leão. Constelação das primeiras conhecidas dos babilônios que, como todos os povos da antiguidade, associavam o Leão ao SOL.  O Leão é, realmente, a mais notável de todas as constelações zoDIAcais, já que o SOL encontrava-se neste lugar no solstício do verão, na época em que esse asterismo foi instituído.  Realmente, esta antiga constelação era reconhecida por muitas civilizações antigas, incluindo aquelas na Babilônia, no Egito e na Grécia.  Para os egípcios, a entrada do SOL no signo do Leão correspondia às inundações do Nilo e servia, portanto, como importante referência  à atividade agrícola, pois a inundação trazia a fertilidade das margens do Nilo.

DIA 14:  Na madrugada do dia 14 de Janeiro poderemos observar a Conjunção entre LUA e MARTE, sempre um espetáculo interessante pois que nos apresenta a luz branca da LUA em contraposição com a luz amarelada-avermelhada do Deus da Guerra.  Este encontro acontece diante da Estrela Beta Leonis, Denebola (Deneb quer dizer cauda e é um nome que aparece em algumas estrelas do céu, certamente).  Na noite do dia 14, a LUA, já bem mais murchenta, estará adentrando o lugar da Virgem e essa entrada se faz sempre através os cabelos e a cabeça desta constelação.

DIA 15:  LUA encontrando-se com a Virgem.  Esta constelação representa Erigone, filha de Icarius, que se enforcou por causa da grande dor causada pela morte de seu pai.  Outros dizem que é Astraea, filha de um dos Titans, e que lutou com alguns deuses contra seu próprio pai.  Em outra versão, esta constelação representa Perséfone, filha da irmã de JÚPITER, Ceres, (Demeter).  Ceres é a deusa da agricultura e aquela que ensinou aos homens plantarem o trigo, colherem e fazerem o pão que os alimenta. (A Estrela-Alpha Virgo representa a espiga de trigo, é Spica). 

DIA 16: LUA Minguante, em Virgem e muitíssimo próxima à Estrela Alpha Virgo, Spica (que se situa na Linha na Eclíptica) e já fazendo Conjunção com SATURNO, o Deus do Tempo, que se encontra na proximidade.  Belíssimo espetáculo, sem dúvida alguma.  Veja que a LUA Minguante surge no horizonte leste à meia-noite e quando o dia começa, às seis da matina, podemos vê-la no zênite, no alto do céu.

DIA 17: Perigeu da LUA, ou seja, mínima distância entre a LUA e a Terra (360 mil quilômetros).  LUA tendo deixando a Virgem, ingressa em Libra e dirige-se para seu encontro com os dois pratos da Balança: Zubenelgenubi, Alpha Librae e Zubenelschemali, Beta Librae.   A constelação representa a balança onde Astreia pesou os feitos dos homens e apresentou-os a JÚPITER.  Antigamente, Libra não era considerada uma constelação em separado e sim parte do Escorpião, suas Garras.  O sacerdote egipcio Manethon, que viveu no seculo III AC, registrou que as garras do escorpião, que iam até os pes da Virgem, foram transformadas nos pratos da balança.  Durante o equinócio do outono, o SOL se encontrava em Libra.  Ora, como no equinocio os dias e as noites são de igual duração, levantou-se a hipótese de ter sido essa a origem do nome desta constelação.

DIA 18:  LUA chegando cada vez mais tarde - ou mais cedo, de madrugada, LUA Boêmia!  LUA saindo das Garras do Escorpião ou Libra ou Balança e ingressando na Cabeça do Escorpião.  Esta constelação representa o escorpião morto por Orion.  Os poetas gregos nos ensinavam que Scorpius foi o animal enviado por Diana para matar Orion, que intervinha nas atividades da caçadora, mas ele nunca conseguia atingir a sua meta: realmente, as estrelas de Orion desaparecem no ocidente justamente quando o Escorpião nasce no oriente.

DIA 19:  LUA encontrando-se com o Coração do Escorpião, Antares, Alpha Scorpii - Uma estrela binária, intensamente avermelhada e verde-esmeralda, situada no corpo do Escorpião.  De Anti-Ares, similar ou Rival de Ares, MARTE. Foi uma das quatro estrelas reais da Pérsia, cerca de 3.000 anos a.c., e atuava como a Guardiã do Oeste pois marcava o Equinócio de Outono. Muitas vezes chamada de Coração do Escorpião, Cor Scorpio.  A cada noite, a LUA torna-se mais e mais boêmia e esse fato nos deixa com um largo tempo para bem observarmos o céu estrelado, fundamentalmente quando estamos em lugares de céus escuros e transparentes.

DIA 20: Após seu encontro com Antares, a estrela rival de MARTE, a LUA deixa o Escorpião (mesmo que permaneça em sua vizinhança bem próxima) para adentrar a constelação do Ophiuco, a 13a. constelação do Zodíaco e inserida neste contexto em função da precessão equinocial atual. O Ophiuco tem como mito Hercules que, quando criança, estrangulou duas serpentes enviadas por Juno para mata-lo enquanto dormia em seu berço.  Esta constelação também foi chamada de Esculapius, o pai da medicina.

DIA 21:  A LUA vem tomar Chá com a constelação do Sagitário (que bem se parece com o desenho de um Bule de Chá).  Esta constelação representa o sábio e justo Centauro Quíron, que se distinguia dos seus semelhantes, que eram incultos e brutais, pela sua sabedoria.
Tendo aprendido dos seus preceptores a arte divina da medicina e da caça, teve como discípulos os Argonautas. Imortal,  num combate de Centauros e Paites, acidentalmente foi ferido no tornozelo por uma flecha envenenada atirada por Hercules quando da luta de ambos contra os demais centauros.  Como Quíron era um semideus, teria que viver eternamente com aquela ferida que nunca era curada.  Sofrendo de dores atrozes, ofereceu Quíron sua imortalidade a Prometeu. Morto, foi colocado por JÚPITER entre as estrelas.

DIA 22:  A LUA final de ciclo e já buscando tornar-se LUA Nova, encontra-se com MERCÚRIO na madrugada do dia 22.  Ainda sobre a constelação do Sagitário, é interessante sabermos que Inscrições encontradas na Babilônia e nos monumentos persas mostram esse asterismo personificado como o deus arqueiro da guerra  de Nergal.  No Egito, era representado como um Centauro alado, galopando para o ocidente e trazendo um longo chapéu, com um arco esticado, a fim de arremessar uma flecha no corpo do escorpião.  No tumulo de Ramsés VI é representado, unicamente, como um flecha.

DIA 23: LUA Nova em Capricórnio. A denominação Capricórnio, dada pelos caldeus e babilônios, prende-se talvez a uma associação com as cabras que desciam das montanhas com a chegada do inverno; o SOL atinge neste asterismo o seu maior afastamento do Pólo Norte.  Há 2 mil anos, com efeito, o SOL atingia Capricórnio no solstício do inverno e Câncer, no solstício do verão.  Daí a denominação dada pelos geógrafos à linha que passa a 23o ao sul do Equador de Tropico de Capricórnio, e à que passa a 23o ao norte de Equador, de Tropico de Câncer.  O Sagitário é, atualmente, o ponto onde o SOL se encontra quando está mais ao sul.

DIA 24: LUA ainda transitando por Capricórnio e ousando retornar à nossa visão, enquanto um finíssimo anel em horizonte baixo oeste.  Ainda sobre o Capricórnio, devemos saber que durante a guerra contra os Gigantes, os Deuses foram levados ao Egito, sendo perseguidos por Tifão.  Para escaparem do inimigo, os Deuses tiveram que trocar de forma.  Pan, mergulhando no Nilo, ficou com a parte superior de seu corpo transformada em cabra e a parte inferior, em peixe.  JÚPITER considerou que este feito merecia ser comemorado nos céus. 

DIA 25:  O cair da noite do dia 25 de janeiro nos brindará com a belíssima visão da LUA (recém Nova e em finíssimo anel dourado iluminado pela luz do SOL poente e se revelando em novo ciclo) em conjunção a VÊNUS, em horizonte oeste baixo.  Um tantinho mais acima, JÚPITER estará testemunhando esse maravilhoso encontro.

DIA 26:  LUA começando a se afastar de VÊNUS e galgando os céus e já apresentando-se em anel mais encorpado e ingressando em Aquário.  O Aguadeiro representa Ganimedes, filho de Callisto, a mais bela dos mortais.  O rapaz foi carregado para os céus por uma águia para atuar como copeiro de JÚPITER.  De acordo com outro mito, seria Deucalion, filho de Prometeus, que foi levado aos céus em memória de um Dilúvio onde somente ele e Pyrra foram salvos.

DIA 27:  LUA começando a se apresentar mais encorpada em sempre galgando os céus, do oeste para o leste, buscando seu lugar no zênite, tornando-se LUA Crescente, mais adiante.  Ainda em Aquário, a LUA pode nos contar outras informações sobre esta constelação: Desde as mais remotas eras, este asterismo foi associado à água, pois o SOL passava por esta região do céu durante as estações da chuva, nos meses de fevereiro.  Nos mais antigos monumentos da Babilônia, já encontramos para representa-la a figura de um homem a entornar a água de um vaso sobre um pequeno peixe, o Peixe Austral.  Para os egípcios, as estrelas Alfa e Omicron do Aquário indicavam o início dos tempos de semeadura, que vinha após as inundações do Nilo.  No tumulo de Ramsés VI este asterismo está representado pela água.

DIA 28:  LUA em Peixes. Embora não seja uma constelação que apresente estrelas proeminentes, Peixes faz parte das constelações zodiacais desde os tempos das mais antigas civilizações.  Peixes encontra-se ao sul e ao leste do grande quadrado de Pegasus.  Devido à Precessão, o equinócio vernal situa-se em Peixes, na linha de sua estrela Omega Piscium.


DIA 29:  LUA mergulhada abissalmente na constelação dos Peixes.  Enquanto estavam sentados às margens do Rio Eufrates, VÊNUS e seu filho, Cupido, viram Tifão, o inimigo dos Deuses, se aproximando.  Ambos mergulharam no rio e foram salvos de se afogarem por dois peixes, que mais tarde foram colocados nos céus por VÊNUS, em agradecimento.
Os babilônios, os assírios e os persas representavam este grupo de estrelas por dois peixes.  Para os egípcios, esse asterismo registrava a aproximação da primavera e da estação da pesca.  No zodíaco de Denderah, está representado por dois grandes peixes ligados por uma faixa, em meio de um retângulo que simboliza a água.  No tumulo de Ramsés VI é representado por um único peixe.

DIA 30: Apogeu da LUA, máxima distância entre a LUA e a Terra (400 mil quilômetros).  LUA saindo dos mares dos Peixes e pisando em terra firme, em Áries.  Neste lugar, a LUA estará se encontrando com JÚPITER, o Deus dos Deuses, e sempre ambos formam um belíssimo e iluminadíssimo par!  Áries representa o carneiro com a pele dourada, um presente de MERCÚRIO e que pôde levar Phrixius e sua irmã Helle através os ares, para escaparem de sua madrasta, Ino.  Ao chegar em Colquito, Phrixus sacrificou o carneiro e ofereceu-o a JÚPITER e sua pele foi pendurado no Campo de MARTE, de onde mais tarde foi apanhada por Jasão.  De acordo com outro mito, era o carneiro que guiou Baco até uma fonte de água, no deserto da Líbia.

DIA 31: LUA Crescente em Áries  Foram os babilônios que adotaram Áries para marcar o início do ano, pois em 2500 AC, o equinócio da primavera encontrava-se no meio das três estrelas que formam a cabeça do Carneiro.
ALGUMAS das REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

- Chuva de Meteoros e Apogeu e Perigeu da LUA e Perihélio são Datas calculadas pelos astrônomos da NASA Fred Espenak e Sumit Dutta (NASA GSFC).
- http://eclipse.gsfc.nasa.gov/eclipse.html All eclipse calculations are by Fred Espenak, and he assumes full responsibility for their accuracy.
-  V. E. Robson  - Stars and Constellations and Their Mythology – Samuel Weiser Inc., York Beach, Maine, USA
- Ronaldo Rogério de Freitas Mourão  - Atlas Celeste - 6a. Edição - Editora Vozes, Petrópolis, 1986

COM UM ABRAÇO ESTRELADO,
JANINE MILWARD
Sítio das Estrelas - Parada de um caminho a Caminho do Céu

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

DEZEMBRO: O Aparente Caminho do Sol, dos Planetas e da Lua

Caro Amigo das Estrelas, Caminhante do Céu e da Terra:

Eu sou absolutamente apaixonada pela visão do céu estrelado a olho nú e convido você a também me acompanhar nesta viagem estelar.  Moro no Sítio das Estrelas, Latitude 22s52 e Longitude 43w00 e, portanto, meus textos apresentam a visão que tenho do céu a partir desse ponto no Planeta Terra. 

Ah, aproveite para dar um pulinho
em http://sobrevirgo.blogspot.com e em http://sobrelyra.blogspot.com
e dedicar um tantinho de sua leitura e de seus estudos acerca as Constelações da Virgem e da Lira, descritas por mim e dando início ao meu projeto de As 99 Constelações do Céu Estrelado: Da Terra ao Céu e ao Infinito.

Com um abraço estrelado, Janine


O aparente Caminho do SOL, dos Planetas e da LUA
 ao longo do mês de DEZEMBRO


Janine Milward
O APARENTE CAMINHO DO SOL NO MÊS DE DEZEMBRO:
Nossa estrela maior, o SOL, começa o mês de dezembro fazendo sua conjunção anual com a estrela Antares – a rival de MARTE. A partir de então, o SOL deixa o Escorpião e adentra as vizinhanças por onde a cobra mora, Ophiúco, tendo a estrela Sabik, ao norte no dia 10.
Entre os dias 15 e 20, o SOL, deixando o ambiente do animal rastejante e dirigindo-se ao seu encontro com o Sagitário, aponta, mesmo que de longe, para o ponto que marca o chamado direcionamento ao centro da Galáxia.
No dia 21, o SOL alcança seu local de SOLstício. Para nós do hemisfério sul, começa o verão!
Não deixem de inspecionar a sombra realizada pelo SOL nesse mesmo dia, na hora do meio-dia real (sem horário de verão) e para aqueles sob a latitude dos 23 graus: não existe qualquer sombra! (pois o SOL estará verdadeiramente a pico).
Já para o final do mês de dezembro, nosso SOL passeia pelos campos do Sagitário, bem próximo à estrela Nunki, com a Coroa Austral ao sul.



PLANETAS, OS DEUSES ESTÃO NO CÉU:

MERCÚRIO tomou seu movimento de marcha-ré ao final do mês anterior e então acaba sendo engolido pelo horizonte oeste - onde dava um verdadeiro show juntamente com VÊNUS! - e encontra-se com o SOL já no começo do mês e ambos próximos à estrela Antares, alfa do Escorpião e coração do animal rastejante.  Depois, MERCÚRIO continua seu movimento para trás até chegar na cabeça do Scorpio onde novamente retoma seu movimento direto, encontra-se uma vez mais com Antares, sentindo-lhe o coração fremente, e parte célere para abraçar-se a Ophiúco.  Com sorte, na madrugada antes do nascer do SOL e em horizonte leste muitíssimo baixo, poderemos ver a LUA muitíssimo murchenta indo ao encontro de MERCÚRIO.

VÊNUS começa o mês de dezembro adentrando a constelação do Sagitário e tomando chá servido pelo bule de chá estelar.....  até que, já para os dias finais do ano, adentra a constelação do Capricórnio, com o testemunho da belíssima estrela Altair, alfa da Águia, na direção certeira e mais ao norte.  VÊNUS estará não muito distanciada do SOL porém plenamente visível em horizonte oeste bem baixo. No cair da noite do dia 27, podemos nos deixar encantar com a maravilhosa visão da LUA, em seu finíssimo anel de recém Nova, encontrando-se com a bela VÊNUS, estrela vespertina, em horizonte oeste baixo.

MARTE estará bravamente guerreando com o corpo do Leão ao longo do mês de dezembro e certamente será um visão maravilhosa para nossos olhos e fica visível o desejo caloroso do deus da guerra de encontrar-se logo logo com Denebola, a bela estrela que mora na cauda do rei dos animais celestiais. Na noite alta do dia  17, veremos o encontro entre LUA e MARTE.

JÚPITER parece feliz da vida, todo sempre brilhante e esfuziante dentro dos céus estrelados da noite alta e bem visível aos nossos olhos fascinados pelo deus dos deuses!  É sempre um grande prazer se seguir os passos jupiterianos nos céus pois que este Planeta bem nos demonstra o que significa o movimento direto e o que significa o movimento de marcha-ré.... e, neste momento, JÚPITER está praticamente parado.... junto às estrelas Hamal e Scheratan, alfa e beta de Áries... (onde encontra-se com a LUA no dia 6) porque estará retomando seu movimento direto ainda antes do final do ano!  A verdade é que JÚPITER tem gana de vivenciar a constelação de Áries de maneira bem rápida de forma que possa vir a encontrar-se com as irmãs chorosas, as Pleiades, em final de junho de 2012 e encontrar-se com a belíssima Aldebarã, o Olho Iluminado do Touro, em final de julho de 2012.

SATURNO, depois de ter se encontrado demoradamente com o feixe de trigo que mora nos braços da Virgem, em Spica, a estrela alfa que mora na Linha da Eclíptica, continua em seu andar vagaroso e pesado ao longo da Virgem, já demonstrando seu interesse em adentrar a constelação da Balança.... (questão que apenas acontecerá ao final do ano de  2012, porque ainda SATURNO terá muitas questões a tratar com a Virgem e novamente encontrar-se com Spica ao longo de todo o miolo do ano de  2012 - de onde retomará seu movimento direto de maneira a poder dizer adeus à Virgem!).  Neste momento, SATURNO voltou ao nossos olhos admirados por sua beleza, porém em madrugadas sonolentas, ainda antes do SOL nascer, no momento do canto primeiro do galo.  No dia 20, a LUA encontra-se com SATURNO e ambos se regozijam por estarem tão próximos a Spica!

URANO começa o ano já na fronteira da constelação do Aquário e bem debaixo do círculo formado pela cauda de um dos dois peixes da constelação de Peixes e bem diante do Cavalo Alado Pegasus - bem no ponto onde é marcado o encontro entre a linha da Eclíptica com o equador celeste e onde é marcada a Era ainda de Peixes e onde acontece o Equinócio Vernal, o Equinócio da Primavera - ponto, aliás, que URANO estará por ali vagarosamente passeando ao longo de todo o ano de 2011. Dia 25 de setembro, URANO realizou sua Oposição ao SOL. É sempre interessante sabermos que o melhor momento para apontarmos nosso telescópio para um Planeta exterior é em seu momento de oposição - quando a luz do SOL bate em cheio no Planeta.  Sendo um Planeta de magnitude 5, dizem os alfarrábios que pode vir a ser visualizado a olho nú...  será?

NETUNO passeia bem vagarosamente - e assim deverá se manter ao longo de todo o ano de 2011 -através a fronteira entre as constelações de Capricórnio e de Aquário - constelações apenas possíveis de serem observados em sítios campestres mais distanciados das luzes urbanas. NETUNO pode ser observado apenas através telescópio.  Dia 22 de agosto, NETUNO realizou sua Oposição ao SOL.  É sempre interessante sabermos que o melhor momento para apontarmos nosso telescópio para um Planeta exterior é em seu momento de oposição - quando a luz do SOL bate em cheio no Planeta.

O CAMINHO DA LUA AO LONGO DO MÊS DE DEZEMBRO - Olhe para o céu!

Dia 1 - O mês começa com a LUA concluindo sua passagem por Capricórnio e adentrando Aquário. A Lua começa a se mostrar engravidada por seu encontro recente com o Sol, em eclipse parcial... mas, mesmo assim, pode nos mostrar, ao norte, a presença das três estrelas formadoras da cabeça da Águia e sempre iluminadas por sua Alpha, Altair.  Um tanto mais ao norte, podemos sempre nos deixar encantar pela presença da estrela Alpha Lyrae, Vega, e também, mais adiante, pelo vôo tão interessante do Cisne, finalizada por sua estrela Alpha, Deneb, a cauda.  O chamado Triangulo do Verão (para o hemisfério norte) já está nos dizendo adeus, certamente.
Dias 1, 2 e 3 - LUA em Aquário. Dia 2, LUA Crescente.  A crescente luminosidade da Lua nos impede de observarmos as interessantes estrelinhas ziguezaguantes do Aguadeiro, que pena!
Dias 3, 4, 5, e 6 - LUA em Peixes.  Se olharmos um tantinho mais ao sul, nos depararemos com a belísisma estrela Alpha Piscis Austrinus, Fomalhaut.
Dias 6, 7 e 8 - LUA em Áries onde encontra-se com JÚPITER, ambos aos pés das estrelas ponteadoras Hamal e Sheratan.
Dias 9, 10 e 11 - LUA em Touro.  LUA Cheia dia 10 com Eclipse total da LUA não-visível para o Brasil. que pena... porque esta região do céu é de uma beleza verdadeiramente estonteante em função da presença da Via Láctea que nos encanta a visão.
Dias 11, 12 e 13 - LUA em Gêmeos.  Depois do Plenilúnio, retorna o bom tempo para os amantes das estrelas e para os estudiosos da Astronomia observarem o céu estrelado pois que a Lua começa a chegar mais e mais atrasada, a cada noite, nos proporcionando céus escuros e transparentes... até sua chegada sempre anunciada por um clarão intenso e esbranquiçado vindo da região leste do céu. 
Dias 13, 14 e 15 - LUA em Caranguejo.  Penso que já seja bem possível observarmos a Hydra com sua cabeça apontando para a constelação de Câncer e então rastejando seu corpo vípero primeiramente apresentando sua estrela Alpha Alphard e depois avizinhando-se da Taça, do Corvo, da Virgem e indo terminar com sua cauda já próxima à constelação da Balança.  Ao mesmo tempo, é sempre bom podermos nos deixar enlear pela presença encantadora de Sirius, a estrela Alpha Canis Majoris, a bela da noite, sendo antecipada pela também maravilhosa estrela Alpha do Navio Argus, Canopus.  Toda esta parte do céu é pavimentada pela Via Láctea com suas estrelinhas compactadas e esfumaçadas.
Dias 16, 17 e 18 - LUA em Leão. Dia 17, LUA Minguante.  Na noite alta do dia  17, veremos o encontro entre LUA e MARTE.  Talvez possamos observar com maior clareza as constelações mais ao norte, acolhendo o Leão Menor e depois nos deixando entrever, mesmo que de forma não muito clara, a belíssima constelação da Ursa Maior, suas patas e até o asterismo que forma o Grande Carro - se estivermos em lugar de céus escuros e transparentes e com a região norte bem baixa, certamente, ou mesmo em latitudes mais ao norte do Brasil.
Dias 18, 19 e 20 - LUA em Virgem encontrando-se com SATURNO sonolento que recém retomou seu andamento no céu do leste.  É sempre interessante nos deixarmos embevecer pela presença da estrela Alpha Virgo, Spica (agora acolhendo a próxima visita de Saturno e da Lua), e, olhando mais ao norte, sermos atraídos indefectívelmente pela estrela amarelada e intensa que é Arcturus, a Alpha do Boieiro.
Dias 20, 21 e 22 - LUA em Balança.  Sempre o momento que antecede a LUA Nova é um momento verdadeiramente perfeito para que possamos nos encantar com o céu estrelado!  Já com o mês de dezembro bem andado, podemos observar o fato de que as constelações de Capricórnio, de Aquário e de Peixes começam a nos dizer adeus, caindo no horizonte oeste bem cedo e nos ampliando a visão do zênite através o Mito de Andromeda, com belíssima visão do Cavalo Alado Pegasus, da galáxia nossa irmã, Andromeda, da Baleia Cetus, de Cepheu e Cassiopéia bem ao norte sendo seguidos por Perseus, o herói salvador da donzela acorrentada!  Com boa sorte, na mesma direção de Pegasus, porém bem ao sul, podemos observar as duas Nuvens de Magalhães - porém em lugares de céus escuros e transparentes, é claro.  As duas estrelas ponteadoras de Áries já estão nos céus  e caminhando para o zênite sendo seguidas pelo Touro com suas Pleiades e sua estrela alfa, Aldebarã e ambas apontando para o norte que nos revela a beleza da chegada de Capella, alfa do Cocheiro.  Começa, então, um tempo de maravilhas podendo ser observadas nos céus estrelados, com a presença do Gigante Órion que nos emociona com seu pé Rigel, com Betelgeuse e Bellatrix formando seu corpo e com as populares Três Marias formando seu Cinturão... e em lugares de céus escuros e transparentes - como no Sítio das Estrelas -, sempre poderemos observar seu elmo e seu escudo!  Achernar, a alfa do rio Eridanus realiza seu rodeio ao pólo sul e é seguida por Canopus, a alfa do Navio que introduz a chegada da belíssima Sirius, a alfa do Cão Maior.
Dias 22, 23 e 24 - LUA em Escorpião e em Ophiúco.  Com sorte, na madrugada antes do nascer do SOL e em horizonte leste muitíssimo baixo, poderemos ver a LUA muitíssimo murchenta indo ao encontro de MERCÚRIO.
Dias 24, 25 e 26 - LUA em Sagitário. LUA Nova dia 24.
Dias 26, 27 e 28 - LUA em Capricórnio.  No cair da noite do dia 27, podemos nos deixar encantar com a maravilhosa visão da LUA, em seu finíssimo anel de recém Nova, encontrando-se com a bela VÊNUS, estrela vespertina, em horizonte oeste baixo.  Evento sempre imperdível, bom para os seresteiros, poetas, enamorados, amantes das estrelas.
Dias 29, 30 e 31 - LUA em Aquário e adentrando Peixes somente de noitinha. 


Com um abraço estrelado,
Janine Milward
Sítio das Estrelas - parada de um caminho a Caminho do Céu
janine@powermail.com.br