terça-feira, 31 de janeiro de 2012

O CÉU DO MÊS DE FEVEREIRO DE 2012

Sítio das Estrelas e Janine Milward

Apresentam
O JORNAL DO CAMINHANTE
Para os Simples Amantes dos Céus Estrelados

Ano 10 - Edição de Fevereiro de 2012

Olhe para o céu
e observe o Aparente Andamento dos Planetas Visíveis a olho nú - MERCÚRIO, VÊNUS, MARTE, JÚPITER e SATURNO -  e da LUA, doce e mutável Lua.

Aproveite para saber sobre alguns dos Eventos Astronômicos do Mês e um tantinho mais sobre os Mitos e Dados Técnicos que acolhem algumas das Estrelas e Constelações do Céu Estrelado!

Os textos apresentados neste Jornal do Caminhante para os Simples Amantes dos Céus Estrelados são, em sua quase maioria, de autoria de Janine Milward. Ao final deste Trabalho, são encontradas algumas das demais Referências Bibliográficas em relação aos dados técnicos e mitológicos extraídos de Sites e de Livros.
Você pode imprimir e encadernar seu Jornal e também encaminhá-lo,
desde que sempre na íntegra e apresentando sua autoria e seus créditos. 
Obrigada, Janine


Temas Apresentados nesta Edição:


Alguns Eventos Interessantes no Céu do Mês de Fevereiro
Apogeu e Perigeu da LUA - Fases da LUA - Chuva de Meteoros Alfa-Centaurídeas - Vênus e Júpiter buscando maior aproximação, no horizonte oeste ao cair da noite

O Aparente Andamento do SOL em Fevereiro de 2012

Planetas, os Deuses estão no Céu
O Andamento Aparente de MERCÚRIO e VÊNUS, MARTE, JÚPITER, SATURNO, Urano e Netuno ao longo do mês de Fevereiro

  O Aparente Caminho da LUA ao longo do Mês de Fevereiro de 2012
- Belíssima visão de dois Planetas realmente esplendorosos: VÊNUS, a Bela da Tarde, a Estrela Vespertina, e JÚPITER, o Deus do Olimpo, Deus dos Deuses, noite após noite buscando estreitar a distância entre ambos
- Observe um tantinho de Mecânica Celeste
- As Fases da Lua e os bons e os não tão bons Tempos de Observação das Estrelas e suas Constelações
Caro Amigo das Estrelas, Caminhante do Céu e da Terra:

Eu sou absolutamente apaixonada pela visão do céu estrelado a olho nú e convido você a também me acompanhar nesta viagem estelar.  Moro no Sítio das Estrelas, Latitude 22s52 e Longitude 43w00 e, portanto, meus textos apresentam a visão que tenho do céu a partir desse ponto no Planeta Terra. 

Tenho sempre muito prazer em escrever estes Textos sobre o Andamento aparente do Sol, dos Planetas e da LUA, no sentido de poder conduzir você, caro Leitor, a dedicar-se na elaboração de um tantinho de desejo seu de também se deixar maravilhar pelo céu estrelado!

Por esta razão, os Textos tendem a poder atender aos Caminhantes leigos como também aos Caminhantes que já vêm caminhando um tantinho no Caminho da compreensão de alguns temas básicos e mesmo bem simples sobre a Astronomia e a Mecânica Celeste.

Em minha Página http://oceudomes.blogspot.com , você poderá sempre encontrar meus textos mensais sobre  O Caminho Aparente do SOL, dos Planetas e da LUA.  Nesta Página, você também encontrará meu texto sobre Um Passeio pelo Céu Noturno do Sítio das Estrelas: Breve Roteiro de Viagem Celeste para as Quatro Estações do Ano.

Bons Estudos e Boa Observação!

Com um abraço estrelado,
Janine Milward




ALGUNS EVENTOS ASTRONOMICOS INTERESSANTES
 AO LONGO DO MÊS DE FEVEREIRO:

Lua Cheia impedindo a boa visão da Chuva de Meteoros Alfa-Centaurídeas
-          Fases da Lua e Apogeu e Perigeu
-          - Vênus e Júpiter buscando uma Maior Aproximação nos céus do horizonte oeste, ao cair da noite.


Dia 08 -  Máximo da Chuva de Meteoros Alfa-Centaurídeas, ou seja, o radiante do momento máximo advém próximo à Estrela Alpha Centauri, Rigel Kentaurus ou Bungula ou Toliman.  No entanto, será tempo de LUA Cheia e esta é uma questão que certamente estará impedindo nossa boa visão dessa Chuva de Meteoros, infelizmente. 

Mesmo assim, são prometidos cerca de 6 meteoros por hora....  A bem da verdade, essa Chuva acontece entre 28 de janeiro e 21 de fevereiro, vale a pena olhar para o sul e bem conferir - quando em tempo de LUA ausente, certamente.

 A Constelação do Centauro chama nossa atenção para suas estrelas ponteadoras, Alpha e Beta, Rigel Kent e Agena ou Hadar e o Cruzeiro do Sul acaba sendo quase todo acolhido (3/4) por esta imensa constelação no céu do sul.

Algumas Informações Interessantes sobre Centaurus, o Centauro:


Mario Jaci Monteiro , As Constelações, Cartas Celestes -


Posicionamento:
Ascensão Reta 11h3m / 14h59m  Declinação -29o.9 / -64o.5

Fronteiras:
Centaurus situa-se entre Crux, Musca, Circinus, Lupus, Hydra, Antilia, Vela, Carina

Mito:
Esta constelação provavelmente representa Pholos, filho de Silenus e Melia, e que foi acidentalmente ferido em um dos pés por Hercules, em suas flechas envenenadas. 

De acordo com outro mito, seria Quíron, o Sábio Centauro filho de SATURNO e da ninfa Filira, criado por Apolo e por Pallas Athenas.


Principais Estrelas (sempre bem visíveis para nós, do hemisfério sul): Rigil Kentaurus ou Bungula ou Toliman (Alpha Centauri) e Agena ou Hadar (Beta Centauri) - e veja na carta celeste acima que estas estrelas situam-se aos pés dianteiros do Centauro. 

Saiba mais sobre estas Estrelas, sempre cativantes de nosso olhar:




Rigil Kentaurus - Alpha Centauri - Estrela Dupla
Ascensão Reta 14h38,4m - Declinação -60o 46’
Magnitude visual 0,33 - Distância 4 anos-luz
Magnitude visual das estrelas 0,3 e 1,7  Distância entre estrelas 21”79
O Pé do Centauro, nome árabe para designar a posição da estrela situada no pé direito e dianteiro do homem-cavalo da mitologia.
Esta estrela é também conhecida como Bungula. 
Uma estrela binária, branca e amarelada, na perna esquerda do Centauro. 
Antigamente chamava-se Toliman, que significava Agora em Diante. 

Alpha Centauri, Rigel Kent ou Toliman ou Bungula
é a estrela mais próxima de nosso sistema solar
e situa-se numa distância de cerca de 275.000 vezes aquela entre a Terra e o Sol.
O sistema de Alpha Centauri é interessante porque é a mais próxima estrela binária ao nosso Sol e possui componentes de magnitudes 0,01 e 1.7.  Existe ainda uma estrela mais distanciada e pálida, conhecida como Próxima Centauri e acredita-se que esta estrela órbita o par do sistema Alpha Centauri.  Próxima Centauri é a estrela mais próxima ao nosso Sistema Solar e encontra-se a uma distância de 4.3 anos-luz.


Agena. Beta Centauri. 
Ascensão Reta 14h 02,4m - Declinação -60o 16’
Magnitude visual 0,86  - Distância 490 anos-luz
O Joelho, provém da corruptela Agenu, transcrição árabe do latim para indicar a estrela situada no joelho esquerdo do Centauro. Conhecida também como Hadar, Base, nome de origem árabe.

Fases da LUA e Tempos de Apogeu e Perigeu:

LUA CHEIA - dia 07, na fronteira entre as constelações do Câncer e do Leão.
LUA MINGUANTE - dia 14, na constelação da Balança e já intencionando adentrar a Cabeça do Escorpião.
LUA NOVA - dia 21, na constelação do Aquário.
DIA 29 -  A LUA CRESCENTE acontece bem ao final do dia 29, para os lugares com mais de duas horas à frente do Meridiano Inicial, em Greenwich, Londres
DIA 01 DE MARÇO - LUA CRESCENTE (gmt 01:23)

Dia 11 - Perigeu da LUA (mínima distância entre Terra e LUA: 360 mil kms.)
Dia 27 - Apogeu da LUA (máxima distância entre a Terra e a LUA: 400 mil kms.)

Perigeu e Apogeu da Lua são dados calculados pelos astrônomos da NASA Fred Espenak e Sumit Dutta (NASA GSFC).


Vênus e Júpiter buscando maior Aproximação
nos céus do horizonte oeste, ao cair da noite:

Ao longo do mês de Fevereiro, aproveite para bem observar o horizonte oeste após o poente do SOL trazendo a belíssima visão de dois Planetas realmente esplendorosos: VÊNUS, a Bela da Tarde, a Estrela Vespertina, e JÚPITER, o Deus do Olimpo, Deus dos Deuses, a cada noite aproximando-se mais e mais um do outro - união  abençoada pela visita da LUA ao finalzinho do mês.



O APARENTE CAMINHO DO SOL
AO LONGO DO MÊS DE FEVEREIRO:

Aparentemente, o SOL vai perfazendo seu caminho ao longo de sua senda, chamada Eclíptica, contra o pano de fundo das estrelinhas que formam as constelações que em seu grupo são denominadas de Zodíaco, ou Roda de Animais (isso porque, em sua grande maioria, essas constelações são nomeadas a partir de sua semelhança com alguns animais – exceção feita para Aquário, Balança e Gêmeos).

É preciso que o Caminhante saiba, no entanto, que esse caminho que o SOL realiza ao longo do ano é apenas aparente: a verdade é que é a nossa Terra que vai girando em torno do SOL e em função de seu movimento de precessão de equinócio, vai traçando esse mesmo caminho. Através das Eras, o caminho da Eclíptica vai sofrendo algumas pequenas mudanças - estaremos abordando este Tema em nossa próxima edição, no mes de março de 2012, aguarde!

Nos primeiros dias de fevereiro, o SOL encerra sua passagem pelo Capricórnio. Entre os dias 10 e 15, o SOL trafega pela divisa de Capricórnio com seu vizinho Aquário. Daquele momento em diante, até o final do mês de fevereiro, o SOL pega carona entre as estrelinhas fugidias e marolantes do Aguadeiro.


Mario Jaci Monteiro , As Constelações, Cartas Celestes




PLANETAS, OS DEUSES ESTÃO NO CÉU:
O APARENTE CAMINHO DOS PLANETAS AO LONGO DO MÊS DE FEVEREIRO

Olhe para o céu e aproveite para saber um tantinho mais sobre os Mitos e Dados Técnicos de algumas Estrelas e Constelações que iluminam o Céu Estrelado!

Aparentemente, os Planetas vão perfazendo seus caminhos ao longo de suas sendas, ao longo da chamada Eclíptica, contra o pano de fundo do 360 graus de estrelas e constelações que perfazem a Roda do Zodíaco e que são circundados pelos demais 360 graus ao norte e ao sul preenchidos por mais e mais estrelas e constelações, galáxias, etc.

Volta e meia, aparentemente, um Planeta engrena marcha-a-ré, toma uma movimentação para trás.... como se estivesse formando um ‘lacinho’ a partir do ponto de vista do Planeta Terra.  No entanto, é claro que tudo sempre anda para frente, digamos assim, e esse movimento é apenas aparente e acontece a partir do próprio movimento de translação da Terra em torno do SOL e sua inter-relação visual com o Planeta em questão (que também realiza seu andamento em torno ao SOL, certamente).



MERCÚRIO

MERCÚRIO, o Mensageiro dos Deuses e dos Homens, realiza um andamento sempre bem rapidinho (entre 01o.30’ e 01o.50 ao longo dos dias do mês de fevereiro) e, mesmo que não seja visível a nossos olhos durante o mês de Fevereiro, podemos saber que este Planeta começa o mês na Ascensão Reta 310o.11 e na Declinação 20S25 e termina o mês na Ascensão Reta 356o.43’  e na Declinação 00S48.

Traduzindo estes dados, estaremos encontrando MERCÚRIO no miolo da constelação do Capricórnio ao começo do mês e esta passagem por este asterismo é bem rápida, realmente, sendo que já para o miolo do mês, MERCÚRIO estará mergulhando entre as marolantes estrelinhas em zigue-zague da constelação do Aquário, o Aguadeiro.  Veja as cartas celestes apresentadas no Texto sobre o Aparente Caminho do Sol, mais acima.

O encontro de MERCÚRIO com o SOL estará acontecendo no dia 08, em Capricórnio, e no dia 22, MERCÚRIO e LUA Novíssima estarão se encontrando em Aquário, depois de Selene ter se encontrado com o SOL.  Teoricamente e naquele momento, a distância entre MERCÚRIO e o SOL estará sendo de 13 graus - o que significa que em lugares de oeste extremamente baixo, plano ao horizonte mesmo, talvez seja possível visualizarmos esse encontro...., embora eu pense que talvez não seja possível mesmo.... e aconselho esperarmos para a tardinha do dia seguinte, 23 de fevereiro, com a LUA tendo galgado mais alguns graus, já na intenção de bem encontrar-se com VÊNUS, mais dois dias à frente.

A bem da verdade, MERCÚRIO, o Mensageiro dos Deuses, já vem encetando seu distanciamento do SOL e podendo ser observado em horizonte oeste bem baixo, plano mesmo, depois do poente do SOL.  Ao final do mês de Fevereiro, MERCÚRIO já apresenta um distanciamento de cerca de dezessete graus em relação ao SOL.


VÊNUS

VÊNUS, a Bela da Tarde, começa o mês já bem próxima à conclusão dos 360 graus acolhidos pela chamada Ascensão Reta (353o.35’), e encontra o chamado Ponto Vernal no dia 7 de fevereiro, começando uma nova jornada e concluindo o mês na Ascensão Reta 21o.56’.  Na Declinação, VÊNUS começa o mês a 04S11 e encontrando o ponto zero no dia 7, terminando o mês a 10N13. 

Podemos perceber, portanto, que VÊNUS também possui um andamento bem interessante, realmente, parecendo caminhar cerca de um grau e mais um tantinho, a cada noite que a observamos, em horizonte oeste, sempre se encaminhando em direção a JÚPITER, que se encontra mais alto, em Áries, enquanto VÊNUS vem encurtando esta distância, ainda mergulhada abissalmente na constelação dos Peixes.

Mario Jaci Monteiro , As Constelações, Cartas Celestes

Pisces, Peixes

Posicionamento:
Ascensão Reta  22h49m / 2h4m  Declinação -6o.6 / +33o.4

Fronteiras:
A constelação de Pisces faz fronteira com Áries, Triangulum, Andrômeda, Pegasus, Aquário e Cetus.

Mito:
Enquanto estavam sentados às margens do Rio Eufrates, VÊNUS e seu filho, Cupido, viram Tifão, o inimigo dos Deuses, se aproximando.  Ambos mergulharam no rio e foram salvos de se afogarem por dois peixes, que mais tarde foram colocados nos céus por VÊNUS, em agradecimento.
Os babilônios, os assírios e os persas representavam este grupo de estrelas por dois peixes.
Para os egípcios, esse asterismo registrava a aproximação da primavera e da estação da pesca.  No zodíaco de Denderah, está representado por dois grandes peixes ligados por uma faixa, em meio de um retângulo que simboliza a água.  No tumulo de Ramsés VI é representado por um único peixe.
Embora não seja uma constelação que apresente estrelas proeminentes, Peixes faz parte das constelações zodiacais desde os tempos das mais antigas civilizações.
 Peixes encontra-se ao sul e ao leste do grande quadrado de Pegasus.  Devido à Precessão, o equinócio vernal situa-se em Peixes, na linha de sua estrela Omega Piscium.

A tardinha do dia 25 de Fevereiro deverá nos brindar com um espetáculo realmente maravilhoso: a LUA estará encontrando-se bem proximamente com VÊNUS e JÚPITER estará observando de perto este encontro (e, com bom auxílio de um horizonte oeste baixíssimo, poderemos contar como a presença de MERCÚRIO, com sorte).

Se você tiver um telescópio simpático, eu lhe diria para buscar visualizar esse encontro de LUA entre Nova e Crescente com a Bela da Tarde, VÊNUS, ainda antes do poente do SOL!  Se você quiser esperar um tantinho mais, aguarde pelo por do SOL e deixe-se encantar pelo belíssimo espetáculo que Selene e a Estrela Vespertina estarão nos oferecendo!


MARTE

MARTE, o Planeta Vermelho, o Deus da Guerra, começa o mês de Fevereiro ainda caminhando próximo à estrela Denebola, Beta Leonis, ainda em seu movimento de marcha-a-ré iniciado no dia 23 de janeiro  p.p.  Somente no miolo do mês de Abril que MARTE estará retomando seu movimento direto aos pés da Estrela Alpha Leonis, Regulus (que, por sua vez, significa pé).

Leo, Leão

Posicionamento:
Ascensão Reta  9h18m / 11h56m    Declinação -6o.4 / +33o.3

Fronteiras:
Leo situa-se entre as constelações Virgo, Coma Berenices, Ursa Major, Leo Minor, Câncer, Hydra, Sextans, Crater

Mito:
Esta constelação do Zodíaco representa o Leão de Neméia que se originava da Lua e que foi degolado por Hércules.
Constelação das primeiras conhecidas dos babilônios que, como todos os povos da antiguidade, associavam o Leão ao Sol. 
O Leão é, realmente, a mais notável de todas as constelações zodiacais, já que o Sol encontrava-se neste asterismo no solstício do verão, na época em que esse asterismo foi instituído.  Realmente, esta antiga constelação era reconhecida por muitas civilizações antigas, incluindo aquelas na Babilônia, no Egito e na Grécia.
Para os egípcios, a entrada do Sol no asterismo do Leão correspondia às inundações do Nilo e servia, portanto, como importante referência  à atividade agrícola, pois a inundação trazia a fertilidade das margens do Nilo.





Mario Jaci Monteiro , As Constelações, Cartas Celestes

MARTE vem entrando em cena nos céus estrelados já com a noite bem escurecida e portanto vem nos apresentando uma bela oportunidade de ser bem observado nesses tempos em que vai ficando cada vez mais iluminado em função do fato de que sua Oposição ao SOL deverá acontecer em breve, bem ao começo do mês de Março, dia 3.  Neste dia, a LUA estará caindo no horizonte oeste por volta da uma hora da madrugada e com isso, nos possibilitando uma visão bem mais iluminada do Planeta Vermelho em seu momento ímpar de Oposição ao SOL!

Visão bem interessante deverá acontecer na noite do dia 10 de fevereiro por volta das duas horas da madrugada (três da matina, ainda em horário de verão) quando a LUA estará se conjugando a MARTE com ambos bem próximos ao zênite e toda esta cena estará sendo observada de perto por SATURNO, que se encontra em Virgem, um tantinho depois de Spica, a Estrela Alpha Virginis.

 MARTE começa o mês na Ascensão Reta 174O.47’ e na Declinação 06N25 e termina o mês na Ascensão Reta 167O.56’ e na Declinação 09N44. 


JÚPITER começa o mês na Ascensão Reta 30O.49’ e na Declinação 11N22  e termina o mês na Ascensão Reta 34O.51’ e na Declinação 12N53.

Estes lugares determinam a  constelação de Áries, o Carneiro,  com suas duas estrelas ponteadoras, Hamal e Scheratan, Alpha e Beta Arietis, que aguardam com ansiedade seus re-encontros com o Deus dos Deuses - já que dois encontros iniciais já aconteceram no ano de 2011. 



Mario Jaci Monteiro , As Constelações, Cartas Celestes -

Áries, o Carneiro

Posicionamento:
Ascensão Reta 1h44m / 3h27m  -  Declinação +10o 2’ / +30o 9’

Fronteiras:
A constelação de Áries situa-se entre Taurus, Perseus, Triangulum, Pisces e Cetus.

Mito:
Áries representa o carneiro com a pele dourada, um presente de MERCÚRIO e que pôde levar Phrixius e sua irmã Helle através os ares, para escaparem de sua madrasta, Ino.  Ao chegar em Colquito, Phrixus sacrificou o carneiro e ofereceu-o a JÚPITER e sua pele foi pendurado no Campo de MARTE, de onde mais tarde foi apanhada por Jasão.  De acordo com outro mito, era o carneiro que guiou Baco até uma fonte de água, no deserto da Líbia.
Foram os babilônios que adotaram Áries para marcar o início do ano, pois em 2500 AC, o equinócio da primavera encontrava-se no meio das três estrelas que formam a cabeça do Carneiro.

Mario Jaci Monteiro , As Constelações, Cartas Celestes


Algumas Estrelas, em Áries:

Hamal. Alpha Arietis.
Ascensão Reta 02h06,1 - Declinação +23o 22
Magnitude visual aparente 2,23 - Distância 76 anos-luz
. Uma estrela amarelada situada na testa do Carneiro. De al Hamal, a Cabra também a Ovelha. Simbolicamente chamada de Ferida Mortal.  
Hamal advém de Al Rãs Al Hammal, a Cabeça do Carneiro. 
Também foi chamada de Al Nath, o Corno, bem apropriado para esta estrela,
 porém hoje em dia esta estrela é parte do Touro, sua estrela Beta

Sheratan - Beta Arietis
Magnitude visual 2.7 - Distância 52 anos-luz.
A Pérola Branca. Uma estrela branco perolado situada no chifre do Carneiro e chamada normalmente por Chifre ao Norte.  De Al Sharatair, os Dois Signos, nome árabe que designava o asterismo formado por Beta e Gama de Carneiro.
Sharatan ou Sheratan advêm de Al Sharatain, como um sinal do começo do ano, com esta estrela marcando o equinócio vernal nos tempos de Hiparcos.

Mesartin - Gama Arietis - Estrela Dupla
Ascensão Reta 01h50m  Declinação +19o.3
Magnitude visual 4,7 e 4,8 - Ângulo de Posição 360o.,0  Distância entre estrelas 7”,03
Nomeada a partir do nome árabe O Sinal e refere-se ao alinhamento com o equinócio vernal em tempos antigos. Em outra versão, O Ministro, proveniente do hebreu Meshatim ou Mesartim.

Lambda Arietis - Estrela Dupla
Ascensão Reta 01h55m  Declinação +23O.21
Magnitude visual 4,9 e 7,4 Ângulo de Posição 46o.  Distância entre estrelas  37”,23

No anoitecer do dia 26 de fevereiro, não deixe de observar o belíssimo espetáculo do encontro entre LUA, em seu momento entre Nova e Crescente, e JÚPITER, ambos bem próximos ao horizonte oeste e sendo testemunhados por VÊNUS maravilhosa Bela da Tarde, Estrela Vespertina, e também por MERCÚRIO, o Mensageiro dos Deuses e dos Homens, possível de ser visto em lugares de horizonte oeste baixíssimo.  O encontro propriamente dito entre LUA e JÚPITER acontecerá na madrugada do dia 27, já distante de nossos olhos.

Já que JÚPITER e LUA estarão caindo no horizonte oeste ainda bem cedo naquele momento, por que não observar o céu estrelado que estará se apresentando diante de nossos olhos?  JÚPITER e LUA estarão vivenciando a constelação do Carneiro, como já sabemos.  No entanto, esta constelação acaba introduzindo um pedaço do céu que é pura beleza com a entrada em cena do Touro com suas belíssimas irmãs chorosas, as Pleiades, e com as Hyades acolhendo Aldebaran, o olho iluminado.  Os Gêmeos Castor e Pollux estão sempre dispostos a uma boa conversa, na constelação dos Gêmeos e dão lugar ao Presépio que se esconde na constelação do Caranguejo (sempre possível de ser bem visualizado em lugares de céus escuros e transparentes).  O Leão ruge ardorosamente desde sua Estrela Alpha, Regulus, seu pé, até sua Estrela Beta, Denebola, sua cauda e acolhendo a presença do Planeta Vermelho, MARTE!  Se pudermos aguardar mais um tantinho, ainda antes da meia-noite e em lugares de horizonte leste baixo, podemos nos encantar com a chegada da Virgem, introduzindo-se através seus cabelos, sua cabeça, seus ombros.... até encontrarmos e nos deixar seduzir por sua mão que carrega um feixe de trigo, a Estrela Alpha Spica sendo seguida de perto pelo Senhor do Tempo, SATURNO.




SATURNO
Começa o mês na Ascensão Reta 208O.19’ e na Declinação 08S53  e termina o mês na Ascensão Reta 208O.00’ e na Declinação 08S39.  Este lugar faz parte da imensa constelação da Virgem, um tantinho após a belíssima Estrela Alpha Virginis, Spica:

SPICA.  Alpha Virginis.  Ascensão Reta 13h 24,1m  Declinação -11o 03’.
Magnitude visual 1,21 - Distância 220 anos-luz.
Uma estrela binária branco brilhante no ramo de trigo  que a Virgem carrega em sua mão voltada para o sul. Freqüentemente chamada de Arista (nome também usado para designar esta constelação) e também conhecida como Azimech

Em 7 de fevereiro, SATURNO engrena seu movimento de marcha-a-ré e assim, vagarosamente começará a empreender seu retorno em direção a Spica.

Este espetáculo proporcionado por SATURNO estará sempre sendo acompanhado por MARTE, um tantinho mais adiantado nos céus estrelados, passeando pela constelação do Leão.  No dia 12 de Fevereiro, a LUA buscando seu momento de tornar-se Minguante, realizará seu encontro mensal com SATURNO.

Ao longo do mês de fevereiro, SATURNO estará entrando em cena nos céus estrelados do horizonte leste a partir da meia-noite, chegando um tantinho mais cedo a cada noite, certamente. 

Seria interessante você aproveitar os momentos entre LUAs Nova e Crescente para bem poder apreciar o Deus do Tempo transitando vagarosamente pela constelação da Virgem e para bem poder apreciar e estudar melhor este asterismo.



Virgo, Virgem

Posicionamento:
Ascensão Reta 11h35m / 15h8m    Declinação +16o.6 / -22o.2

Fronteiras:
Virgo situa-se entre as constelações
Libra, Serpens, Bootes, Coma Berenices, Leo, Crater, Corvo, Hydra

Algumas Informações Interessantes acerca esta Constelação:

Esta constelação é imensa e cortada pelas Linhas da Eclíptica e pela do Equador Celestial.  Existe o entrelaçamento destas duas Linhas - o que podemos traduzir como o Ponto do Equinócio de Outono, que acontece bem próximo à estrela Beta Virginis, Zavijava, situada na cabeça da Virgem. (É interessante conhecermos o fato de que o eclipse solar de 21 de setembro de 1922, aconteceu próximo a esta estrela e que foi por Einstein usada para confirmar sua teoria).


Mario Jaci Monteiro , As Constelações, Cartas Celestes

Em termos da Linha da Eclíptica e advindos da constelação do Leão, realizam seus caminhos aparentes o Sol e a Lua e os Planetas, adentrando todos pela Cabeça da Virgem, bem próximos à estrela Beta, Zavijava, e então passando pelo ombro e pelo peito, encontrando Zaniah, e, já na altura da Cintura, situa-se a belíssima Porrima.  Todas essas situações são testemunhadas pelas constelações da Taça e do Corvo, na fronteira ao sul.  Spica, o ramo de trigo na mão da Virgem, é praticamente o último momento em que a linha da Eclíptica toca realmente o corpo virginal, seguindo em direção à constelação da Balança e tendo a Hydra como fronteira ao sul. 

Para que bem possamos compreender a figura delineada da Virgem, algumas estrelas poderão nos servir como referência: 
Spica, Alpha Virginis, apresenta o ramo de trigo carregado pela mão já ao sul da linha da Eclíptica, com a Hidra como testemunha; 
Zavijava, Beta Virginis, aponta para o alto de sua cabeça, possivelmente já na altura da testa, com o Leão como testemunha;
Zaniah  situa-se em um de seus peitos e Porrima, em sua cintura.  
Caphir situa-se no cotovelo do braço esquerdo da Virgem e Vindemiatrix no ponto onde a mão esquerda segura seus longos cabelos (em alguns lugares se diz que esta mão segura um lírio, símbolo da pureza virginal), com a Cabeleira de Berenice como testemunha. 
Heze situa-se na coxa da perna esquerda e Syrma, entre o joelho e a panturilha da perna direita. 
Finalmente, Shambaliah situa-se ao pé da Virgem.  O Boieiro e a Cabeça da Serpente testemunham a perna esquerda e os pés da Virgem, respectivamente.
Existe também a interpretação de um Canil, formado pelas estrelas Beta, Eta, Gamma, Alpha, Zeta, Epsilon e Delta Virginis.  Eu diria que esta figura formada também pode ser compreendida como uma pandorga, papagaio, pipa soltada ao vento e ganhando os céus...
Se você quiser olhar mais de perto a Carta Celeste da constelação de Virgo, acesse http://sobrevirgo.blogspot.com


URANO Em 11 de dezembro de 2011, URANO, o Deus dos Céus Estrelados, retomou seu movimento direto nas proximidades da fronteira da constelação dos Peixes, onde vem mergulhando abissalmente desde o ano passado e por onde ainda continuará abissalmente mergulhado por cerca de mais sete anos à frente....  O Planeta Verde estará nadando cerca de sete a oito graus nos mares dos Peixes até finalmente engendrar seu movimento de marcha-a-ré no miolo do mês de Julho, recuando aparentemente cerca de três a quatro graus até que, no miolo do mês de dezembro de 2012, estará novamente retomando seu movimento direto.  Veja a carta celeste para a constelação dos Peixes, mais acima, no Texto sobre Vênus.

Certamente, se acaso você tiver um bom telescópio em casa, poderá tentar encontrar o Planeta Verde nadando entre as estrelinhas bem pouco iluminadas da constelação dos Peixes, não custa tentar! 

Em Fevereiro, Urano já começa a apresentar um pequeno andamento.  A Ascensão Reta para URANO fica entre 01o.55’ e 03o.09’ e a Declinação fica entre 00N03 e 00N36

Ao final do mês de Setembro, aproveite a boa oportunidade do tempo de Oposição entre SOL e URANO e use sua aparelhagem de astronomia buscando bem focalizar o Planeta Verde, URANO...


Netuno, o deus dos sonhos e dos mares, encontra-se na fronteira entre as constelações do Capricórnio e do Aquário - onde esteve ao longo do ano de 2011 e por onde ainda pretende estar ao longo do ano de 2012, em função de seu andamento bem lento, realmente.   Veja as cartas celestes para as constelações do Capricórnio e de Aquário, mais acima, no Texto sobre o Sol.

NETUNO é um Planeta bem longínquo e exige aparelhagem consistente para ser observado em telescópios bem simpáticos. 

Em Fevereiro, a Ascensão Reta para NETUNO fica entre 332O.11’ e 333o.12’  e a Declinação fica entre 12S01 e 11S38.

Por volta do dia 24 de Agosto, aproveite a boa oportunidade do tempo de Oposição entre SOL e NETUNO e use sua aparelhagem de astronomia buscando bem focalizar o Planeta Azul, NETUNO.....


O APARENTE CAMINHO DA LUA
AO LONGO DO MÊS DE FEVEREIRO DE 2012

Olhe para o céu e aproveite para saber um tantinho mais sobre os Mitos e Dados Técnicos de algumas Estrelas e Constelações que iluminam o Céu Estrelado!

NÃO PERCA! 
Ao longo do mês de Fevereiro, aproveite para bem observar o horizonte oeste após o poente do SOL trazendo a belíssima visão de dois Planetas realmente esplendorosos: VÊNUS, a Bela da Tarde, a Estrela Vespertina, e JÚPITER, o Deus do Olimpo, Deus dos Deuses, a cada noite aproximando-se mais e mais um do outro - união  abençoada pela visita da LUA ao finalzinho do mês.

Vá observando o andamento próprio de cada um desses Planetas a cada noite e ao mesmo tempo vendo o quanto VÊNUS vai estar se aproximando de JÚPITER, um tantinho a cada noite: bem ao comecinho do mês de Fevereiro, a distância entre VÊNUS e JÚPITER será de bem mais de um palmo inteiramente aberto contra a abóbada celeste.  Por volta do dia 10, a distância já estará bem mais encurtada, realmente.  No miolo do mês, VÊNUS vem realmente ansiosa por encontrar-se com JÚPITER - encontro esse que acontecerá efetivamente somente em Março e será descrito em nossa edição para aquele mês -, encurtando a distância entre ambos a olhos vistos.  Já para os dias finais do mês de Fevereiro, a Bela da Tarde e o Deus do Olimpo estarão distanciados cerca de apenas um palmo fechado e a passagem da LUA por ambos assinalará este desejo de união entre as luzes planetárias mais belas no céu!  Os dias finais de Fevereiro estarão nos  brindando com esta maravilhosa visão de Selene beijando VÊNUS e JÚPITER e, para quem tiver a oportunidade de estar em lugar de horizonte oeste baixíssimo e bem plano, é possível que possa observar a presença de MERCÚRIO, brilhando com sua luz amarelada intensa e até piscante, ainda dentro do céu amarelado do cair da noite recente, imediatamente após o poente do Sol.


Observe um tantinho de Mecânica Celeste:

Se você puder observar o céu estrelado durante todo o mês de Fevereiro, poderá bem compreender o fato de que esses Planetas, VÊNUS e JÚPITER, as estrelas e suas constelações, todo o céu parece ‘andar’ e ser ‘engolido’ pelo horizonte oeste um tantinho a cada noite e ao mesmo tempo nos revelando novos surgimentos de estrelas e suas constelações - bem como a chegada dos Planetas MARTE e, algum tempo depois, SATURNO -, no horizonte leste acontecendo cada vez mais cedo.


As Fases da Lua
e os bons e os não tão bons Tempos de Observação
das Estrelas e suas Constelações:

Aproveite os tempos de Lua pós Cheia até os tempos de Lua Minguante e ainda entre Lua Minguante e Lua Nova ...... - e isso significa todo o grande miolo do mês de Fevereiro -, para bem poder apreciar as estrelas e suas constelações. 
Quando é tempo de Lua pós Cheia, aproveite para observar o céu estrelado ainda escuro e transparente, ainda antes dos clarões no horizonte leste anunciando a chegada da Lua. 
Quando é tempo de Lua Minguante, esta chega a partir da meia-noite, nos proporcionando bons  pares de horas de céus escuros e transparentes. 
Quando é tempo de quase Lua Nova, temos praticamente a noite inteira para bem nos deliciarmos com nossa observação das estrelas e suas constelações, sem dúvida alguma! 
E quando é tempo de Lua Nova buscando tornar-se Lua Crescente, sempre podemos ainda usufruir de algumas poucas noites, com a Lua se pondo no horizonte oeste cedo e nos proporcionando o restante da noite para nossa observação em céus escuros e transparentes.
Durante os tempos de Lua Crescente querendo se tornar Lua Cheia, a noite nos encanta, sim, porém as estrelas e suas constelações desaparecem, escondem-se nas coxias do grande palco da abóbada celeste - noites perfeitas para poetas, seresteiros e enamorados.... mas nem sempre interessante para a observação em céus mais escuros e transparentes.

LUA CHEIA - dia 07, na fronteira entre as constelações do Câncer e do Leão.
LUA MINGUANTE - dia 14, na constelação da Balança e já intencionando adentrar a Cabeça do Escorpião.
LUA NOVA - dia 21, na constelação do Aquário.
DIA 29 -  A LUA CRESCENTE acontece bem ao final do dia 29, para os lugares com mais de duas horas à frente do Meridiano Inicial, em Greenwich, Londres
DIA 01 DE MARÇO - LUA CRESCENTE (gmt 01:23)


DIA 01 -  A LUA inicia sua jornada no mês de Fevereiro ainda se recordando de seu belíssimo encontro com JÚPITER, o Deus dos Deuses e dos Homens, na constelação de Áries com suas duas estrelas ponteadoras, Hamal e Scheratan, dois dias antes, ao final do mês de Janeiro (neste Trabalho, leia mais sobre a constelação de Áries no texto sobre JÚPITER).   Agora a LUA está voltada para adentrar os campos onde o Touro pasta e faz isso encontrando-se com as Irmãs Chorosas, as Pleiades, um aglomerado aberto e que sempre encanta nossos olhos e nosso coração, podendo ser visualizado somente em lugares de céus escuros e transparentes e que a mim me parece como um singelo terço de beleza ímpar e sutil, onde sempre queremos rezar e nos encantar. 

DIA 02 -  A LUA continua seu passeio pelos campos do Touro e nesta noite estará se apresentando conjugando-se à belíssima estrela Alpha Tauri, Aldebaran, que faz parte decorativa somente ao Aglomerado aberto e em movimento, as Hyades - pois que Aldebaran não pertence a este aglomerado. Saiba mais sobre a constelação do Touro, sua estrela Alpha, Aldebaran, e os Aglomerados abertos, Pleiades e Hyades, acessando http://oceudomes.blogspot.com e busque por nossa edição de Janeiro de 2012.

DIA 03 - A LUA parece querer dedicar-se muitíssimo ao seu passeio pelos campos taurinos, ao mesmo tempo que vai cada vez mais engordando e crescendo a olhos vistos, sempre galgando os céus em direção ao horizonte oeste onde pretende realizar sua Oposição  ao SOL no próximo dia 07.  Aproveite para bem começar observar a LUA ainda na parte final da tarde, contra o pano de fundo do céu azul anil, nesses próximos dias até a LUA tornar-se Cheia.  Por causa da iluminação sempre crescente que a LUA já vem nos oferecendo, a Via Láctea começa a desaparecer, que pena, exatamente nestas vicinitudes por onde a LUA vem passando....  De qualquer forma, você sempre poderá levar seu olhar para bem observar o Gigante Órion
(Esta é uma constelação muito interessante e a linha do Equador celestial passa por ela exatamente em sua estrela Mintaka, Delta Orionis, que faz parte do famoso Cinturão de Orion, mais popularmente conhecido como As Três Marias) . 
O Gigante Caçador é seguido bem de perto pelo Cão Maior que, orgulhosamente, sempre exibe sua Estrela Alpha, Sirius, a mais bela de todas as belas estrelas dos céus estrelados. Sirius, em função de sua proximidade, é conhecida como a estrela mais brilhante.  A bem da verdade, muitíssimas outras estrelas são mais brilhantes do que Sirius porém situando-se extremamente mais distanciadas e portando parecendo bem mais pálidas do que esta estrela tão próxima a nós.

DIA 04 -  A LUA despede-se do Touro e dirige-se para uma conversa sempre muito alegre e profícua com os Gêmeos Castor e Pollux.  A constelação Gemini situa-se entre Cancer, Lyinx, Auriga, Taurus, Orion, Monoceros e Canes Minor.  A LUA começa a escalar os pés e as pernas dos Gêmeos.

DIA 05 - LUA continua engordando e mais e mais iluminando os céus porém se apagar a luz intensa advinda das Estrelas Alpha e Beta Geminorum:
Castor.  Alpha Geminorum.  Estrela Dupla Ascensão Reta 07h 33,3m - Declinação + 31o 56’ Magnitude visual 1,99 e 2,9 - Distância 45 anos-luz Distância entre estrelas 2”,47. Uma estrela binária,  branco brilhante e branco pálido, situada na cabeça do Gêmeo ao norte.  Representa Castor, o mortal entre os dois Gêmeos, famoso por suas habilidades em domar e tratar cavalos.  Leda, esposa de Tindarus, rei de Esparta, é a mãe de Castor e Pollux. 
Pollux - Beta Geminorum. Ascensão Reta 07h44,1m - Declinação +28o.05 Magnitude visual 1,21 - Distância 35 anos-luz. Uma estrela alaranjada situada na cabeça do Gêmeo ao Sul.  Representa Pollux, filho de JÚPITER e Leda, e é o imortal entre os gêmeos,  famoso por sua habilidade no boxe.  Muitas vezes chamado de Hercules e simbolicamente nomeado como um Juiz sem Coração.




Mario Jaci Monteiro , As Constelações, Cartas Celestes    

DIA 06 -  LUA despede-se dos Gêmeos Castor e Pollux e dirige-se para a constelação de Câncer, lugar de estrelinhas nada proeminentes mas ao mesmo tempo lugar que acolhe em seu âmago o Presépio, M44, absolutamente impossível de ser observado nestes tempos de LUA quase Cheia!  A bem da verdade, para bem podermos observar a constelação de Câncer e suas preciosidades, é preciso que estejamos em lugar de céus escuros e transparentes e usarmos da vista enviesada, volta e meia, para bem visualizarmos o Presépio..., ou senão, nos munir com um simpático par de binóculos para realizarmos esta empreitada encantadora.  O Presépio também é conhecido como a Colméia de Abelhas.

DIA 07 - LUA CHEIA - na fronteira entre as constelações do Câncer e do Leão.  Finalmente, a LUA encontra-se em Oposição exata ao SOL, formando a LUA Cheia dos boêmios, enamorados e seresteiros.   Em tempos de LUA Cheia, a luminosidade é tanta que mesmo no Sítio das Estrelas ou em outros lugares de céus escuros e transparentes, a grande maioria das constelações e suas estrelas simplesmente desaparecem.... e permanecem no céu apenas as estrelonas, ou seja, as estrelas de primeiríssima grandeza ou as demais que as seguem em luminosidade aparente. 

Certa vez, um amigo meu astrônomo amador me disse que os antigos desenhavam os mapas das constelações em tempos de LUA Cheia.  Eu, pessoalmente, não acho que seja assim não...., a não ser que isso acontecesse em momento de eclipse total da LUA quando o céu estrelado vai escoando a luminosidade da LUA e vai acolhendo a luminosidade das estrelas e suas constelações!  Pouco a pouco, as estrelas vão surgindo, vão reaparecendo, vão saindo de seus refúgios da luminosidade da LUA que vai enfraquecendo à medida que o corpo de sombra da Terra avança cobrindo o corpo lunar.  O bom do eclipse lunar total é que dura um grande tempo.... para, de repente não mais do que de repente, a escuridão sair de seu breu coberto de luzes estelares e a LUA deixar aparecer um tantinho de sua luz: é o corpo de sombra da Terra começando a abandonar o corpo lunar. Novamente as estrelas buscam por seus desaparecimentos, escondendo-se nas coxias escuras e deixando o palco celeste com seu spot lunar apenas deixando as grandes estrelas dizerem seus textos próprios.  Infelizmente o ano de 2012 não nos brindará com o espetáculo grandioso de um eclipse total da LUA.

Dia 08 - Máximo da Chuva de Meteoros Alfa-Centaurídeas, ou seja, o radiante do momento máximo advém próximo à Estrela Alpha Centauri, Rigel Kentaurus ou Bungula ou Toliman.  No entanto, será tempo de LUA Cheia e esta é uma questão que certamente estará impedindo nossa boa visão dessa Chuva de Meteoros, infelizmente.  Saiba mais sobre a Estrela Alpha Centauri, Rigel Kent, e sobre a constelação do Centauro bem ao começo desse nosso Trabalho. 

DIA 09 -  A LUA agora encontra-se nos campos do garboso Leão, já tendo se encontrado com Regulus, sua pata, e vem passeando ao longo do corpo estrelado do rei dos animais.  Existe uma outra luz interessante passeando pelos campos do Leão: é MARTE, o Planeta Vermelho.  Saiba mais sobre o atual andamento de MARTE e sobre a constelação do Leão, retornando algumas páginas, neste Trabalho.

DIA 10 -  Na noite alta do dia 10 de fevereiro por volta das duas horas da madrugada (três da matina, ainda em horário de verão) a LUA estará se conjugando a MARTE com ambos bem próximos ao zênite e à Estrela Beta Leonis, Denebola: toda esta cena estará sendo observada de perto por SATURNO, que se encontra em Virgem, um tantinho depois de Spica, a Estrela Alpha Virginis.  Saiba mais sobre o andamento de SATURNO e sobre a constelação da Virgem e suas estrelas, retornando algumas páginas neste Trabalho ou mesmo acessando a edição de Janeiro deste Trabalho ou até acessando http://oceudomes.blogspot.com para um maior aprofundamento sobre esta constelação que a olho nú parece tão virginalmente simples, cândida, mas que, através binóculos, telescópios e grandes instrumentos ópticos girando em torno do nosso Planeta, nos são revelados segredos imensos em galáxias e mais galáxias, aglomerados de galáxias... 
Richard H. Allen nos diz que Sir William Herschel, em seu tempo de um passado ainda não tão distante de nós, encontrou entre a estrela Denebola, Beta Leonis, e as estrelas Beta, Gamma, Eta e Delta Virginis nada menos do que 323 nebulosas, que mais tarde foram acrescidas para mais de 500 - ou seja, muito mais nebulosas do que as estrelas vistas a olho nu nesta constelação.  Ao longo dos tempos, a maior parte dessas  ‘nebulosas’ vêm se transformando em aglomerados, em galáxias, em conjunto de galáxias...  

DIA 11 - Perigeu da LUA (mínima distância entre Terra e LUA: 360 mil kms.).  Deixando os campos onde o Leão ruge, a LUA dirige-se para sua entrada pelos cabelos e pela cabeça e pelo rosto da Virgem.  SATURNO encontra-se mais adiante, pacientemente aguardando a proximidade da LUA que, por sua vez, apresenta-se murchando um tanto a cada noite, diminuindo sua luz, LUA boêmia, chegando cada vez mais tarde no horizonte leste e assim nos proporcionando um bom tempo de céus escuros para podermos observar as estrelas e outros objetos interessantes, seja a olho nú ou seja através um bom par de binóculos ou mesmo através um simpático telescópio!

DIA 12 - LUA em Conjunção a SATURNO.  No entanto, quando a noite chegar, veremos a LUA já mais adiantada, já tendo realizado seu encontro com o Senhor do Tempo, já deixando a bela Virgem e buscando seu lugar na constelação da Balança.  Antigamente, Libra não era considerada uma constelação em separado e sim parte do Escorpião, suas Garras.  A bem da verdade, quando olhamos para o céu estrelado em lugares de céus escuros e transparentes, bem podemos entender esta questão: realmente as duas estrelas ponteadoras de Libra mais parecem atuar enquanto as garras do Escorpião, sim.

DIA 13 - Quando a noite alta chegar, após a meia-noite, já madrugada do dia 14, podemos observar a LUA já tendo realizado seu encontro com o prato sul da Balança, Zubenelgenubi (estrela que se situa exatamente na Linha da Eclíptica), e também realizando seu encontro com o prato norte, Zubenelschemalli.   SATURNO ainda na constelação da Virgem e, mais ao alto, MARTE na constelação do Leão, são testemunhas desses encontros lunares.

DIA 14 - LUA MINGUANTE -  na constelação da Balança e já intencionando adentrar a Cabeça do Escorpião.  A LUA Minguante surge no horizonte leste à meia-noite.  É interessante se notar que, em lugares escuros e transparentes, assim como no Sítio das Estrelas, onde moro, a luminosidade da LUA Crescente é inteiramente diferente da luminosidade da LUA Minguante - mesmo que estas duas fases signifiquem LUA pela metade!  Eu penso que a luminosidade da LUA Crescente é bem mais luminosa, digamos assim, enquanto que a luminosidade da LUA Minguante mais me parece como uma lamparina tremulante, fraquejante, bruxuleante, esmaecida em sua luz também minguante.

DIA 15 -  LUA deixando a Balança - ou as Garras do Escorpião - e entrando no animal rastejante dos céus estrelados através sua Cabeça, sempre passando próxima à estrela Acrab:
Acrab.  Beta Scorpii. Estrela Dupla AR 16h02m  Dec. - 19o.40
Magnitude visual 2,9 e 5,1  Distância entre estrelas 13”,63  Uma estrela tripla, branco pálido e lilás, situada na cabeça do Escorpião. Esta estrela é também conhecida por Acrab, nome árabe que deu origem à constelação do Escorpião. 
Quando a noite do dia 15 chegar, você terá um bom tempo para observar o céu estrelado e ver surgirem no horizonte leste MARTE e depois, SATURNO, e então, aguardando mais um tantinho, ver surgir a LUA já murchenta e boêmia já tendo se encontrado com Antares, a gigante vermelha rival de MARTE, Anti Ars, e Estrela Alpha Scorpii, também chamada de o Coração do Escorpião. 

Agora que a LUA vem chegando na alta madrugada, teremos tempos suficiente para observarmos as estrelas e suas constelações desde o cair da noite.  Primeiramente, os tempos imediatamente após o ponte do SOL, servem sempre para nos trazerem a maravilhosa visão de Vênus e de Júpiter buscando encontrarem-se nos céus dôo horizonte oeste, cada noite mais próximos, cada noite mais ansiosos por unirem-se em suas luzes maravilhosas!

Então, por que não nos deixarmos deliciar com a imensa faixa do rio leitoso, a Via Láctea se apresentando desde o norte  através Perseus, o Herói, trazendo consigo a Cabeça da Medusa iluminada por sua Estrela Algol, sempre nos surpreendendo pelas mudanças que lhe vão acontecendo........ ainda ao norte, nos apresentando a belíssima Alpha Aurigae, Capela, a estrela mais brilhante da constelação do Cocheiro?  A beleza das Pleiades é sempre um tom de delicadeza e de emoção em nossa visão noturna e sempre o amarelado intenso de Aldebarã, Alpha Tauri, aparece de maneira a iluminar mais ainda as Hyades. 

Ainda deslizando nosso olhar através o rio leitoso, o leito de algodão da nossa Galáxia, encontramos a beleza imensa do Gigante Órion - que sempre merece ser visto por inteiro, em quase todas suas estrelas visíveis a olho nú, em lugares de céus escuros e transparentes: seu elmo, seu escudo, sua clava e, sem dúvida alguma, seu Cinturão trazendo sua Espada....  A Espada de Órion é sempre um objeto absolutamente maravilhoso de ser visitado por nossos olhos nus ou por nossos olhos através binóculos ou  mesmo telescópios: berço de estrelas! 

Em lugares de céus escuros e transparentes, buscamos por Rigel, um dos pés do Gigante Caçador e dali podemos partir navegando, sinuosamente, através as estrelinhas tímidas do Rio Eridanus, saudando a Baleia Cetus que se despede no horizonte oeste e continuando enredilhados, até a Foz do Rio, em Achernar, Alpha Eridanus, verdadeira jóia dos céus do sul, bem ao sul, realmente.  Neste ponto encontramos com duas verdadeiras nuvens, verdadeiros suspiros de estrelas mostrando-se através nuvens (que são chamadas na roça de As Mulas do Presépio) vistas a olho nú - as Nuvens Grande e Pequena de Magalhães -, ou vistas através binóculos e, fundamentalmente, buscadas e rebuscadas através telescópios (quanto mais potentes, melhor!).


Grande Nuvem de Magalhães - foto de John P. Gleason - infelizmente não sei dizer a fonte

Pequena Nuvem de Magalhães - infelizmente não sei dizer sobre os créditos e fonte

Seguimos nossa viagem através o rio leitoso da Via Láctea e nos deparamos com a mais bela de todas as belas, Sirius, Alpha Canis Majoris.  E nosso olhar voltado para o sul continua nos emocionando com a entrada em cena do Navio, desmembrado em Popa, Vela e Quilha (Carina), sempre conduzido por seu piloto Canopus.  Para nós, moradores do hemisfério sul, o Navio aparece inteirinho diante de nosso olhar e logo ali, não muito distante de onde estamos.  Eu fico sempre pensando que o navio para os moradores do hemisfério norte fica realmente distante e expansivado, um imenso, largo Navio, realmente - assim como temos a impressão de que as pernas da Ursa Maior são imensas e distanciadas entre si....

Seguindo em direção ao Cruzeiro do Sul e ainda mergulhados no rio leitoso da Via Láctea, podemos nos deixar embevecer pela Caixa de Jóias e por tantas outras uniões estelares que podem ser apreciadas a olho nú, certamente, mas que vão nos apresentando suas riquezas através a magnificação das lentes ópticas.

Com a entrada do Cruzeiro do Sul em cena, podemos observar com maior clareza, a meu ver, as estrelas e suas constelações que habitam os céus do sul, em torno do ponto mais ao sul, e certamente sempre podemos delinear a Mosca, o Triangulo Austral, Hydro, Pintor, Dorado.... 

DIA 16 -  Depois de seu encontro com Antares, o Coração do Escorpião, encontro de LUA boêmia com a estrela rival de MARTE, podemos observar o fato de que a LUA deixa o Escorpião e ingressa na décima-terceira constelação do Zodíaco, Ophiucus. 
Ophiucus situa-se entre as constelações Serpens Cauda e Serpens Caput (e todas três acabam formando um conjunto imenso de situações entrelaçadas), e também Scorpius, Sagittarius, Scutum, Aquila, Hercules, Corona Borealis, Libra. 
Confesso que tenho uma certa dificuldade de bem delinear as figuras do Serpentário, Ophiucus, e da Serpente em sua Cauda.  Acho, no entanto, muito interessante poder observar a Cabeça da Serpente, formando uma figura interessantíssima, de estrelas bem tímidas e que podem ser vistas apenas em lugares de céus escuros e transparentes, e apontando para a belíssima e também pouco proeminente constelação da Coroa Boreal, verdadeira jóia dos céus do norte (sempre bem guardada pela Cabeça da Serpente).

DIA 17 -  A LUA deixa o Ophiuco e passa próximo
ao ponto de onde se vai para o centro da nossa Galáxia... , ingressando na constelação do Sagitário, constelação que pode ser visualizada formando um verdadeiro Bule de Chá.
Fronteiras: Sagittarius situa-se entre as constelações Corona Australis, Telescopium, Microscopium, Capricornus, Aquila, Scutum, Serpens, Ophiucus, Scorpius.  Quando olhamos para a constelação do Sagitário, estamos olhando diretamente em direção ao centro de nossa Galáxia, obscurecida por nuvens de estrelas e de material interestelar.  É possível observar o núcleo da Galáxia, entretanto, através ondas infravermelhas ou de radio.  O núcleo da Galáxia contém uma forte fonte de emissão de radio designada como Sagitário A.  A constelação do Sagitário contém muitos aglomerados estelares e nebulosas que estão entre os objetos mais adoráveis em seus tipos.


Mario Jaci Monteiro , As Constelações, Cartas Celestes

DIA 18 -  É interessante mantermos em mente o fato de que a LUA continua mais e mais boêmia, ou seja, surgindo no horizonte leste cada vez mais madrugada adentro, já, na verdade, no mesmo momento em que o galo da roça começa a anunciar um novo dia!  Sendo assim, sempre em momentos de LUA Minguante já querendo se tornar LUA Nova, temos o céu inteirinho ao longo de praticamente toda a noite e toda a madrugada para podermos estudá-lo bem minuciosamente, céus escuros e transparentes, naturalmente.

Nossa viagem através o rio leitoso e de estrelinhas de algodão, a Via Láctea, continua, agora podendo nos apresentar o Centauro por inteiro, sempre rodeando quase toda a Crux e sempre clamando nossa atenção para suas duas estrelas ponteadoras, Alpha e Beta Centauri, Rigel Kent e Agena - saiba mais sobre estas estrelas ao começo desse nosso Jornal!

Observarmos, ao longo da noite, que quando a Via Láctea começa a querer apresentar a constelação do Escorpião, o Gigante Caçador Órion se esconde atrás do horizonte oeste - dura sina para o Caçador, felicidade para o animal rastejante dos céus estrelados!  O rio leitoso e de estrelinhas de algodão da Via Láctea começa a movimentar-se de maneira diferenciada, buscando um lugar mais ao sul e nos deixando entrever de maneira mais nítida as estrelas e constelações do Caminho da Eclíptica e aquelas mais ao norte.  É tempo, então, de estudarmos mais aprofundadamente as constelações mais tímidas - como Câncer acolhendo o Presépio em seu ventre delicado, como a Hidra Fêmea que tem sua cabeça próxima ao Câncer e depois apresenta seu coração amarelado da Estrela Alpha Alphard, e que vai serpenteando constelações como a Taça, o belíssimo vôo do Corvo, o rei dos animais do céu, a Virgem, concluindo seu rastejar aos pés da Libra; como o Leão sendo visitado pelo guerreiro Marte, como a Virgem escondendo seus segredos mas os revelando a Saturno que ali vem transitando, como os dois pratos da Balança....; não podemos nos deixar de surpreender, sempre, com a luz intensa e amarelada e chamativa de Arcturus, Alpha Bootes, ao lado da belíssima Coroa Boreal com suas pedras preciosas sendo guardadas pela cabeça da Serpente que Ophiucus segura e reparte em Cauda e Cabeça.... ; e sempre podemos nos divertir um tantinho buscando delinear a figura de desenho estelar interessante do Homem Ajoelhado, Hercules.

Ah, sempre que estivermos em lugares de céus escuros e transparentes e em noites sem Lua, por que não buscarmos e encontrarmos Coma Berenices, a Cabeleira de Berenice, uma das constelações mais emocionantes que já pude observar, em suas estrelinhas extremamente tímidas, aqui, no Sítio das Estrelas, entre o Leão e a Virgem e o Boieiro.

DIA 19 - Sagitário com seu Bule de Chá e sua Terrina de Leite - Existe um Asterismo denominado de O Bule de Chá, composto pelas estrelas Gamma, Epsilon, Delta, Lambda, Fi, Sigma, Tau e Zeta Sagittarii.  Outro Asterismo, conhecido por Carro de Leite (ou Concha de Leite), Milk Dipper, a Terrina de Leite, é composto pelas estrelas Zeta, Gamma, Sigma, Fi e Lambda Sagittarii - começa a sair de cena em relação à visita da LUA quase Nova, já quase impossível de ser visualizada por nossos olhos por se encontrar em horizonte leste baixíssimo, inteiramente plano.  Visíveis nos céus da madrugada, somente os Planetas SATURNO e MARTE, pois os demais Planetas visíveis encontram-se no seguimento ao SOL - o que MERCÚRIO não pode ser visto por estar muito próximo ao SOL mas VÊNUS e JÚPITER ainda surgem nos céus mais aproximados ao oeste, ao cair da noite.  A LUA passa a adentrar a constelação do Capricórnio.

DIA 20 - Ao longo do dia, a LUA caminha pela constelação do Capricórnio, porém sempre na intenção de se encontrar próxima ao SOL, que se encontra ao comecinho da constelação do Aguadeiro, lugar onde LUA e SOL estarão finalmente realizando seu encontro mensal. Posicionamento: Ascensão Reta 20h4m / 21h57m   Declinação -8o.7 / -27o.8  Fronteiras: A constelação de Capricornus faz fronteira com Pisces Austrinus, Aquarius, Áquila, Sagittarius, Microscopium. 
A constelação do Capricórnio é composta por estrelas bem pouco proeminentes e assim pode ser bem visualizada somente em lugares de céus escuros e transparentes.  Eu sempre penso que esta constelação mais se assemelha a uma ‘fraldinha’, por se apresentar em figura bem triangular, digamos assim.  A bem da verdade, o caminho da Eclíptica dentro dessa ‘fraldinha’ é bem pequeno com SOL e LUA e os Planetas logo distanciando-se desse pequeno triângulo, já entremeando-se com as estrelinhas bem ziguezagueantes da constelação do Aguadeiro.

DIA 21 -  LUA NOVA - na constelação do Aquário.  Posicionamento:  Ascensão Reta 20h36m / 23h54  -  Declinação + 3o 1’ a - 25o 2’  Fronteiras: A constelação de Aquarius faz fronteira com Pisces, Pegasus, Equuleus, Delphinus, Aquila, Capricornus, Pisces Austrinus, Sculptor. 
O Aguadeiro é uma constelação muitíssimo interessante de ser observada, realmente, porém somente em lugares de céus bem escuros e bem transparentes pois suas estrelinhas são extremamente tímidas e vão formando desenhos que eu denomino de ‘ziguezagueantes’ - talvez você tenha que ver essa questão com seus próprios olhos, caro Leitor, para bem entender sobre o que estou falando.  A verdade é que eu sempre me delicio imensamente quando estou sob esta constelação pois passo horas a fio tentando desvendar onde realmente começa e onde realmente termina e onde se embrenha muitíssimo com as estrelinhas também tímidas da constelação dos Peixes. 

DIA 22 - LUA em Conjunção com MERCÚRIO, ainda em Aquário e ainda ambos distante de nossos olhos ansiosos.  LUA continua mergulhada nas ondas de estrelinhas ziguezagueantes do Aquário, já buscando encontrar seu lugar de ressurgimento no horizonte oeste bem baixo.

Quando é tempo de Lua Nova buscando tornar-se Lua Crescente, sempre podemos ainda usufruir de algumas poucas noites, com a Lua se pondo no horizonte oeste cedo e nos proporcionando o restante da noite para nossa observação em céus escuros e transparentes.  Sendo assim, retome a leitura do céu estrelado ao longo da noite no mês de Fevereiro, mais acima, para você poder continuar aprofundando seus estudos sobre as estrelas e suas constelações e também se deixar maravilhar pelos segredos que o céu estrelado sempre nos provê.

DIA 23 -  LUA já podendo ser visualizada como um finíssimo anel de noivado, com seu aro iluminado sendo apresentado aos nossos olhos ansiosos voltados para o horizonte oeste bem baixo, logo após o cair do SOL.  É bem nesse momento que existe uma espécie de comunhão, digamos assim, entre as estrelinhas tímidas do Aguadeiro com as estrelinhas tímidas dos Peixes.  De qualquer forma, VÊNUS está presente neste cenário de horizonte oeste pós-poente solar e nadando abissalmente na constelação dos Peixes, um tanto como se apontando o caminho para a LUA, ansiando pelo encontro entre a Bela da Tarde e Selene, em breve.  JÚPITER, na constelação de Áries e um tantinho mais alto, é testemunha dessas questões.

DIA 24 -  A LUA ingressa na constelação dos Peixes, mergulha em seus mares e já apresenta-se aos nossos olhos como um fino anel que vem ganhando mais e mais um tanto de ouro ou de prata, galgando os céus, em busca de seu encontro mensal com VÊNUS, a Estrela Vespertina.  Para saber mais sobre a constelação dos Peixes, retorne à nossa conversa sobre o andamento de  VÊNUS, neste Trabalho.

DIA 25 - LUA em Conjunção com VÊNUS.  Ah, que maravilhosa visão teremos ao final da tarde, cair da noite,  logo após o pôr-do-sol seguido de perto por MERCÚRIO quase que ainda teimando em não se revelar aos nossos olhos - porém podendo ser visto imediatamente após o poente do Sol e em horizonte oeste bem baixo, plano realmente.  O encontro entre LUA e VÊNUS é testemunhado de perto por JÚPITER!  Temos, portanto, numa só cenário de fim-de-tarde, começo-de-noite, a belíssima visão de três luzes absolutamente estonteantes: VÊNUS sempre maravilhosa, LUA ainda em anel crescente e JÚPITER sempre esfuziante!   Sempre nos parece que Planetas próximos ao horizonte oeste piscam...., sei que existem explicações físicas para tanto mas não me atrevo a explicá-las a você, caro Leitor, digo apenas para você ver com seus próprios olhos e depois me dizer alguma coisa.  Pelo menos com MERCÚRIO, esta receita parece sempre bem funcionar, assim me parece.

DIA 26 - No anoitecer do dia 26 de fevereiro, não deixe de observar o belíssimo espetáculo do encontro entre LUA, em seu momento entre Nova e Crescente, e JÚPITER, ambos bem próximos ao horizonte oeste e sendo testemunhados por VÊNUS maravilhosa Bela da Tarde, Estrela Vespertina, e também por MERCÚRIO, o Mensageiro dos Deuses e dos Homens, possível de ser visto em lugares de horizonte oeste baixíssimo.  O encontro propriamente dito entre LUA e JÚPITER acontecerá na madrugada do dia 27, já distante de nossos olhos.

DIA 27 - Apogeu da LUA (máxima distância entre a Terra e a LUA: 400 mil kms.).  Depois de ter se encontrado com JÚPITER, a LUA segue seu caminho buscando tornar-se LUA Crescente, engordando um tantinho de nada a cada noite e iluminando um tantinho a mais a cada noite.  LUA na constelação de Áries, sempre marcada por suas duas estrelas ponteadoras, Hamal e Scheratan: sobre Áries, você poderá ler mais informações em nossa conversa sobre JÚPITER, mais atrás.  Ainda o cenário próximo ao horizonte oeste após o pôr-do-sol vem nos emocionando: com sorte e em horizonte oeste bem baixo e plano, podemos já identificar a luz amarelada do Mensageiro dos Deuses, MERCÚRIO.  Um tantinho mais acima, ainda VÊNUS, a Bela da Tarde, nos emociona em sua atuação de Estrela Vespertina.  E um tantinho ainda mais acima, JÚPITER continua fazendo a festa nos céus da constelação de Áries. 

DIA 28 -  O mês de Fevereiro já está quase terminando e a LUA segue seu caminho através a constelação do Carneiro, já ansiando por seu encontro com as Irmãs Chorosas, as Pleiades, ao comecinho dos campos onde o Touro pasta.  É certo que a cada noite a luminosidade da LUA vai crescendo e iluminando os campos e as roças e as estradas e nossas vidas, sim, porém, ao mesmo tempo, tal iluminação sempre crescente vai fazendo com que muitas das estrelas que compõem as constelações em torno comecem a se refugiar em suas sombras, desaparecendo diante de nossos olhos, que pena! 

DIA 29 -  LUA encontrando-se com as Pleiades, maravilhoso, encantador, delicadíssimo tercinho de estrelas componentes de um aglomerado aberto que sempre nos emociona!  Ao cair da tarde, início da noite, não deixe de observar o encontro entre Aldebaran, o Olho Iluminado do Touro, Alpha Tauri, estrela alaranjada/avermelhada que faz parte do aglomerado aberto Hyades apenas visualmente... mas que também sempre nos emociona. 

Se você quiser saber mais sobre as Pleiades e as Hyades e sobre Aldebaran, leia na edição de O Céu do Mês em Janeiro, acessando http://oceudomes.blogspot.com.

A LUA CRESCENTE acontece bem ao final do dia 29, para os lugares com mais de duas horas à frente do Meridiano Inicial, em Greenwich, Londres.

DIA 01 DE MARÇO - LUA CRESCENTE (gmt 01:23)



Pleiades (à esquerda) e Hyades, com Aldebaran apresentando-se como a estrela mais proeminente e avermelhada - foto extraída da Internet sem que eu tivesse transcrito a autoria e o crédito, infelizmente.


Temas da Próxima Edição - Março de 2012:

Alguns Eventos Interessantes no Céu do Mês de Março:
O SOL ingressa no Ponto Vernal, também conhecido como Equinócio da Primavera 
  Algumas Palavras sobre o Aparente Percurso do SOL ao longo do ano
 Algumas Palavras sobre a Precessão dos Equinócios ao longo das Eras 
 Apogeu e Perigeu da LUA - Fases da LUA
JÚPITER E VÊNUS encontram-se no céu do cair da noite e fazem a festa para nossos olhos e nosso coração ao longo do mês de Março!  
MOMENTO HIGhLIGHT DO MÊS:
LUA em finíssimo anel dourado/prateado, Lua Recém Nova, encontrando-se com JÚPITER e VÊNUS  e nos encantando a visão nos dias 24, 25 e 26 de Março!  Imperdível!
O Aparente Andamento do SOL em Março de 2012

Planetas, os Deuses estão no Céu
O Andamento Aparente de MERCÚRIO e VÊNUS, MARTE, JÚPITER, SATURNO, Urano e Netuno ao longo do mês de Março

  O Aparente Caminho da LUA ao longo do Mês de Março de 2012:
“As águas de Março fecham o verão” - nos diz Tom Jobim -  e esses tempos nos brindam com as dádivas de observação dos céus estrelados ao longo da noite, tudo isso podendo acontecer ao longo do tempo em que a Lua estiver murchando e boemiamente chegando de madrugada somente - Lua Minguante (a partir do dia 15) - buscando seu tempo de Lua Nova (dia 22) e durante cerca de dois dias de Lua Nova e alguns outros poucos dias em que a  Lua recém Nova estiver buscando seu lugar de Lua Crescente (dia 30), durante os dias finais do mês.



Algumas das Referências Bibliográficas deste Jornal de Fevereiro de 2012:

- Apogeu e Perigeu da LUA e Perihélio são Datas calculadas pelos astrônomos da NASA Fred Espenak e Sumit Dutta (NASA GSFC).
-  V. E. Robson  - Stars and Constellations and Their Mythology – Samuel Weiser Inc., York Beach, Maine, USA
- Ronaldo Rogério de Freitas Mourão  - Atlas Celeste - 6a. Edição - Editora Vozes, Petrópolis, 1986
-    Mario Jaci Monteiro , As Constelações, Cartas Celestes -
Apoio: CARJ/MEC/CAPES/PADCT-SPEC 



COM UM ABRAÇO ESTRELADO,
JANINE MILWARD
Sítio das Estrelas -  Parada de um caminho a Caminho do Céu
janine@powermail.com.br