quarta-feira, 27 de maio de 2015

Telescopium, o Telescópio sendo homenageado nos céus estrelados


Olá!

A Lua Crescente esconde-se atrás do horizonte oeste 
ao final da noite e começo de um novo dia.

Teremos, então, bons pares de horas madrugada adentro
para bem podermos apreciar
o céu estrelado escuro e transparente.

Existe uma constelação bem interessante
e que somente pode ser observada
em lugares de céus escuros e em noites límpidas
e com Lua ausente:
é a constelação do Telescópio
que repousa sob a Coroa Austral
(outra constelação maravilhosa porém acolhendo estrelas bem tímidas!)
e ambas essas constelações acontecem
bem próximasao lugar mais ao sul das entre as constelações do Escorpião e do Sagitário.

Quer dizer, viemos conhecendo bem nitidamente tanto o Escorpião quanto o Sagitário
- que podem ser observados em noites com Lua ou sem Lua 
(principalmente a figura impressionante do Escorpião, não é verdade?)...,
no entanto, a Coroa Austral e, fundamentalmente, o Telescópio
são constelações bem pouco visíveis nos centros muito iluminados artificialmente
ou mesmo em noites de Lua trazendo muita iluminação
aos céus estrelados.

Nesta Postagem, Caro Leitor,
veja algumas informações
sobre a tímida e quase imperceptível
constelação do Telescópio
(constelação bem recente, formada por La Caille, em 1752)..

Tímida e quase imperceptível - sim -,
porém representando uma imensa homenagem
ao fantástico instrumento óptico
que nos revelou um novo mundo!

Com um abraço estrelado,
Janine Milward

Stellarium



 TELESCOPIUM, O TELESCÓPIO


Mario Jaci Monteiro - As Constelações, Cartas Celestes





Galileo's telescope 


© 2010 Museo Galileo - Institute and Museum of the History of Science · Piazza dei Giudici 1 · 50122 Florence · ITALY
http://www.astronomy2009.org/static/archives/images/screen/galileo_05.jpg 
-  Istituto e Museo di Storia della Scienza, Florence










UMA REPRODUÇÃO DO TELESCÓPIO

USADO PARA DESCOBRIR URANO
- Na casa de WILLIAM HERSCHEL


A reproduction of the telescope used to discover Uranus, Herschel House, Bath, England,  // Credit: David J. Eicher

English Astronomers: Stonehenge and Bath, England


The garden in which William Herschel discovered Uranus, Herschel House, Bath, England, August 12, 2013.





 The music room, Herschel House, Bath, England, August 12, 2013.





Sir William Herschel
http://pt.wikipedia.org/wiki/William_Herschel

Artista
Lemuel Francis Abbott (1760–1802) 
Título
William Herschel, German-British astronomer.
Data
1785
Técnica
Óleo sobre tela
Dimensões
76.2 × 63.5 cm
Localização atual

Sir William Herschel (Hanôver15 de Novembro de 1738 — Slough25 de Agosto de 1822) foi um astrônomo e compositor alemão naturalizado inglês nascido na Alemanha. Aos 19 anos mudou-se para a Inglaterra onde passou a ensinar música, antes de se tornar um organista. Com o tempo passou a estudar astronomia e ficou famoso por sua descoberta do planeta Urano, assim como de duas de suas luas (Titania e Oberon), ele também descobriu duas luas de Saturno e a existência da radiação infravermelha. Ele é também conhecido pelas vinte e quatro sinfonias que compôs.
.........................................
Sua casa em Bath, onde ele fez inúmeros telescópios e observou Urano pela primeira vez, abriga atualmente o Museu de Astronomia Herschel.

LEIA MAIS SOBRE SIR WILLIAM HERSCHEL:




http://www.ianridpath.com/atlases/urania/urania08.jpg

Em Tempo e sobre a imagem acima:  
Minha citação sobre Sir William Herschel se deve ao fato de sua importância na Astronomia 
e no uso eficaz de um telescópio.  
No entanto, no passado e depois considerada obsoleta, 
houve a Constelação em sua honra:
 Telescopium Herschell, o Telescópio de Herschell
História: 
Constelação formada pelo Abade Hell em 1781,
 em honra a Sir William Herschell (o descobridor de Urano).



 TELESCOPIUM, O TELESCÓPIO


http://www.stellarium.org/pt/



 TELESCOPIUM, O TELESCÓPIO


Posicionamento:
Ascensão Reta 18h6m / 20h26m    Declinação -45o.4 / -56o.9


História:
Constelação formada por La Caille, em 1752.


Fronteiras:
É uma constelação rodeada pela Corona Australis, por Ara, 
Pavo (sua estrela Alpha, Peacock, faz fronteira com o Telescópio, realmente),
 Indus e Sagittarius.  


As três estrelas mais proeminentes aparecem bem próximas à fronteira com a Coroa Austral.







as reprinted 
in the Dover edition, 1963

The text is in the public domain.

Telescopium, or Tubus Astronomicus,

was formed by La Caille between Ara and Sagittarius on the edge of the Milky Way, but in such irregular form that it encroached upon four of the old constellations; η Sagittarii having been taken as β to mark the Telescope's stand; d Ophiuchi for its θ; σ was in Corona Australis; and γ was the υ of Scorpio. Bode had it in his Gestirne of 1805 as the Astronomische Fernrohr, crowding it in between Sagittarius and Scorpio; but Baily and Gould restricted it to the south of Scorpio, Sagittarius, and Corona Australis.

Gould assigned to it 87 naked-eye stars, the brightest a 3½‑magnitude.

Small as these are, two bore individual title s in Chinese astronomy; α being known as We, Danger; and γ as the mythological Chuen Shwo.

The constellation culminates on the 13th of August, at the same time as Wega of the Lyre.









Telescopium (Tel), o Telescópio, é uma constelação do hemisfério celestial sul. O genitivo, usado para formar nomes de estrelas, é Telescopii. É uma das 14 constelações criadas pelo astrônomo francês Nicolas Louis de Lacaille no século XVIII.
As constelações vizinhas são SagittariusCorona AustralisAraPavo e Indus.

A constelação Telescopium foi apresentada por volta de 1751 por Nicolas Louis de Lacaille com o nome em francês le telescope, representando um telescópio aéreo. Ela se alonga na direção norte entre Sagittarius e Scorpius1 . Johann Bode a denominou Astronomische Fernrohr em 1805 em sua obra Gestirne e manteve seu tamanho, mas Baily e Gould reduziram seus limiares2 . A constelação já reduzida perdeu outras estrelas brilhantes para as constelações vizinhas: Beta telescopii se tornouEta Sagittarii3 , onde já estava antes de Lacaille colocá-la na constelação4 . Gamma telescopii retornou ao seu antigo nome de45 Ophiuchi4 , e sigma telescopii foi colocado na constelação Corona Australis. Anteriormente esta estrela não possuía nome, mas agora é conhecida como HR 68754 .
Telescopium foi constantemente chamada "Tubus Astronomicus", entretanto este nome agora é obsoleto3 .




http://www.iau.org/static/public/constellations/gif/TEL.gif





Stellarium
Alpha Telescopii (α Tel, α Telescopii) é a estrela mais brilhante na constelação de Telescopium, com uma magnitude aparente de 3,48.1 Ptolomeu originalmente a incluiu na constelação de Corona Australis, mas ela foi movida para Telescopium quando a constelação foi criada por Nicolas Louis de Lacaille no século XVIII.5 Com base em medições de paralaxe, está localizada a aproximadamente 278 anos-luz (85 parsecs) da Terra.1
Alpha Telescopii é bem maior que o Sol, com cerca de cinco vezes a massa e três vezes o raio solar.3 Seu espectro corresponde a uma classificação estelar de B3 IV,1 onde a classe de luminosidade 'IV' indica que é uma estrela subgigante que consumiu praticamente todo o hidrogênio de seu núcleo e está saindo dasequência principal. É uma estrela brilhante, com 800 vezes a luminosidade solar. Essa energia está sendo irradiada da atmosfera externa a uma temperatura efetivade 16 700 K,3 o que lhe dá o brilho azul-branco típico de estrelas de classe B.6 É também uma estrela quimicamente peculiar que apresenta altas quantidades dehélio.7
Alpha Telescopii pertence a uma classe de estrelas variáveis conhecida como estrelas B pulsantes lentas. Tem um campo magnético longitudinal com uma força média de –233 ± 43 G e uma velocidade de rotação projetada de cerca de 14 km/s,3 considerada baixa para uma estrela desse tipo, o que sugere que a estrela está com o polo virado para a Terra.7
http://pt.wikipedia.org/wiki/Alpha_Telescopii


Stellarium

Zeta Telescopii (ζ Tel / ζ Telescopii) é a segunda estrela mais brilhante da constelação de Telescopium.
Zeta Telescopii é uma estrela gigante de classe K com magnitude aparente 4,13. Está a cerca de 127 anos-luz da Terra.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Zeta_Telescopii

Stellarium

Delta1 Telescopii (δ1 Tel / δ1 Telescopii) é uma estrela binária espectroscópica localizada na constelação de Telescopium.
Delta1 Telescopii é uma subgigante de classe B com magnitude aparente 4,916. Está a cerca de 800 anos-luz da Terra.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Delta1_Telescopii

Delta2 Telescopii (17 Telescopii) é uma estrela na direção da constelação de Telescopium. Possui uma ascensão reta de 18h 32m 01.94s e uma declinação de −45° 45′ 26.5″. Sua magnitude aparente é igual a 5.07. Considerando sua distância de 1116 anos-luz em relação à Terra, sua magnitude absoluta é igual a −2.60. Pertence à classe espectral B3III.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Delta2_Telescopii


Telescopium constellation map.png

"Telescopium constellation map". Licenciado sob CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons - http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Telescopium_constellation_map.png#/media/File:Telescopium_constellation_map.png


NGC 6584 é um aglomerado globular na direção da constelação de Telescopium. O objeto foi descoberto pelo astrônomo James Dunlop em 1826, usando um telescópiorefletor com abertura de 9 polegadas. Devido a sua moderada magnitude aparente (+7,9), é visível apenas com telescópios amadores ou com equipamentos superiores.

http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_6584

http://archive.stsci.edu/cgi-bin/dss_search?e=J2000&c=none&h=10&w=10&f=GIF&r=274.65705937847736&d=-52.21501896898023&v=all
http://www.messier45.com/index.html#s/NGC_6584





NGC 6868 é uma galáxia elíptica (E2) localizada na direcção da constelação de Telescopium. Possui uma declinação de -48° 22' 48" e uma ascensão recta de 20 horas, 09minutos e 54,0 segundos.

A galáxia NGC 6868 foi descoberta em 7 de Julho de 1834 por John Herschel.
http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_6868




http://archive.stsci.edu/cgi-bin/dss_search?e=J2000&c=none&h=5&w=5&f=GIF&r=302.47587920546425&d=-48.37975407993353&v=all
http://www.messier45.com/index.html#s/_NGC_6868







Stellarium


IC 4699 est une nébuleuse planétaire dans la constellation du Télescope.
  • Ascension droite 18h 14' 55"
  • Déclinaison - 46° 1'
  • Taille ?
  • Magnitude 11,9
Nébuleuse planétaire visible dans l'hémisphère sud.
La nébuleuse est située près de l'étoile alpha du Télescope, près de la limite avec les constellations Autel/Couronne Australe. Un télescope de 200 mm permet de voir cette nébuleuse. Attention toutefois à la proximité de l'étoile.
http://fr.wikipedia.org/wiki/IC_4699

http://www.nightskyatlas.com/viewer.jsp?rightAscension=19.2&declination=-50.1



http://www.stellarium.org/pt/





Bath e Stonehenge, 

Fátima e Janine

 em gelado domingo do outono inglês, 

em 1986


Perdoem-me pelas fotos arranhadas pelo scanner -
 fotos envelhecidas trabalhadas em scanner envelhecido...  
Eu sou a moçoila (aos meus 36 anos de idade) da direita,
 feliz e contente por estar em Stonehenge ao final  de um domingo outonal,
 quando saímos cedinho de Londres 
para tomar chá no campo, 
nos arredores de Bath.




  
Os desenhos formados pelas estrelas – As Constelações - são como janelas que se abrem para a infinitude do universo e que possibilitam nossa mente a ir percebendo que existe mais, bem mais, entre o céu e a terra bem como percebendo que o caos, vagarosamente, vai se tornando Cosmos e sendo por nossa mente conscientizado.  Quer dizer, nossa mente é tão infinita quanto infinito é o Cosmos.

COM UM ABRAÇO ESTRELADO,
Janine Milward




REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:



- 6a. Edição do Atlas Celeste
de autoria de Ronaldo Rogério de Freitas Mourão,
Editora Vozes, Petrópolis, ano de 1986
(com dedicatória do próprio autor para mim
em evento realizado no Museu de Astronomia do Rio de Janeiro,
em 16/06/1989)

-  Mario Jaci Monteiro , As Constelações, Cartas Celestes -

Apoio: CARJ/MEC/CAPES/PADCT-SPEC  -  com dedicatória do autor para mim, em março de 2004 (quando Mário Jaci generosamente me presenteou com um instrumento de observação (kepleriano) artesanalmente construído por ele).