sábado, 23 de junho de 2012


http://oceudomes.blogspot.com

Sítio das Estrelas e Janine Milward

Apresentam

O JORNAL DO CAMINHANTE

Para os Simples Amantes dos Céus Estrelados


Ano 10 - Edição de Julho de 2012



Temas Apresentados nesta Edição:

Chuvas de Meteoros:
 – Pisces Australídeas, Delta Aquarídeas e Alfa Capricornídeas -

acontecendo em seus momentos de maior atividade bem ao final do mês de Julho. 
Breve Estudo sobre a Constelação do Aguadeiro.

Terra no Afélio: (maior distância entre Terra e Sol – 94.5 milhões de milhas) no dia 04 de Julho

A simpática constelação do Gigante Órion e a Estrela Alpha Canis Majoris, Sírius,
 retornando aos céus estrelados das madrugadas sonolentas.


No dia 12 de Julho, Vênus estará brilhando mais do que nunca
– fato que acontecerá novamente somente em novembro de 2013.


No dia 15, na madrugada sonolenta ainda antes da chegada do Sol, encontro entre Lua em final de ciclo e Vênus e Júpiter e Aldebaran, Alpha Tauri.


No cair da noite do dia 24,  encontro entre Lua, Saturno, Spica e Marte nos céus estrelados


 Sol
Trilhando através os corpos dos Gêmeos Castor e Pollux e em sua visita ao Caranguejo

Mercúrio
Ainda podendo ser observado ao cair da noite dos primeiríssimos dias de Julho, aconchegando-se ao Caranguejo e visitando as estrelinhas-bebês do Presépio, M44

Vênus e Júpiter
Retornando em excelente estilo aos céus estrelados, na constelação do Touro e próximos à Estrela Alpha Tauri, Aldebaran, o Olho Iluminado do Touro, porém nas madrugadas sonolentas e com o canto do galo despertando a natureza. 

Saturno
Continuando em seu acompanhamento à Estrela Alpha Virginis, Spica, Alpha Virginis,

Marte
Percorrendo o corpo da Virgem em busca do encontro com o Senhor dos Anéis e o Ramo de Trigo na mão virginal.

Lua, doce e mutável Lua
 Em seus Encontros com Constelações, Estrelas e Planetas!   


 
Caro Amigo das Estrelas, Caminhante do Céu e da Terra:

Eu sou absolutamente apaixonada pela visão do céu estrelado a olho nú e convido você a também me acompanhar nesta viagem estelar.  Moro no Sítio das Estrelas, Latitude 22s52 e Longitude 43w00 e, portanto, meus textos apresentam a visão que tenho do céu a partir desse ponto no Planeta Terra. 

Os Textos que traduzo e apresento e/ou que escrevo tendem a poder atender aos Caminhantes leigos como também aos Caminhantes que já vêm caminhando um tantinho no Caminho da compreensão de alguns temas básicos e mesmo bem simples sobre a Astronomia e a Mecânica Celeste.
Em minha Página http://oceudomes.blogspot.com , você poderá sempre encontrar meus textos mensais sobre  O Caminho Aparente do SOL, dos Planetas e da LUA.  Nesta Página, você também encontrará meu texto sobre Um Passeio pelo Céu Noturno do Sítio das Estrelas: Breve Roteiro de Viagem Celeste para as Quatro Estações do Ano.
Bons Estudos e Boa Observação!

Com um abraço estrelado,
Janine Milward

Os textos apresentados neste Jornal do Caminhante são, em sua quase maioria, de autoria de Janine Milward.   Ao final deste Trabalho, são encontradas algumas das demais Referências Bibliográficas em relação aos dados técnicos e mitológicos extraídos de Sites e de Livros.
Você pode imprimir e encadernar seu Jornal e também encaminhá-lo,
desde que sempre na íntegra e apresentando sua autoria e seus créditos. 
Obrigada, Janine


 



ALGUNS EVENTOS ASTRONOMICOS INTERESSANTES
 AO LONGO DO MÊS DE JULHO

 
CHUVAS DE METEOROS
– Pisces Australídeas, Delta Aquarídeas e Alfa Capricornídeas -
acontecendo em seus momentos de maior atividade bem ao final do mês de Julho – sendo que a Chuva Delta Aquarídeas será a que apresentará maior número de estrelas cadentes, 20, por hora, em função do fato de que a luminosidade da Lua estará impedindo uma melhor visão.  Sendo assim, os bons momentos de observação deverão acontecer bem em alta madrugada, a partir das duas, três horas da manhãzinha, munidos todos nós com cobertores e café ou chá quente... e muita esperança!


Ilustração (imagem invertida em suas cores originais) extraída do programa Stellarium 0.11.1 e configurada para o ponto-de-vista de um observador no hemisfério sul - Latitude 22s52 e Longitude 43w00


Na Carta Celeste abaixo, demonstrando a constelação do Aguadeiro, veremos que o ponto de Radiante para a chuva Delta Aquarídeas acontecerá próximo à estrela Delta Aquarii, Skat (apontada pela cor amarela), e poderemos ver que as duas outras Chuvas – Pisces Australídeas e Alfa Capricornídeas – acontecerão nas vizinhanças, nas constelações Peixe Austral e Capricórnio.
Ou seja, toda esta parte do céu estrelado estará podendo nos encantar a visão em estrelas cadentes nas noites ao final do mês de Julho, certamente.  
A Lua, ao final do mês de Julho, estará percorrendo seu Caminho através as constelações da Balança e do Escorpião – Lua entre seus ciclos de Crescente e Cheia, ou seja, iluminando os céus estrelados quando a noite cai, já bem alta e próxima ao zênite e sempre buscando seu lugar mais ao Leste, escondendo-se no horizonte oeste por volta de duas, três horas da madrugada e somente então liberando as estrelas cadentes, meteoros, a serem observados através céus mais escuros e transparentes, com as constelações do Capricórnio, do Aquário e do Peixe Austral já bem altas nos céus.
Mario Jaci Monteiro – Cartas Celestes

 
A Lua Nova do mês de Julho acontecerá no dia 19, o que nos trará algumas noites quando Selene estará se escondendo ainda cedo atrás do horizonte oeste ..., nos proporcionando céus escuros e transparentes para bem observarmos as constelações que surgem no horizonte leste e que vão percorrendo a abóbada celeste ao longo da noite.

Sendo assim, por que não aproveitarmos todo esse tempo para realizarmos
NOSSAS OBSERVAÇÕES E NOSSOS ESTUDOS
sobre a
CONSTELAÇÃO DO AGUADEIRO, AQUARIUS:
AQUARIUS, O AGUADEIRO

Posicionamento:
Ascensão Reta 20h36m / 23h54  -  Declinação + 3o 1’ a - 25o 2’

Mito:
O Aguadeiro representa Ganimedes, filho de CallisTo, a mais bela dos mortais.  O rapaz foi carregado para os céus por uma águia para atuar como copeiro de Júpiter.  De acordo com outro mito, seria Deucalion, filho de Prometeus, que foi levado aos céus em memória de um Dilúvio onde somente ele e Pyrra foram salvos.
Algumas Informações Interessantes acerca esta Constelação:
Desde as mais remotas eras, este asterismo foi associado à água, pois o Sol passava por esta região do céu durante as estações da chuva, nos meses de fevereiro.
Nos mais antigos monumentos da Babilônia, já encontramos para representá-la a figura de um homem a entornar a água de um vaso sobre um pequeno peixe, o Peixe Austral.
Para os egípcios, as estrelas Alfa e Omicron do Aquário indicavam o início dos tempos de semeadura, que vinha após as inundações do Nilo.  No tumulo de Ramsés VI este asterismo está representado pela água.

Fronteiras:
A constelação de Aquarius faz fronteira com Céus, Pisces, Pegasus, Equuleus, Delphinus, Aquila, Capricornus, Pisces Austrinus, Sculptor.
Estrelas e outros objetos interessantes, em Aquário:
Existe um Asterismo interessante, O Jarro de Água, composto pelas estrelas Gamma, Eta, Kappa e Zeta Aquarii.


Mario Jaci Monteiro – Cartas Celestes



Sadalmelik. Alpha Aquarii. 
Magnitude visual 2.96
Uma estrela amarelo pálido situada no ombro direito de Aquário, o Aguadeiro.  De Al As’d al Malik, o Felizardo do Rei, O Talismã do Rei.  Essa estrela situa-se bem na linha do Equador celeste, bastante próxima à Ascensão Reta 22h.


Sadalsuud.  Beta Aquarii.
Magnitude visual 2.86 e magnitude absoluta - 4.6 (muito similar ao nosso Sol em classe porém uma supergigante em tipo).
Uma estrela amarelo pálido situada no ombro esquerdo do Aquário.  De Al As’d al Suud, o Mais Felizardo dos Felizardos, Os Bons Augúrios - assim chamado em função de seu nascimento marcando o período de chuva contínua e leve.
Skat.  Delta Aquarii.  07 Peixes 45.
Uma estrela pequena situada na perna direita de Aquário.  De Al Shi’at, um Desejo, ou Al Sak, o Osso da Perna. Também podendo ser traduzida como Decisão
Albali - Epsilon Aquarii
O Sorvedouro, designação de origem árabe da estrela situada no sorvedouro do Aguadeiro.


Ancha  - Theta Aquarii
Quadril, nome árabe que indica a posição da estrela na cintura do Aguadeiro.


Sadachbia - Gamma Aquarii
A Estrela da Sorte, transcrição da expressão árabe Al Sad al Alibiyah.

Situla - Aquarii
Ânfora, nome de origem latina para designar vaso com água usado pelo Aguadeiro.


Zeta Aquarii - Estrela Dupla
AR 22h26m  Dec. - 00o.17
Magnitude visual 4,4 e 4,6  Distância entre estrelas 1”,77



NGC 7293 - Helix Nebula - Nebulosa Planetária Hélice
Ascensão Reta 22h29m.6  Declinação -20o.48
Dimensões 960”x720”  Notas: grande e difusa
Tipo Nebulosa Planetária  NP       Dimensão 13,0        Magnitude 22
Magnitude da Estrela associada 13     





NGC 7009 - Aquarius   - Nebulosa Planetária  Saturno
NGC 7009 Tipo PN    Ascensão Reta 21h04m2    Declinação  -11o.22 
Dimensões  28”x23”  
Notas: Nebulosa Planetária Saturno, pequena, esverdeada e oval
Dimensão  0,5       Magnitude 16
Magnitude da Estrela associada 12           Distância em anos-luz  3,0







NGC 6781 - Nebulosa Planetária
Tipo PN   Ascensão Reta 19h18m5    Declinação 06o.32   Dimensões  111”x109”  
 Nota: Grande e Pálida



http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_6781





NGC 7089 - M 2 - Aglomerado Globular Aquarius
Ascensão Reta  21h32m      Declinação -00o.55
Magnitude fotográfica global 6,9       Diâmetro aparente 6’,8         Tipo Espectral F4
Magnitude média das 25 mais brilhantes estrelas (excluindo as 5 mais brilhantes) 14,77
Número conhecido de Variáveis  22        Distância kpc   12,3
Velocidade Radial (km/s)   - 5
Facilmente observado com a ajuda de um par de binóculos, este aglomerado globular apresenta mais de 50 estrelas visíveis com a ajuda de um telescópio.










No dia 12 de Julho, Vênus estará brilhando mais do que nunca
– fato que acontecerá novamente somente em novembro de 2013.

No dia 15, não perca o encontro entre Lua em final de ciclo e Vênus e Júpiter e Aldebaran, Alpha Tauri, na madrugada sonolenta, antes da chegada do Sol.



No cair da noite do dia 24, o encontro entre Lua, Saturno, Spica, Alpha Virginis, e Marte nos céus estrelados




 




O APARENTE CAMINHO DO SOL
AO LONGO DO MÊS DE JULHO:




Ao longo do mês de Julho, o Sol estará visitando os Gêmeos Castor e Pollux e também, mais para o final do mês, adentrando o brejo onde o Caranguejo mora, terminando o mês já tendo cumprimentado as estrelinhas-bebês que moram no Presépio, M44, o coração de Câncer.



Mario Jaci Monteiro – Cartas Celestes
GEMINI, OS GÊMEOS
Esta constelação representa Castor e Pollux, os filhos gêmeos de Leda e Júpiter.

A origem deste asterismo prende-se à coincidência de estar o sol nesta região do céu no período posterior às inundações do Nilo, precedendo a época da germinação e anunciando a fecundidade.  Inscrições existentes no túmulo de Ramsés VI, do século XIIII AC, mostram dois brotos de plantas no lugar dos Gêmeos: e à semelhança desta representação, no Atlas Celeste de Bayer, Pollux é encontrado armado de uma foice.
Na antiguidade, a constelação dos Gêmeos foi freqüentemente representada pela figura de duas estrelas sobre um navio, pois Castor e Pollux são considerados divindades protetoras dos marinheiros e viajantes.

 
Vimos, em nossa edição do Jornal do Caminhante para o mês de Junho, que o ponto do Solstício acontece bem aos pés dos Gêmeos Castor e Pollux:

NGC 2168 - M 35 - Aglomerado Aberto
Ascensão Reta 06h07m    Declinação +24o.21
Magnitude fotográfica global  5,6   Magnitude fotográfica da mais brilhante estrela 9,0
Distância kpc 0,87  Diâmetro 29’   Tipo Espectral B5
Esplêndido aglomerado aberto, visível a olho nu, a dois graus a noroeste de Eta Geminorum, o Pé Estirado.  Formado por mais de 600 estrelas, está situado à distância de 1.500 anos-luz.  Com um bom par de binóculos, são percebidas algumas estrelas e com um bom telescópio, cerca de 300!

Tejat Posterior- Delta Geminorum
Tejat Prior - Nu Geminorum
Ambas estas estrelas situam-se bem próximas à Eclíptica e vicinais à M35, belíssimo aglomerado aberto posicionado exatamente no caminho da Eclíptica.
Pé, nome proveniente do árabe Al Tahayi, usado para designar as partes superior e inferior do pé de um dos Gêmeos.
Propus - Eta Geminorum
O Pé Estirado, nome grego que procura indicar o fato de esta estrela estar situada no pé estirado de Castor.
Quando o mês de Julho tem seu início, estaremos encontrando o Sol já começando realmente a galgar as pernas dos Gêmeos Castor e Pollux:
Dirah. Nu Geminorum. 
Uma estrela dupla, amarela e azul, no pé esquerdo do Gêmeo ao norte.  De Al Dirah, a Semente ou o Galho.
Alhena. Gama Geminorum.
Magnitude visual 1.93 - Distância 105 anos-luz.
Uma estrela branca e brilhante no pé esquerdo do Gêmeos ao Sul.  De Al Han’ah, uma Marca Queimada.  A Marca de Ferro - denominação árabe formada, na realidade, pelas estrelas Gama e Xi dos Gêmeos, que indica o estigma feito no pescoço dos camelos.
Por volta do dia 04, o Sol passa entre as estrelas Mebsuta e Mekbuda – o Sol passava por este ponto quando eu vim ao mundo...

Mebsuta - Epsilon Geminorum
Magnitude visual 3 - Distância mais de 1.000 anos-luz do Sol.
A Estirada, vocábulo que, na uranografia árabe, refere-se à para estirada do Leão.
Mekbuda  - Zeta Geminorum
A Pata Encolhida, referindo-se à pata encolhida do Leão que os árabes imaginavam na atual constelação dos Gêmeos.


 
Mario Jaci Monteiro – Cartas Celestes



Por volta do dia 10, o Sol já passa a encontrar-se concluindo os troncos dos Gêmeos ao saudar a estrela Wasat:
Vasat. Delta Geminorum. 
Uma estrela dupla, branco pálido e vermelho, situada no braço direito do Gêmeo ao Norte.  De Al Wasat, o Meio - o meio da constelação.


Então, entre os dias 10 e 15, o Sol passa bem próximo à uma Nebulosa Planetária muito interessante, a Cara de Palhaço:

NGC 2392 - Nebulosa Planetária
Uma nebulosa planetária denominada Esquimó ou Palhaço.  Em volta da estrela central de magnitude 10.0 existe um anel interior e brilhante separado por um buraco negro de um anel exterior.


http://en.wikipedia.org/wiki/Eskimo_Nebula

 
NGC 2392 - Gemini  - Nebulosa Planetária - Cara de Palhaço
Ascensão Reta 07h28m       Declinação +20o.57
Tipo Nebulosa Planetária   NP      Dimensão 0,3        Magnitude 18
Magnitude da Estrela associada 10           Distância em anos-luz 10,0


 
NGC 1443 - Gemini  - Nebulosa Resto de Supernova
Ascensão Reta 06h16m       Declinação +22o.36
Tipo Nebulosa Planetária   SN      Dimensão  40,0       Distância em anos-luz  2,0


 
Entre os dias 15 e 20, o Sol encontra-se muito próximo às estrelas Beta e Alpha Gemini, Pollux e Castor, os Gêmeos!

 
Castor.  Alpha Geminorum.  Estrela Dupla
Ascensão Reta 07h 33,3m - Declinação + 31o 56’
Magnitude visual 1,99 e 2,9 - Distância 45 anos-luz
Distância entre estrelas 2”,47
Uma estrela binária,  branco brilhante e branco pálido, situada na cabeça do Gêmeo ao norte.  Representa Castor, o mortal entre os dois Gêmeos, famoso por suas habilidades em domar e tratar cavalos.  Leda, esposa de Tindarus, rei de Esparta, é a mãe de Castor e Pollux.

Pollux - Beta Geminorum
Ascensão Reta 07h44,1m - Declinação +28o.05
Magnitude visual 1,21 - Distância 35 anos-luz
Uma estrela alaranjada situada na cabeça do Gêmeo ao Sul.  Representa Pollux, filho de Júpiter e Leda, e é o imortal entre os gêmeos,  famoso por sua habilidade no boxe.  Muitas vezes chamado de Hercules e simbolicamente nomeado como um Juiz sem Coração.


Mario Jaci Monteiro – Cartas Celestes

 

Entre os dias 20 e 25, o Sol cruza a fronteira entre as constelações dos Gêmeos e do Caranguejo.

 
A partir do dia 25, o Sol saúda o Caranguejo, indo em direção ao seu ventre onde moram as estrelinhas-bebês que habitam o Presépio, M44: assim termina o mês de Julho!
Mario Jaci Monteiro – Cartas Celestes

CÂNCER, O CARANGUEJO
Esta constelação representa o caranguejo que mordeu a canela de Hercules durante sua luta com a Hidra de Lerna e por isso, foi colocado nos céus por Juno, em gratidão ao caranguejo - porque Juno era inimiga de Hercules.
Câncer é uma antiga constelação e uma dentre as doze que fazem parte do Zodíaco.  Há muito tempo atrás, essa constelação atuava enquanto pano de fundo para o Sol quando este atingia o solstício do verão, sua elevação máxima sobre o equador celestial - na latitude 23.5 Norte e este lugar foi conhecido como o Trópico de Câncer.  O movimento de Precessão deslocou este ponto para agora situar-se na fronteira entre Gêmeos e Touro.

A origem desta constelação é duvidosa.  Alguns autores associam-na à semelhança do movimento do Sol, no solstício de verão, com o modo de andar do caranguejo (porque, neste momento, existe a parada aparente do andamento do Sol, em sua extremidade máxima de andamento para o nordeste/noroeste, e seu retorno de andamento aparente até alcançar o solstício do inverno, em sua extremidade máxima de andamento para o sudeste/sudoeste.
Os caldeus já a conheciam.  Os egípcios representavam-na no zodíaco de Denderah como um caranguejo redondo.

 
Acubens.  Alpha Cancri. 
Próxima à Ascensão Reta 9h e Declinação cerca de  12o.
Uma estrela dupla com componentes brancos e vermelhos, situada na garra sul do Caranguejo.  De Al Zubanah, as Garras.

Al Tarf - Beta Cancri
Próxima à Ascensão Reta 8h e Declinação cerca de 9o.
O Fim, designação árabe para indicar a extremidade do pé mais ao sul.


Aselli.  Gama e Delta Cancri. 
Gama é chamada de Asellus Borealis e Delta, de Asellus Australis.
Asellus Australis situa-se exatamente na linha da Eclíptica enquanto Asellus Borealis fica um tantinho mais ao norte, porém ambas na mesma Ascensão Reta, quase 9h.
Aselli representam os anos (jumentos, mulas) escondidos por Baco e Vulcano durante a guerra entre os Deuses e os Titãs.  O berro desses animais assustou de tal forma os Titãs que estes fugiram e os Deuses, em gratidão, carregaram ambos os jumentos e sua manjedoura (O Presépio, M44) para os céus.
As estrelas cor de palha conhecidas como a Mula do Norte (Delta) e a Mula do Sul (Gama), na língua latina asellus, situadas no corpo do Caranguejo.

NGC 2632 - M 44 - Aglomerado Aberto
Ascensão Reta  08h39m     Declinação +20o.4
Magnitude fotográfica global  3,9   Magnitude fotográfica da mais brilhante estrela 7,5
 Distância kpc 0,158      Diâmetro 90’      Tipo Espectral A0
Praesaepe, em Câncer. 
Situado entre as Mulas do Sul e do Norte, contendo mais de 300 estrelas fusionadas e entre Magnitude visual 6 e 12 - verdadeira maravilha de poder ser observada, como se fosse uma lua cheia de estrelinhas tímidas.
Um aglomerado situado na cabeça do Caranguejo, popularmente chamado de Colméia de Abelhas e conhecido pelos chineses pelo nome de Tseih, She Ke, Exalação dos Corpos Empilhados.
O Presépio representa a mangedoura onde Baco e Vulcano esconderam os dois jumentos - veja Aselli, mais acima.



 




O CÉU ESTRELADO DO CAIR DA NOITE,
AO COMEÇO DO MÊS DE JULHO:
Ainda teremos a felicidade de podermos observar Mercúrio já bem próximo ao horizonte oeste e visitando o Caranguejo.  Marte e Saturno visitam a Virgem e encontram-se bem ao zênite.  A Lua apresenta-se visitando o Escorpião, bem ao lado da Estrela Alpha Scorpii, Antares, o Coração do animal rastejante dos céus.  Plutão, ainda em bom momento de ser observado em função de sua recente Oposição ao Sol, pode ser encontrado na fronteira entre Escorpião e Sagitário e próximo ao Escudo:


O CÉU ESTRELADO DA MADRUGADA SONOLENTA
AINDA ANTES DO NASCER DO SOL,
AO COMEÇO DO MÊS DE JULHO:

 
Dois Planetas não podem ser vistos a olho nu: Urano e Netuno.
Urano estará nadando cerca de um palmo nos mares dos Peixes até finalmente engendrar seu movimento de marcha-a-ré no miolo do mês de Julho, recuando aparentemente cerca de meio palmo até que, no miolo do mês de dezembro de 2012, estará novamente retomando seu movimento direto.  A Oposição entre Urano e Sol acontecerá em Setembro.
Netuno, o deus dos sonhos e dos mares, encontra-se na fronteira entre as constelações do Capricórnio e do Aquário - onde esteve ao longo do ano de 2011 e por onde ainda pretende estar ao longo do ano de 2012, em função de seu andamento bem lento, realmente.   A Oposição entre Netuno e Sol acontecerá em Agosto.

 
Dois Planetas podem ser observados a olho nu: Júpiter e Vênus retornam aos céus estrelados, sempre encantando nossos olhos e nossos corações, ainda visitando o Touro e bem próximos à belíssima Aldebaran, Estrela Alpha Tauri.

Com o andar da carruagem dos dias do mês de Julho, observe a Estrela Alpha Eridani, Achernar, apontando para o enroscamento de estrelinhas formando o Rio Erídano que termina aos pés do Gigante Órion que também retorna à cena das estrelas sonolentas da madrugada.  A Estrela Alpha Carinae, Canopus, o Capitão do Navio, também reaparece nos mares do Sul e sempre anunciando a chegada próxima da mais bela de todas as belas, Sírius, Estrela Alpha Canis Majoris!

 



 

 


O APARENTE CAMINHO
 DE MERCÚRIO
AO LONGO DO MÊS DE JULHO:



Mercúrio aconchega-se ao Caranguejo ao longo de todo o mês de Julho!  Sendo assim, as indicações que viemos lendo mais acima acerca esta constelação também poderão estar sendo vivenciadas através nossas observações em relação ao Mensageiro dos Deuses e dos Homens, Mercúrio!



Ao começo do mês, por que não observarmos Mercúrio ao final da tarde, de noitinha, após o cair do Sol no horizonte oeste, já inteiramente intencionado em se deixar embevecer pelo berço – chamado de Presépio ou de Colméia ou M44 – de estrelinhas-bebês, lugar maravilhoso de se olhar através simpáticos binóculos, se nos apresentando como uma lua cheia de estrelas aglomeradas e viajando juntas!


Nesse começo de mês, realmente a distância entre Sol e Mercúrio é confortável e conveniente para nossas boas observações deste Planeta.

No entanto, poderemos observar que Mercúrio estará se detendo em seu andamento sempre tão rápido, lépido, ligeiro, de forma que, já para o miolo do mês, este Planeta estará entrando em seu movimento de marcha-a-ré – o que significa que a distância entre si e o Sol diminuirá de tal forma que ambos estarão se encontrando já nos últimos dias do mês de Julho e distantes de nossos olhos, sim, porém ainda dentro dos campos brejosos onde o Carangueja mora.

A Lua encontra-se com Mercúrio no dia 20, Lua recém Nova, Lua de um dia apenas e dificilmente podendo ser vista ao lado do Mensageiro dos Deuses e dos Homens pois ambos estarão muitíssimo colados ao horizonte oeste. 

Se acaso você estiver em um lugar de oeste baixíssimo e realmente plano, certamente poderá observar o finíssimo anel de Selene reunido a Mercúrio, ambos reluzindo dentre os rasgos amarelados/avermelhados do final da tarde que acompanha o poente do Sol.



 



O APARENTE CAMINHO
 DE VÊNUS E JÚPITER
AO LONGO DO MÊS DE JULHO:




 

Mario Jaci Monteiro – Cartas Celestes

 
TAURUS, O TOURO

Posicionamento:
Ascensão Reta 3h20m / 5h58m    Declinação +0o.1 / +30o.9

Mito:
Júpiter ansiava por encontrar-se com Europa.  Certa vez, disfarçou-se em touro e fez parte de uma manada até encontrar-se com a moça, numa praia.  Europa sentiu-se encorajada com a placidez do touro e montou-o e foi quando Júpiter correu para o mar e levou a moça até a ilha de Creta.  De acordo com outro mito, o touro representa Io a quem Júpiter transformou em vaca, para despistar o ciúme e a vigilância de Juno, sua mulher.

Algumas Informações Interessantes acerca esta Constelação:
A mais antiga de todas as constelações e talvez a primeira a ser delimitada pelos babilônios, que a utilizaram para marcar o início do ano, pois o equinócio da primavera, há 4000 AC, localizava-se neste asterismo.  Aliás, o estudo de todos os antigos zodíacos mostram o seu início no Touro: o ano começava com o aparecer matinal das Pleiades na primavera, e o inverno, com o seu aparecimento vespertino no outono.  O aparecimento das Pleiades em novembro era saudado como a festa dos mortos, que comemoramos até hoje. Povos da antiguidade, como os caldeus e hebreus, davam ao mês de novembro o nome de Pleiades.
No mais antigo de todos os zodíacos egípcios - o de Denderah -, a constelação do Touro está associada a Osíris, que era o deus especial do Nilo.
O nascer helíaco das Hyades, principal aglomerado do Touro, era associado à estação da chuva - donde a origem do seu nome, que significava ‘chover’.

Fronteiras:
Taurus situa-se entre as constelações de Gemini, Auriga, Perseus, Áries, Cetus, Eridanus e Orion

 
VÊNUS e JÚPITER, juntinhos e em Conjunção com Aldebaran, o Olho Iluminado do Touro, sua Estrela Alpha, bem próximos ao horizonte Leste, na madrugada sonolenta aguardando a chegada do Sol, ao começo do mês de Julho:

                                              


Como estes dois esplendorosos Planetas podem ser observados apenas em alta madrugada antecipando a chegada do Sol, seria interessante também observarmos algumas Estrelas e Constelações e outros Objetos simpáticos ao longo dos tempos em que a Lua estiver sendo vivenciada entre Nova e Crescente, entre dias 19 e 26 – porque se escondem cedo no horizonte oeste, nos proporcionando céus escuros e transparentes.
Nos céus do norte, é interessante observarmos que as estrelinhas marolantes do Aguadeiro parecem querer se entrelaçar com as estrelas também tímidas dos Peixes. Nesse momento estamos diante de um mito realmente encantador que apresenta no céu estrelado do norte todos os componentes de sua estória, começando pelo Cavalo Pegasus em seu grande quadrado sendo seguido por Andromeda, a donzela acorrentada numa ilha por sua madrasta Cassiopéia esposa de Cepheus. Andromeda será salva pelo herói Perseus. A Via Láctea ilumina com seu leite as constelações do pai, da madrasta e do herói salvador, todas bem ao norte e não muito facilmente identificáveis aqui, no Sítio das Estrelas (porque para estes lados fica a cidadezinha de Mar de Hespanha e sua iluminação pouco generosa com o céu estrelado).

... ‘Stamos em pleno mar... - como diria o poeta português, Camões. Ao sul dos Peixes nos deparamos com a imensidade da constelação de Cetus, a Baleia que quer devorar a bela donzela acorrentada, Andromeda. Este é um mar interessante pois que também apresenta a Foz do Rio Erídano e todo seu correr sinuoso, desde o sul até o sudeste, para encontrar os pés do Gigante Órion, já em terra firme. No entanto, este mar interessante nos apresenta, bem ao fundo (do ponto de vista de quem está bem ao norte, certamente) a estrela maravihosa e alfa do Navio, seu capitão Canopus! Sempre que virmos Canopus podemos ter a certeza de que Sirius chegará logo depois! E Sirius faz parte da comitiva do Gigante Órion, com seus Cães Maior e Menor, todos já em terra firme.

Não podemos deixar de divisar os dois círculos formados pelas cabeças dos dois Peixes. Um destes circulo encontra-se logo ao norte do grande quadrado do Cavalo Pegasus e é bem ali que podemos encontrar o chamado Ponto Vernal, o lugar onde a Eclíptica encontra-se com o Equador Celeste.
Olhando para o sul, poderemos ver a Pequena Nuvem seguida pela Grande Nuvem de Magalhães. Aqui na roça, um antigo caseiro meu, as chamava de as Mulas do Presépio de Jesus! Fernão de Magalhães que nos perdoe!

Os mares terminam deixando entrar em cena as duas estrelas ponteadoras de Áries, o Carneiro, e depois, surge o campo onde o Touro pasta, sempre antecedido pelas estrelas que choram, as Pleiades, um tercinho de estrelas, verdadeira maravilha sempre a ser visitada por nossos olhos...

Já estamos na madrugada sonolenta quando entra em cena o Gigante Órion acompanhado do Cão Maior e este embelezando os céus com a presença de Sirius, a bela das belas. A Via Láctea já retorna à nossa visão, o Navio vai se mostrando por inteiro, os Gêmeos já se mostram conversantes, como sempre...
No dia 12 de Julho, Vênus estará brilhando mais do que nunca
– fato que acontecerá novamente somente em novembro de 2013.
No dia 15, não perca o encontro entre Lua em final de ciclo e Vênus e Júpiter e Aldebaran, Alpha Tauri, na madrugada sonolenta, antes da chegada do Sol.



Já para o final do mês de Julho, estaremos encontrando Júpiter grudado à Aldebaran, Estrela Alpha Tauri, o Olho Iluminado do Touro, enquanto Vênus já se movimentou para mais adiante, já se despedindo de seu tempo taurino, cumprimentando a Estrela Beta Tauri, Alnath, mais ao norte e na pontinha de um dos chifres do Touro.... e, a meu ver, encontrando-se com M1, a belíssima Nebulosa do Caranguejo, na pontinha do chifre taurino ao sul:


NGC 1952 - M 1 - Taurus  - Nebulosa Nebulosa Resto de Supernova - Caranguejo
Ascensão Reta  05h33m      Declinação +22o.05
Tipo Nebulosa Planetária SN        Dimensão 5,0        Magnitude 19
Magnitude da Estrela associada 16V           Distância em anos-luz 4,0

Por volta do ano 5500 antes de cristo, uma imensa estrela explodiu como Supernova... seis mil e quinhentos anos mais tarde, em 4 de julho de 1054, astrônomos japoneses e chineses puderam observar a aparição de uma 'estrela convidada" no céu na constelação que hoje denominamos de Touro. Essa nova estrela, tão brilhante quanto Vênus, pôde ser vista durante o dia por cerca de 23 dias and durante dois anos pôde ser observada e estudada no céu noturno.

Quando a supernova esmaeceu, passaram-se mais 700 anos até que uma pequena nuvem de gás verde luminoso surgiu no lugar onde ela aparecera anteriormente, um grau ao norte e oeste de Zeta Tauri, já em um dos chifres do Touro quase aos pés dos Gêmeos.

Charles Messier (1730-1817) era um caçador de cometas e sempre vasculhava o céu em busca dos mesmos. Em 12 de setembro de 1758 (ou em 28 de Agosto, segundo outro documento - Nota da Tradutora), Messier apontou para esse ponto de luz difusa no céu e o descreveu a nebulosa como contendo nenhuma estrela, esbranquiçada em sua cor e alongada como a chama de uma vela. Mais tarde, Messier veio a saber que tal nebulosa já havia sido avistada por um astrônomo inglês, John Bevis, em 1731.

Messier continuou sua busca por cometas (naquele mesmo houve o retorno, já previsto, do Cometa Halley durante o mês de dezembro) - e passou então, a elaborar uma lista de objetos no céu que não eram cometas. Finalmente, uma versão final dessa lista foi publicada em 1784 contendo 109 ou 110 objetos, sendo que o primeiro objeto mencionado foi a Nebulosa que ora é visitada por Saturno. Essa lista é hoje conhecida como A Lista de Messier e seus objetos são denominados M1, M2, M3.... A Nebulosa do Caranguejo é M1.

No entanto, esse nome, Nebulosa do Caranguejo foi dado por Earl of Rosse, em 1840 que publicou um desenho da mesma com filamentos que sugeriam o formato de um caranguejo. Mais tarde, ele observou a nebulosa já com outra aparelhagem mais potente e rejeitou sua descrição anterior da mesma.... tarde demais: a Nebulosa do Caranguejo já era assim conhecida!

A Nebulosa do Caranguejo não é difícil de ser localizada com um telescópio mais simples e do quintal de sua casa - afinal foi assim que Messier a encontrou! Porém, em céus mais transparentes, longe das luzes da cidade, sua visão se torna bem mais enriquecida e se você tiver um telescópio possante, será fantástico poder observar um estrela que ainda permanece em seu centro, um pulsar que gira cerca de 30 vezes por segundo!




O APARENTE CAMINHO
 DE MARTE E DE SATURNO
AO LONGO DO MÊS DE JULHO
E VISITANDO AMBOS A CONSTELAÇÃO DA VIRGEM:


SATURNO vem acompanhando de perto a estrela Alpha Virginis, Spica, já por um bom tempo, certamente – este é o ano dessa estrela, sem dúvida alguma! – e assim continuará fazendo ao longo do mês de Julho, mesmo que já tenha retomado sua movimentação direta, já orientando-se, vagarosamente e em seu andar próprio, para dizer adeus à Virgem e adentrar a Balança mais para o final deste ano de 2012.

Spica.  Alpha Virginis. 
Ascensão Reta 13h 24,1m  Declinação -11o 03’
Magnitude visual 1,21 - Distância 220 anos-luz
Uma estrela binária branco brilhante no ramo de trigo  que a Virgem carrega em sua mão voltada para o sul. 
Freqüentemente chamada de Arista (nome também usado para designar esta constelação) e também conhecida como Azimech.
 Os hindus a conheciam como Citrã, a 12a. Nakshatra, como se fosse uma Lâmpada ou uma Pérola.  Na Babilônia e representando toda a constelação, era personifica como a Esposa de Bel ou a Guirlanda da Virgem.  Para os chineses, Spica significava a grande favorita, Kió, a estrela da primavera.  Era conhecida no Egito como Repã, o Senhor, e em tempos 3200 AC, um templo em Tebas foi erigido orientada através o poente de Spica.  Da mesma forma, já em 2000 AC, assim aconteceu para o templo do Sol.  Também assim aconteceu para dois templos na Grécia construídos quase tocando um ao outro, erigidos em 1092 e 747 AC.  Outros templos na Grécia antiga apresentaram a mesma orientação.
Foi através da observação desta estrela bem como de Regulus em cerca de 300 AC, anotada pelo alexandrino Timochares, que, após comparação com seus próprios apontamentos 150 anos mais tarde, Hiparchos trouxe para si o crédito de sua grande descoberta acerca a precessão dos equinócios - mesmo que os apontamentos da Babilônia e as orientações de construção dos templos no Egito e na Grécia, indicaram um conhecimento prático sobre esta questão.

A constelação da Virgem é imensa e cortada pelas Linhas da Eclíptica e pela do Equador Celestial.  Existe o entrelaçamento destas duas Linhas - o que podemos traduzir como o Ponto do Equinócio de Outono, que acontece bem próximo à estrela Beta Virginis, Zavijava, situada na cabeça da Virgem. (É interessante conhecermos o fato de que o eclipse solar de 21 de setembro de 1922, aconteceu próximo a esta estrela e que foi por Einstein usada para confirmar sua teoria).
Ao começo do mês de Julho, estaremos encontrando MARTE situando-se bem ao lado da Estrela Zavijava e exatamente no ponto de entrecruzamento entre as Linhas do Equador Celestial e da Eclíptica – o Equinócio de Setembro (do Outono para o hemisfério norte e da Primavera para o hemisfério sul).

Zavijava.  Beta Virginis. 
Magnitude 3.8
Uma estrela amarelo pálido situada na cabeça da Virgem. 
De Al Zawiah, o Ângulo, o Canil, o Recanto dos dois Vigias (possivelmente pelo fato de se encontrar bem próxima ao ponto do Equinócio do Outono) - porém também nomeada como A Gloriosa, A Bela. 
Os árabes chamavam esta estrela como Mashaha e os chineses, de Yew Chi Fa, a Mão Direita do Mantenedor da Lei.
Esta foi a estrela usada por Einstein para confirmar sua teoria, durante o eclipse solar de 21 de setembro de 1922, que aconteceu próximo a esta estrela. 


Este mês de Julho estará favorecendo nossa observação sobre o andamento de Marte através a constelação da Virgem, certamente.


Por volta do dia 10, veremos que Marte já se adiantou um tantinho e estará se encontrando com a estrela Zaniah:
Zaniah.  Eta Virginis. 
Magnitude 3,9
Uma estrela variável situada na asa sul da Virgem.  Zaniah vem de Al Zawaih. Alguns a nomeiam como a Prostituta.  Na China, era conhecida como Tso Chih Fa, a Mão Esquerda do Mantenedor da Lei.  Os Chineses também a nomeavam de Tien Mun, o Portão do Céu - por se situar próxima ao Equinócio Outonal.  Juntamente com a estrela Zeta, Heze, marca exatamente a linha do equador celestial.




No cair da noite do dia 24, o encontro entre Lua, Saturno, Spica, Alpha Virginis, e Marte nos céus estrelados estará acontecendo com Marte muitíssimo próximo à estrela Porrima e também, na mesma direção ao norte, apontando para a estrela Vindemeatrix:

Porrima  - Gamma Virginis - Estrela Dupla
AR 12h39m  Dec. - 01o.11
magnitude visual 2,7 e 3,6  Distância entre estrelas 3”,90
Nome latino da deusa da Profecia. Os Latinos a chamavam também de Antevorta ou mesmo algumas vezes Postvorta, nomes de duas antigas deusas da profecia, irmãs e assistentes de Carmentis, venerado e invocado por suas mulheres.
Esta estrela Gamma foi especialmente menciondo como sendo Zaviat al Awwã, o Ângulo ou Esquina - Gamma situando-se a meio caminho entre Spica e Denebola, os lados do Canil estendendo-se ao norte e ao oeste e sendo marcado pelas estrelas Eta e Beta, Delta e Epsilone.
Na Babilônia era Kakkab Dan-nu, a Estrela do Herói - como um ponto de referência em seus anais de observação de Saturno, no primeiro dia de março do ano 228 AC, a primeira menção sobre este planeta e anotada por Ptolomeu.
Os chineses conheciam esta estrela como Shang Seang, o Alto (Primeiro) Ministro de Estado.
Vindemiatrix.  Epsilon Virginis. 
Magnitude 2.86  Distância 90 anos-luz
É uma estrela que situa-se na mão esquerda da Virgem segurando seus longos cabelos.
Vindemiatrix ou Vindemiator, A Vindimadora, Aquele que Colhe Uvas, representa Ampelos, filho de um sátiro e de uma ninfa, a quem Baco presenteou com uma vindima.  Enquanto colhia as uvas, Ampelos caiu e quebrou o pescoço, e por isso, Baco colocou-o entre as estrelas em lembrança de seu afeto.  A Vindimadora, nome de origem latina registrado nas Tábuas Afonsinas.  Também conhecida como Almuredin.  Na China, era conhecida como Tsze Tseang, o Segundo General.  No Eufrates, Kakkb Mulu-izi, a Estrela do Homem de Fogo, possivelmente simbolizando os deus Laterak, o Divino Rei do Deserto.

 


O mês de Julho termina com Marte cada vez mais aproximando-se de Saturno e Spica – encontro esse que estará acontecendo no miolo do mês de Agosto! Será um evento realmente maravilhoso, assim eu penso..., e que poderá ser observado com estas luzes já voltadas para o horizonte oeste.




Penso que os tempos de Lua Minguante a Nova – entre os dias 10 e 20 -, serão bem interessantes para que você, Caminhante, possa observar alguns dos tantos e tantos objetos em Virgem, como por exemplo, a belíssima Galáxia Sombrero:
M 104 - NGC 4594 - Galáxia Sombrero:
 é uma galáxia com magnitude 8.6 e tamanho de 9’x4’. 
Vista de lado, com um simples telescópio de abertura 4”, poderá apresentar um plano de poeira correndo em direção ao seu centro. Esta galáxia situa-se na fronteira com o Corvo.



As galáxias podem ser consideradas como os blocos de construção básica do universo.  Elas não são isoladas, independente em suas vizinhanças, porém ocorrem em sistemas que constam de dezenas, centenas ou mesmo milhares de membros que se atraem por suas forças gravitacionais.  Esses sistemas são denominados de Aglomerados de Galáxias - os Superclusters.
 
A constelação da Virgem é especialmente profícua em Galáxias agrupadas em:
 
O AGLOMERADO DE GALÁXIAS, EM VIRGEM
 
Coordenadas Equatoriais:  Ascensão Reta 12h29.6   Declinação +11o.49
Coordenadas Supergalacticas:  L”  103.3   B” -2.8
Riqueza   1
Redshift   .0037
Distância em milhões de anos-luz: 52
 
Começando a partir de uma imensa lista de nebulosas publicada por William e John Herschel em 1863, foi conhecido o fato de que existia um excesso marcante de campos nebulosos na constelação de Virgem.  Nos anos 1950, o astrônomo Gerard Henri de Vaucouleurs foi o primeiro a comentar sobre este excesso representado por um tipo de galáxia de escala grandiosa - o que lhe garantiu o nome de Supergaláxia Local, em 1953 e que foi mudado  para Superaglomerado Local, em 1958.  O debate continuou durante os anos 60 e 70 em termos de se o Superaglomerado Local era verdadeiramente uma estrutura ou um alinhamento de galáxias tão somente.  Esta questão foi resolvida através as buscas usando redshift ao final dos anos 70 e começo dos anos 80, que, convincentemente apontou para a concentração de galáxias ao longo do plano supergaláctico.

Virgo Cluster ou Aglomerado de Galáxias, em Virgem, faz parte daquilo que nomeamos como Local Supercluster ou Superaglomerado Local que contém o Grupo Local acolhendo nossa Galáxia, a Via Láctea, e contém o Aglomerado de Virgem, bem próximo ao centro.
 
Também esta questão pode ser conhecida como o Superaglomerado Virgo ou Superaglomerado Local que se apresenta como um superaglomerado irregular e que contém o Aglomerado Virgo bem como o Grupo Local (que acolhe nossa Via Láctea e a galáxia Andromeda).  Acredita-se que pelo menos 100 grupos de galáxias e aglomerados situam-se dentro de seu diâmetro de 33 megaparsecs (110 milhões de anos-luz).  E este Superaglomerado é um dos milhões de superaglomerados que existem no Universo observável.

O  Superaglomerado Local contém o Grupo Local com nossa Galáxia, a Via Láctea, e também contém o Aglomerado de Galáxias Virgo próximo a seu centro - e, algumas vezes, é chamado de Virgo Superaglomerado. Dimensão de 33 megaparsecs = 110 milhões de anos-luz.

Virgo é o mais próximo dos grandes Aglomerados de Galáxias de forma que muitas de suas brilhantes galáxias podem ser observadas por telescópios amadores
(como por exemplo M84 e M86). 
Se você quiser conhecer a descrição sintetizada das várias Galáxias e dos vários Aglomerados que podem ser apontados através a delineação da constelação da Virgem, acesse meu Trabalho sobre este Tema em http://sobrevirgo.blogspot.com






URANO foi descoberto em 1781 por W. Herschel, um organista alemão que morava em Bath, na Inglaterra.
Urano é um planeta gigante sua rotação de Urano é bem diferente: seu eixo rotacional acontece praticamente unto com seu plano orbital.  O tempo da rotação dura aproximadamente 17 horas.  Mais extraordinário ainda é a posição do eixo magnético do Planeta, que se inclina em 55 graus em relação ao eixo rotacional.  Urano possui um campo magnético bem poderoso. O planeta e seu sistema inteiro de satélites gira sobre seu lado. Numa distância de 1.784 milhões de milhas do sol, Urano desenvolve uma órbita de 84 anos terrestres em torno do sol.  Urano deve ter sofrido uma grande colisão com um imenso objeto: ele é inclinado em seus lados, comparado aos outros planetas.
O equador em Urano corre perpendicularmente à sua órbita ao redor do sol. Os eixos rotacionais e orbitais são praticamente alinhados; dessa forma, nós podemos ver Urano virado mostrando seu pólo a cada 42 anos. 
Em 11 de dezembro de 2011, URANO, o Deus dos Céus Estrelados, retomou seu movimento direto nas proximidades da fronteira da constelação dos Peixes, onde vem mergulhando abissalmente desde o ano passado e por onde ainda continuará abissalmente mergulhado por cerca de mais sete anos à frente.... 

O Planeta Verde estará nadando cerca de um palmo nos mares dos Peixes até finalmente engendrar seu movimento de marcha-a-ré no miolo do mês de Julho, recuando aparentemente cerca de meio palmo até que, no miolo do mês de dezembro de 2012, estará novamente retomando seu movimento direto. 
Certamente, se acaso você tiver um bom telescópio em casa, poderá tentar encontrar o Planeta Verde nadando entre as estrelinhas bem pouco iluminadas da constelação dos Peixes, não custa tentar! 
Ao final do mês de Setembro, aproveite a boa oportunidade do tempo de Oposição entre SOL e URANO e use sua aparelhagem de astronomia buscando bem focalizar o Planeta Verde, URANO...

NETUNO

O astrônomo inglês Adams e o astrônomo francês Leverrier, independentemente entre si, calcularam a posição do oitavo Planeta - que tinha indicado sua existência a partir dos efeitos gravitacionais provenientes de Urano.  No entanto, foi em 23 de setembro de 1846 que dois astrônomos berlinenses, Galle e D’Arrest, encontraram o Planeta Netuno, não mais do que um grau de sua calculada posição.

NETUNO, o deus dos sonhos e dos mares, encontra-se na fronteira entre as constelações do Capricórnio e do Aquário - onde esteve ao longo do ano de 2011 e por onde ainda pretende estar ao longo do ano de 2012, em função de seu andamento bem lento, realmente.  
NETUNO é um Planeta bem longínquo e exige aparelhagem consistente para ser observado em telescópios bem simpáticos. 

 
Por volta do dia 24 de Agosto, aproveite a boa oportunidade do tempo de Oposição entre SOL e NETUNO e use sua aparelhagem de astronomia buscando bem focalizar o Planeta Azul, NETUNO.....

PLUTÃO

Pobre Plutão, sempre motivo de concórdias e de discórdias: ora o tratam como Planeta, ora o tratam como Planetóide ou Planeta Anão.  No entanto, sabemos que quem é Rei nunca perde sua Majestade!
Plutão esteve em Oposição ao Sol ao final do mês de Junho e portanto, ainda pode ser bem observado e fotografado ao começo do mês de Julho, sem dúvida alguma.


http://pt.wikipedia.org/wiki/
Este Planeta caminha extremamente devagar – sua volta ao Sol dura 248 anos! -, e vem encontrando-se um tantinho abaixo de Scutum, o Escudo, ao norte fronteiriço entre o Escorpião e o Sagitário. 

Durante as duas semanas finais do mês de Julho, Plutão poderá ser observado a 0.3’ ao sul do centro de M25, em Sagitário:


NGC I4725 - M 25  - Aglomerado Aberto Sagitário
Ascensão Reta 18h30m    Declinação - 19o.16
Magnitude fotográfica global 6,2 Magnitude fotográfica da mais brilhante estrela 9,3
 Distância kpc 0,60       Diâmetro   35’      Tipo Espectral B3



 

Plutão foi descoberto por Clyde Tombaugh no ano de 1930 e em 1978 foi descoberta sua Lua Caronte.  Até o ano de 2006, Plutão foi considerado Planeta, sendo destronado deste posto a partir de então, infelizmente.

A órbita de Plutão é altamente inclinada em relação à eclíptica (mais de 17°) e excêntrica.  Devido a essa excentricidade, uma pequena parte da órbita de Plutão está mais próxima do Sol do que a de Netuno. A última vez que Plutão ficou mais próximo do Sol do que Netuno foi entre 7 de fevereiro de 1979 e 11 de fevereiro de 1999.








O APARENTE CAMINHO DA LUA
AO LONGO DO MÊS DE JULHO DE 2012

Olhe para o céu e aproveite para saber um tantinho mais sobre os Mitos e Dados Técnicos de algumas Estrelas e Constelações que iluminam o Céu Estrelado!


www.astronomy.com  página 39 – edição virtual de julho de 2012


DIA 01 DE JULHO –  Lua no Perigeu.  O mês de Julho começa com a Lua adentrando a cabeça do Escorpião e indo ao encontro de seu Coração, Antares, Estrela Alpha Scorpii.  Sempre é interessante buscarmos observar a Lua durante a tarde, contra o pano de fundo de cor azul anil, Selene engordando a olhos vistos – bom momento para observá-la em muitas de suas crateras!

DIA 02 -  Depois de seu encontro com Antares, a Lua dirige-se para a décima-terceira constelação do Zodíaco, Ophiucus, o Serpentário.


DIA 03  LUA CHEIA.  O Plenilúnio estará acontecendo com a Lua tomando Chá – o Bule de Chá – e encantando o coração dos poetas, dos seresteiros e dos enamorados....  Em tempo de Lua Cheia, aqui na roça é possível andarmos pelas estradinhas de terra vicinais ao Sítio das Estrelas, curtindo as sombras projetadas pelas folhas das árvores, curtindo o piar insistente dos bichinhos noturnos cantando a luminosidade intensa que lhes revela uma natureza diferenciada.


DIA 04 -  Terra no Afélio: (maior distância entre Terra e Sol – 94.5 milhões de milhas) no dia 04 de Julho.  Estou feliz em ter realizado 62 voltas em torno ao Sol!.... Quantas mais voltas realizarei?  Não sei dizer, só sei dizer que sou feliz e tudo o que preciso é saúde para viver mais voltas e voltas em torno ao Sol, nesta vida.
Gosto do tempo de uma noite após a Lua Cheia.  Explico a razão: existe um pequeno tempo de hiato entre a chegada da noite escura e o momento em que os rojões iluminados e prateados da Lua começam a invadir o horizonte Leste anunciando a chegada de Selene ainda radiosamente Cheia!  Eu sempre gosto de perseguir esta escuridão tão efêmera que pode nos apresentar um tantinho de terra escura e de céu escuro e entre a terra e o céu escuros, um rasgo de luz sutil acontece, o caminho de albedo da Lua acontece!.... é claro que para vivenciar este evento, é preciso que estejamos em lugares de céus escuros e transparentes e distanciados de poluição luminosa.
DIA 05 – A Lua deixa o Sagitário e adentra o Capricórnio.  A cada noite, Selene atrasa um tantinho sua chegada, sempre nos proporcionando alguns bons momentos de céus escuros e transparentes e doce enleite de observação de constelações e estrelas bem como o andamento de Marte através o corpo da Virgem, em busca de seu encontro com Saturno, o Senhor dos Anéis, e Spica, a Estrela Alpha Virginis

DIA 06 -  Sempre que a Lua está passeando pelo Capricórnio, gosto de buscar estrelas ao norte e ao sul.  Ao norte, a Águia voa sempre esplendorosa e apresentando suas três estrelinhas - Altair , Alpha Aquilae, situa-se ao centro, tendo Alshain, Beta Aquilae, de um lado e Tarazed, Gamma Aquilae, de outro lado - todas três perfazendo as estrelas mais proeminentes da Águia e atuando em vôo conjunto, facilmente identificável nos céus - tão parecidas com aquelas que vemos no Cinturão do Órion e que popularmente são conhecidas como as Três Marias.  Ao sul, é tempo de  o horizonte Leste anunciar a chegada de Fomalhaut, Estrela Alpha Piscis Austrinus.


DIA 07 - A Lua cada vez mais emagrecida e tardia, mergulha nas ondinhas marolantes e ziguezagueantes da constelação do Aguadeiro.   São estrelinhas muito tímidas, realmente, e fugidias ao menor sinal de luminosidade....  Sendo assim, quem sabe não seria mais interessante buscarmos divisar o chamado Triângulo do Norte – do Verão para o hemisfério norte e do Inverno, para o hemisfério sul – formado pelas Estrelas Alpha das constelações de Áquila, Lyra e Cignus, Altair, Vega e Deneb, respectivamente?   A bem da verdade, mesmo com a Lua já perdendo um tanto de sua luminosidade, ainda não podemos nos deixar flutuar na Via Láctea, no caminho das estrelinhas de algodão que enlaça esse belíssimo Triângulo!

Dia 08 -  A Lua tardia nos traz um bom par de horas ou mais para bem observarmos estrelas e constelações em céus escuros e transparentes.  Sempre acompanhar de perto o andamento de um Planeta como Marte é bem interessante devido ao fato de que este se movimenta, sim, é claro, porém não tão vagarosamente nem tão rapidamente...  Sendo assim, uma boa olhada na constelação da Virgem e no posicionamento de Marte junto ao pano de fundo das estrelas simpáticas  e de outros objetos instigantes (como galáxias e mais galáxias!) constantes desse asterismo, é uma boa pedida. 
DIA 09 – Quando a Lua se movimenta das águas marolantes do Aguadeiro para mergulhar nas águas abissais dos Peixes, é tempo de nos voltarmos para bem estudarmos as constelações que fazem parte do Mito de Andrômeda, a Princesa Acorrentada, acompanhando as constelações ao norte – Cepheus, Cassiopea, Pegasus, Andrômeda e Perseus – e ao sul, Cetus, a Baleia – ao longo dos próximos poucos dias.
Andrômeda era a filha de Cefeus,  rei da Etiópia, e de Cassiopeia.  Por causa dos boatos espalhados por Cassiopéia de que a beleza de Andrômeda superava a das Nereidas, Netuno enviou um mostro marinho, Cetus, a Baleia, para devastar aquele país.  Porém, Netuno fez a promessa de libertar o país dessa devastação caso Andromeda fosse oferecida em sacrifício, sendo acorrentada a uma rocha, para ser devorada pelo monstro marinho.  No entanto, Perseus soube desse caso e salvou Andrômeda de seu tormento matando o monstro e o transformando em pedra ao lhe mostrar a cara da Medusa.  Ambos, Perseus e Andrômeda, alçaram vôo alto, sobre Pegasus, o cavalo alado, e se dirigiram para o altar onde se casaram.


DIA 10 – LUA MINGUANTE.  Lua mergulhada abissalmente nos mares dos Peixes.  Agora que a Lua chega no horizonte Leste por volta da meia-noite, poderemos ter tempo e espaço suficientes para estudarmos uma estrela e uma constelação que sempre nos atrai a atenção: Bootes, o Boeiro, e sua Estrela Alpha Bootis, Arcturus.  Logo ao cair da noite, podemos bem identificar Arcturus, um tantinho mais ao norte de Spica, Alpha Virginis, acompanhada por Saturno e intencionada de ser visitada também por Marte. 

O Boieiro é Arcas, cuja mãe Callisto foi transformada por Juno em um urso, que no céu é representado pela Ursa Maior .  Enquanto caçava, Arcas aproximou-se de sua mãe e, sem saber que esta havia se transformado em ursa, perseguiu-a até o templo de Júpiter onde a matou e mais tarde, foi ele mesmo morto pelos guardiões do templo.  Júpiter apiedado de tal situação, levou mãe e filho para os céus, através as constelações do Boieiro e da Ursa Maior. 
Existe outro relato que diz que o Boieiro é Icarius, que foi morto por alguns pastores que  ele havia embebedado com o vinho que ganhara de Bacho.  Em consideração à tristeza de sua filha Erigone e de seu cão, Maera, Júpiter colocou o pai no céu enquanto o Boieiro,  ao lado da filha enquanto a constelação da Virgem e seu cão, enquanto o Cão Menor.
O Boieiro é uma das mais antigas constelações e foi mencionada em A Odisséia de Ulisses.

Bootes situa-se entre as constelações Coma Berenices, Virgo, Serpens, Corona Borealis, Hercules, Draco, Ursa Major, Canes Venatici.


Arcturus.  Alpha Bootis. 
Ascensão Reta 14h 14,8 - Declinação +19o 17’
Magnitude visual 0,24 - Distância 36 anos-luz
Uma estrela amarelo dourada, situada no joelho esquerdo do Boieiro.  De Arktouros, o Guarda da Ursa.  Também conhecida como O Caçador à espera da Ursa.


É sempre interessante observarmos o fato de que, entre o Leão garboso e o Boieiro, existe uma constelação que somente pode ser observada em lugares e em tempos de céus escuros e transparentes: Coma Berenices, a Cabeleira de Berenice. 

Berenice era a esposa de Ptolomeu Euergetes, e por causa do fato de que seu marido foi para a guerra contra os Sírios, ela ofereceu seus cabelos à Vênus.  Sua cabeleira foi colocada no templo porém foi roubada e, para arrefecer a ira do rei, dizem que Vênus a levou para o céu e a transformou em uma constelação.

Esta constelação foi relacionada por Erastóstenes por volta de  300 DC.  Em outra acepção, esta constelação teria sido adicionada por Tycho Brahe, no século dezesseis.


E também é sempre interessante observarmos o fato de que, logo após o Boieiro, entra em cena a Corona Borealis, a Coroa Boreal, apresentando sua belíssima Estrela Alpha, Alpheca, sempre bem cuidada pela Cabeça da Serpente, Serpens Caput, um asterismo de interessante figura e composto por estrelinhas tímidas.

Quando Glaucus, filho de Minos, Rei de Creta, foi afogado em uma colméia, Esculapius foi trazido para restaurar a vida ao menino.  Enquanto Esculapius pensava o que iria fazer, uma serpente entrou no quarto e ele matou-a.  Então, entrou outra serpente trazendo uma erva que foi colocada na cabeça da serpente morta, trazendo-a à vida.  Usando a mesma erva, Esculapius trouxe a vida de volta ao menino.  A serpente foi colocada nos céus e é por esta razão que muitos escritores confundem Ophiucus com Esculapius.  De acordo com outro mito, a serpente seria uma das que deveriam matar Hercules em seu berço, quando ainda era uma criança.

As estrelas que compõem esse Asterismo da Cabeça são:  Ro, Iota, Beta e Gamma tendo ao centro a estrela Capa.


DIA 11 – A Lua realiza sua passagem pelo Ponto Vernal e conclui seu mergulho abissal nos Peixes, buscando terra firme nos campos onde o Carneiro pasta.


DIA 12 -  Lua já em terra firme e cumprimentando as Estrelas Alpha e Beta Arietis, Hammal e Scheratan.

No dia 12 de Julho, Vênus estará brilhando mais do que nunca – fato que acontecerá novamente somente em novembro de 2013.


DIA 13 -  Lua no Apogeu.  Lua boêmia chegando no horizonte Leste em alta madrugada e nos proporcionando momentos muito simpáticos para a observação dos céus estrelados do sul e do norte, realmente, ainda antes de Morpheus nos chamar para uma noite de bom sono.

DIA 14   Lua boêmia e madrugadora encontrando-se com as Irmãs que Choram, as Plêiades, já nos campos do Touro.
M 45 - Aglomerado Aberto Taurus- Plêiades
Ascensão Reta 03h45m    Declinação +24o.04
Magnitude fotográfica global 1,6   Distância kpc 0,125
Diâmetro  120’  Tipo Espectral B6
Distância: cerca de 350 anos-luz.
Aglomerado de mais de 400 estrelas em uma área de um grau de diâmetro e facilmente visível a olho nu.
As Pleiades ou Atlântidas eram as sete filhas de Atlas e Pleione, seis das quais podem ser vistas a olho nu e uma invisível ou “perdida”.  Elas eram as companheiras virgens de Diana e foram levadas para o céu para escaparem do Gigante Orion que as importunava.  De acordo com outro mito, foram para o céu por causa de suas tristezas com o destino de seu pai, Atlas, que carregava o mundo nas costas.

Seus nomes são:  Alcyone, Maia, Electra, Merope, Taygette, Celaeno e Sterope,
com a adição dos pais, Atlas e Pleione.

A Plêiade que se perdeu parece ser Merope, que casou-se com um mortal, Sisyplus, e por isso escondeu-se por ser a única filha que não foi casada com um Deus.  Outro mito diz que foi Electra quem desapareceu em função de sua dor pela destruição de Ilium, que foi fundada por seu filho Dardanos.

As Pleiades formam um aglomerado, com Alcyone como estrela principal, situado no ombro do Touro.


Alcyone. Eta Tauri. 
Magnitude 2.86  Distância 540 anos-luz
Alcyone representa as Pleiades, filhas de Atlas e Pleione.
Uma estrela amarela esverdeada e a mais brilhante das Pleiades, situadas nos ombros do Touro.  Na antiguidade, se pensou que Alcyone seria o grande Sol central em torno do qual todo o universo rodaria.  Era chamada de Al Wasat, Aquela que Centraliza, pelos árabes; e de Temennuu, a Pedra Fundamental, pelos babilônios - porém esta idéia foi abandonada pelos astrônomos.  Alcyone marcava o começo da quarta constelação da eclíptica, pelos babilônios; e como Amba, A Mãe, formada da junção entre nakshatras Krittika Hindu e Rohini.



DIA 15 -  No dia 15, não perca o encontro entre Lua em final de ciclo e Vênus e Júpiter e Aldebaran, Alpha Tauri, na madrugada sonolenta, antes da chegada do Sol.




Com o andar da carruagem dos dias do mês de Julho, observe a Estrela Alpha Eridani, Achernar, apontando para o enroscamento de estrelinhas formando o Rio Erídano que termina aos pés do Gigante Órion que também retorna à cena das estrelas sonolentas da madrugada.  A Estrela Alpha Carinae, Canopus, o Capitão do Navio, também reaparece nos mares do Sul e sempre anunciando a chegada próxima da mais bela de todas as belas, Sírius, Estrela Alpha Canis Majoris!

DIA 16  A Lua, cada vez mais madrugadora e fininha, conclui sua visita ao Touro e aos belíssimos Planetas Júpiter e Vênus, ambos tão próximos à Estrela Aldebaran, Alpha Tauri, o Olho Iluminado!

DIA 17   Lua buscando galgar os pés e as pernas dos Gêmeos Castor e Pollux. 

Quem mora no campo bem sabe que esses são momentos ímpares para a poda de plantas e árvores tanto floríferas quanto frutíferas, ou seja, tempos de Lua em final de ciclo, Lua murchenta e em meses sem R – maio, junho, julho e agosto.  Dizem que em tempos de Lua em final de ciclo e nestes meses sem R são tempos em que a seiva está parada e por esta razão, a poda torna-se eficiente e promete belas flores e belos frutos na primavera e no verão.

DIA 18 -  Este momento de Lua em final de ciclo é bem interessante pois que nos proporcionou uma noite inteira de céus escuros e transparentes para bem observarmos Planetas, Estrelas e Constelações e Objetos simpáticos, a olho nu ou através instrumentos ópticos. 

DIA 19 – LUA NOVA.  A Lua Nova acontece com o Sol e Selene se encontrando bem próximos às Estrelas Alpha e Beta Gemini, Castor e Pollux.

Castor.  Alpha Geminorum.  Estrela Dupla
Ascensão Reta 07h 33,3m - Declinação + 31o 56’
Magnitude visual 1,99 e 2,9 - Distância 45 anos-luz
Distância entre estrelas 2”,47
Uma estrela binária,  branco brilhante e branco pálido, situada na cabeça do Gêmeo ao norte.  Representa Castor, o mortal entre os dois Gêmeos, famoso por suas habilidades em domar e tratar cavalos.  Leda, esposa de Tindarus, rei de Esparta, é a mãe de Castor e Pollux.
Pollux - Beta Geminorum
Ascensão Reta 07h44,1m - Declinação +28o.05
Magnitude visual 1,21 - Distância 35 anos-luz
Uma estrela alaranjada situada na cabeça do Gêmeo ao Sul.  Representa Pollux, filho de Júpiter e Leda, e é o imortal entre os gêmeos,  famoso por sua habilidade no boxe.  Muitas vezes chamado de Hercules e simbolicamente nomeado como um Juiz sem Coração.

DIA 20 – Lua aconchegando-se ao ventre da constelação do Caranguejo, o Presépio.
A Lua encontra-se com Mercúrio no dia 20, Lua recém Nova, Lua de um dia apenas e dificilmente podendo ser vista ao lado do Mensageiro dos Deuses e dos Homens pois ambos estarão muitíssimo colados ao horizonte oeste. 

Se acaso você estiver em um lugar de oeste baixíssimo e realmente plano, certamente poderá observar o finíssimo anel de Selene reunido a Mercúrio, ambos reluzindo dentre os rasgos amarelados/avermelhados do final da tarde que acompanha o poente do Sol.

DIA 21 -  Lua deixando a constelação do Caranguejo e sentindo-se imensamente atraída pela Estrela Alpha Leonis, Regulus, que encontra-se bem próxima ao horizonte oeste, acolhendo a visita de Selene recém Nova e se apresentando como um finíssimo anel iluminado e dourado contra o céu ainda avermelhado do final da tarde, após o cair do Sol, início da noite.
DIA 22 -  Lua ainda em fino anel porém já desejosa de galgar os céus estrelados do cair da noite, ainda em campos onde o Leão reina.

DIA 23 -  Lua subindo os céus e engordando um tantinho, concluindo sua visita ao garboso Leão dos céus e ansiando por seus momentos de encontro com a Virgem que acolhe Marte e Saturno, este último sempre muito próximo à Spica, Estrela Alpha Virginis.

DIA 24 No cair da noite do dia 24, o encontro entre Lua, Saturno, Spica, Alpha Virginis, e Marte nos céus estrelados.  Belíssima cena, sem dúvida alguma: imperdível!



DIA 25  Lua, após seu belíssimo encontro triplo – com Marte, Saturno e Spica -, estará se despedindo e então ingressando na Balança, intencionando visitar suas duas estrelas ponteadoras, Zubenelgenubi e Zubenlschemalli.


DIA 26  LUA CRESCENTE.  Quando a noite cai, podemos encontrar a Lua bem ao zênite, metade luz, metade sombra... porém, sempre na roça, no campo, esta Lua já ilumina tão intensamente que podemos notar que muitas das estrelas mais tímidas do céu estrelado começam a se refugiar distante de nossos olhos.
DIA 27   Lua em Balança – constelação considerada como As Garras do Escorpião, na antiguidade.  Isso faz sentido, realmente, quando vemos as duas estrelas ponteadoras da Balança – Zubenelgenubi e Zubenelschemali – antecedendo o animal rastejante dos céus, o Escorpião.
DIA 28 – Lua entrando na Cabeça do Escorpião e então, encontrando-se com seu Coração, Antares, Estrela Alpha Scorpii.

Chuvas de Meteoros – Pisces Australídeas, Delta Aquarídeas e Alfa Capricornídeas - acontecendo em seus momentos de maior atividade bem ao final do mês de Julho – sendo que a Chuva Delta Aquarídeas será a que apresentará maior número de estrelas cadentes, 20, por hora, em função do fato de que a luminosidade da Lua estará impedindo uma melhor visão.  Sendo assim, os bons momentos de observação deverão acontecer bem em alta madrugada já do dia 29, a partir das duas, três horas da manhãzinha, munidos todos nós com cobertores e café ou chá quente... e muita esperança!


DIA 29 -  Lua no Perigeu.  Lua adentrando a constelação do Serpentário, Ophiucus, a décima-terceira constelação do Zodíaco.
OPHIUCUS, OFIÚCO
ou Serpentarius, aquele que Segura a Serpente
Ascensão Reta 15h58m / 18h42m      Declinação +14o.3 / -30o.1

Hercules, quando criança, estrangulou duas serpentes enviadas por Juno para mata-lo enquanto dormia em seu berço.  Esta constelação também foi chamada de Esculapius, o pai da medicina.

Quando o Zodíaco foi originalmente nomeado, a Eclíptica não passava pelo Ofiúco, de forma que esta constelação não foi incluída.  Hoje em dia, sim, em função da precessão,  Ofiúco recebe a passagem da linha da Eclíptica e o Sol passa um bom tempo aqui depois de ter adentrado a Cabeça do Escorpião e passado ao largo de sua estrela Alpha, Antares.

Ophiucus situa-se entre as constelações Serpens Cauda e Serpens Caput (e todas três acabam formando um conjunto imenso de situações entrelaçadas), e também Scorpius, Sagittarius, Scutum, Aquila, Hercules Corona Borealis, Libra

 
DIA 30 A Lua vai a cada noite avolumando e aproximando-se mais e mais do horizonte Leste onde pretende se tornar Lua Cheia ao começo do mês de Agosto.


DIA 31  Lua passeando pela constelação do Sagitário.



Algumas das Referências Bibliográficas:


http://pt.wikipedia.org/wiki/Messier_2
www.astronomy.com  página 39 – edição virtual de julho de 2012

- Richard Hinckley Allen, Star Names, Their Lore and Meaning, Dover Publications, Inc, New York, USA
- Ilustrações extraídas do programa Stellarium 0.11.1 e invertidas em suas cores originais através o Programa Photo-Paint X3  e configuradas para o ponto-de-vista de um observador no hemisfério sul - Latitude 22s52 e Longitude 43w00; com exceção da Ilustração para o lugar do eclipse anular do Sol, no dia 20.
- Os Textos que aparecem em fonte verde escuro são extraídos de meu Trabalho Da Terra ao Céu e ao Infinito, as 88 constelações do céu estrelado - ainda não publicado por completo porém sendo publicado em extratos, ou seja, uma constelação por vez.  - Alguns Textos extraídos dos meus trabalhos sobre as constelações da Virgem e da Lira: http://sobrevirgo.blogospot.com e http://sobrelyra.blogspot.com

-  V. E. Robson  - Stars and Constellations and Their Mythology – Samuel Weiser Inc., York Beach, Maine, USA

- Ronaldo Rogério de Freitas Mourão  - Atlas Celeste - 6a. Edição - Editora Vozes, Petrópolis, 1986
-    Mario Jaci Monteiro , As Constelações, Cartas Celestes -
Apoio: CARJ/MEC/CAPES/PADCT-SPEC 


COM UM ABRAÇO ESTRELADO,
JANINE MILWARD

Sítio das Estrelas 
Parada de um caminho a Caminho do Céu