quarta-feira, 6 de maio de 2015

Vênus aos pés dos Gêmeos Castor e Pollux



Olá!

Caro Leitor, observando o horizonte oeste ao cair da noite,
 você haverá de ter a oportunidade de acompanhar a belíssima Vênus
 brilhando radiosamente 
em sua visita aos Gêmeos Castor e Pollux.

Desde esses dias iniciais de maio até os dias iniciais de junho,
a Bela da Tarde, a Estrela Vespertina, 
Vênus estará cumprimentando 
uma série de estrelas bem simpáticas formando os pés e as pernas 
e os troncos e braços e as cabeças dos Gêmeos!

Inicialmente, Vênus estará iluminando
o ponto onde o Sol faz acontecer o Solstício 
do Inverno para o hemisfério sul e do Verão para o hemisfério norte. 

Nos dias 09 e 10 de maio,
Vênus encontra-se com o Objeto Messier 35 bem aos pés do Gêmeos Castor 
e próximo à Linha da Eclíptica.

Aproveite estes tempos de Lua entre Cheia e Nova, Caro Leitor,
para também ir buscando localizar alguns outros Objetos Celestes
aos pés dos Gêmeos Castor e Pollux:
NGC 2304, NGC 2129, NGC 2158, 
NGC 2355, NGC 2395.

Nos dias 10 e 11 de maio,
Vênus estará cumprimentando as estrelas Propus e Tejat, em Castor,
e a estrela Alhena, em Pollux.

Em Postagens posteriores, Caro Leitor,
estaremos dando continuidade aos nossos comentários
sobre a Visita de Vênus aos Gêmeos Castor e Pollux!

Boa Observação e Bons Estudos!

Com um abraço estrelado,
Janine Milward


Programa Stellarium

Programa Stellarium

Programa Stellarium

Programa Stellarium





Mario Jaci Monteiro - Cartas Celestes, As Constelações 
Apoio: CARJ/MEC/CAPES/PADCT-SPEC









 GEMINI, OS GÊMEOS



Posicionamento:
Ascensão Reta  5h57m / 8h6m    Declinação +10o.0 / +35o.4

Mito:
Esta constelação representa Castor e Pollux, os filhos gêmeos de Leda e Júpiter.


Algumas Informações Interessantes acerca esta Constelação:

A origem deste asterismo prende-se à coincidência 
de estar o sol nesta região do céu no período posterior às inundações do Nilo, 
precedendo a época da germinação e anunciando a fecundidade. 

 Inscrições existentes no túmulo de Ramsés VI, do século XIIII AC, 
mostram dois brotos de plantas no lugar dos Gêmeos: 
e à semelhança desta representação, no Atlas Celeste de Bayer,
 Pollux é encontrado armado de uma foice.

Na antiguidade, a constelação dos Gêmeos foi freqüentemente representada 
pela figura de duas estrelas sobre um navio,
 pois Castor e Pollux são considerados 
divindades protetoras dos marinheiros e viajantes.


Fronteiras:
A constelação Gemini situa-se entre 
Câncer, Lyinx, Auriga, Taurus, Orion, Monóceros e Canes Minor

- 6a. Edição do Atlas Celeste
de autoria de Ronaldo Rogério de Freitas Mourão,
Editora Vozes, Petrópolis, ano de 1986





Caro Leitor,
a entrada da contelação dos Gêmeos Castor e Pollux
nos apresenta o ponto do








Solstício de 21 de junho 


GÊMEOS CASTOR E POLLUX
JOGANDO FUTEBOL
..........  
sendo que a bola é o SOL!







Stellarium





VÊNUS, A BELA DA TARDE,
AOS PÉS DOS GÊMEOS CASTOR E POLLUX!


Nos dias 10 e 11 de maio,
Vênus estará cumprimentando as estrelas Propus e Tejat, em Castor,
e a estrela Alhena, em Pollux.


Programa Stellarium






Mario Jaci Monteiro - excerto da Carta Celeste dos Gêmeos 
- As Constelações, Cartas Celestes - CARJ



PRINCIPAIS ESTRELAS NOS PÉS DOS GÊMEOS
CASTOR E POLLUX:


Tejat Posterior- Delta Geminorum
Tejat Prior - Nu Geminorum
Ambas estas estrelas situam-se bem próximas à Eclíptica e vicinais à M35, belíssimo aglomerado aberto posicionado exatamente no caminho da Eclíptica.
Pé, nome proveniente do árabe Al Tahayi, usado para designar as partes superior e inferior do pé de um dos Gêmeos.


Alhena. Gama Geminorum.
Magnitude visual 1.93 - Distância 105 anos-luz.
Uma estrela branca e brilhante no pé esquerdo do Gêmeos ao Sul.  De Al Han’ah, uma Marca Queimada.  A Marca de Ferro - denominação árabe formada, na realidade, pelas estrelas Gama e Xi dos Gêmeos, que indica o estigama feito no pescoço dos camelos.

Propus - Eta Geminorum
O Pé Estirado, nome grego que procura indicar o fato de esta estrela estar situada no pé estirado de Castor.





- 6a. Edição do Atlas Celeste
de autoria de Ronaldo Rogério de Freitas Mourão,
Editora Vozes, Petrópolis, ano de 1986



Gamma Geminorum (γ Gem, γ Geminorum) é a terceira estrela mais brilhante da constelação de Gemini, com uma magnitude aparente de 1,915.2 É também conhecida pelos nomes de Alhena e Almeisan. Com base em medições de paralaxe pela sonda Hipparcos, está a aproximadamente 109 anos-luz (34 parsecs) da Terra.1
Alhena é uma estrela em evolução que está prestes a consumir todo o hidrogênio em seu núcleo e está no estágio de subgigante. Seu espectro corresponde a umaclassificação estelar de A1 IV.3 Tem 2,8 vezes a massa do Sol4 e 3,3 vezes o raio solar.5 Está irradiando cerca de 123 vezes a luminosidade do Sol5 de sua atmosfera externa a uma temperatura efetiva de 9 260 K,6 o que dá a ela a coloração branca típica de estrelas de classe A.8
Possui uma estrela companheira espectroscópica com um período de 12,6 anos (4 614,51 dias) e uma excentricidade muito alta de 0,8933.9 Em 1991, uma ocultaçãopelo asteroide 381 Myrrha revelou que o segundo componente do sistema é uma estrela de classe G da sequência principal cerca de 200 vezes menos brilhante que a estrela principal.10
http://pt.wikipedia.org/wiki/Alhena



Eta Geminorum (Propus, Praepes, Tejat Prior, 7 Geminorum) é uma estrela na direção da constelação de Gemini. Possui uma ascensão reta de 06h 14m 52.70s e uma declinação de +22° 30′ 24.6″. Sua magnitude aparente é igual a 3.31. Considerando sua distância de 349 anos-luz em relação à Terra, sua magnitude absoluta é igual a −1.84. Pertence à classe espectral M3III.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Eta_Geminorum

Mu Geminorum (μ Gem, μ Geminorum) é a quarta estrela mais brilhante da constelação de Gemini, com uma magnitude aparente média de 2,86.2 É conhecida pelo nome tradicional Tejat Posterior, que significa pé de trás, porque representa o pé de Castor. Os nomes Calx (Latim, significando calcanhar), Pish Pai (da língua persaPīshpāy, پیش‌پای, significando perna dianteira), e Nuhatai (do árabe Al Nuḥātai, "corcunda de um camelo") também foram dados a Mu Geminorum.6 9
A distância a Mu Geminorum, calculada a partir de medições de paralaxe durante a missão Hipparcos, é de aproximadamente 230 anos-luz (71 parsecs).1 Sua magnitude visual é diminuída em 0,07 como resultado de extinção por gás e poeira.10 Mu Geminorum é uma variável irregular lenta do tipo LB cuja magnitude varia entre +2,75 e +3,024 com um período principal de 27 dias, junto com um período muito maior de 2 000 dias.6
É uma gigante vermelha com uma classificação estelar de M3 III3 e uma temperatura efetiva de 3 773 K,7 o que significa que é muito mais brilhante, mas mais fria que o Sol. Tem 2,1 vezes a massa solar5 e 104 vezes o raio solar.6 Está atualmente no ramo gigante assintótico e está gerando energia através da fusão nuclear de hidrogênio e hélio em camadas concêntricas ao redor de um núcleo inativo de carbono e oxigênio.11
http://pt.wikipedia.org/wiki/Mu_Geminorum





Mario Jaci Monteiro - excerto da Carta Celeste dos Gêmeos 
- As Constelações, Cartas Celestes - CARJ




Nos dias 09 e 10 de maio,
Vênus estará cumprimentando o Objeto Messier 35,
um aglomerado aberto situado na direção dos pés do Gêmeo Castor
e bem grudado à Linha da Eclíptica!

Aproveite estes tempos de Lua entre Cheia e Nova, Caro Leitor,
para também ir buscando localizar alguns outros Objetos Celestes
aos pés dos Gêmeos:
NGC 2304, NGC 2129, NGC 2158, 
NGC 2355, NGC 2395.


Programa Stellarium


AGLOMERADO ABERTO AOS PÉS DOS GÊMEOS: 

NGC 2168 - M 35 - Aglomerado Aberto
Ascensão Reta 06h07m    Declinação +24o.21
Magnitude fotográfica global  5,6   Magnitude fotográfica da mais brilhante estrela 9,0
Distância kpc 0,87  Diâmetro 29’   Tipo Espectral B5

Esplêndido aglomerado aberto, visível a olho nu,
 a dois graus a noroeste de Eta Geminorum, o Pé Estirado. 

 Formado por mais de 600 estrelas, está situado à distância de 1.500 anos-luz. 
 Com um bom par de binóculos, são percebidas algumas estrelas
 e com um bom telescópio, cerca de 300!

Esplêndido aglomerado aberto, visível a olho nu,
 a dois graus a noroeste de Eta Geminorum, o Pé Estirado. 
 Formado por mais de 600 estrelas, está situado à distância de 1.500 anos-luz.  
Com um bom par de binóculos, são percebidas algumas estrelas 
e com um bom telescópio, cerca de 300!


6a. Edição do Atlas Celeste 
de autoria de Ronaldo Rogério de Freitas Mourão,
Editora Vozes, Petrópolis, ano de 1986

Programa Stellarium


Messier 35 (também conhecido como M35 ou NGC 2168) é um aglomerado aberto localizado na constelação de Gêmeos. Foi descoberto por Philippe Loys de Chéseaux em1745 e independentemente redescoberto por John Bevis antes de 1750.
M35 está a uma distância de cerca de 2800 anos-luz da Terra e tem um diâmetro de cerca de 24 anos-luz. O aglomerado tem uma idade entre 95 e 110 milhões de anos e contém algumas estrelas que já abandonaram a seqüência principal.
..............................
A descoberta do aglomerado aberto é geralmente creditada ao astrônomo suíço-francês Jean-Philippe de Chéseaux em 1745 ou 1746. Também estava presente naUranographia Britannica, de John Bevis, publicada em 1750. É possível que Bevis tenha descoberto objeto antes de de Chéseaux, mas não há registros comprovatórios.Charles Messier, que o catalogou em 30 de agosto de 1764, creditou a descoberta do aglomerado a Bevis.2
Pode ser visualizado mesmo a olho nu em um céu noturno com boas condições. Um binóculo pode observar as estrelas mais brilhantes do aglomerado e telescópios amadores de baixa magnificação são os melhores instrumentos ópticos para a sua observação

Messier 35
Aglomerado aberto Messier 35
Aglomerado aberto Messier 35
Descoberto porPhilippe Loys de Chéseaux
Data1745
Dados observacionais (J2000)
ConstelaçãoGemini
TipoAglomerado aberto
Asc. reta06h 09.1m1
Declinação+24° 21′1
Distância2800 anos-luz
Magnit. apar.5.30
Outras denominações
NGC 21681
Messier 35
Gemini constellation map.png

http://pt.wikipedia.org/wiki/Messier_35



Aglomerado aberto Messier 35
Image of M35 Credit: Atlas Image [or Atlas Image mosaic] obtained as part of the Two Micron All Sky Survey (2MASS), a joint project of the University of Massachusetts and the Infrared Processing and Analysis Center/California Institute of Technology, funded by the National Aeronautics and Space Administration and the National Science Foundation.





Mario Jaci Monteiro - excerto da Carta Celeste dos Gêmeos 
- As Constelações, Cartas Celestes - CARJ




NGC 2304 é um aglomerado aberto na direção da constelação de Gemini. O objeto foi descoberto pelo astrônomo William Herschel, em 1783, usando um telescópiorefletor com abertura de 18,6 polegadas. Devido a sua moderada magnitude aparente (+10), é visível apenas com telescópios amadores ou com equipamentos superiores.

Programa Stellarium







NGC 2129 é um aglomerado aberto na direção da constelação de Gemini. O objeto foi descoberto pelo astrônomo William Herschel em 1784, usando um telescópio refletor com abertura de 18,6 polegadas. Devido a sua moderada magnitude aparente (+6,7), é visível apenas com telescópios amadores ou com equipamentos superiores.

Programa Stellarium








NGC 2158 é um aglomerado aberto na direção da constelação de Gemini. O objeto foi descoberto pelo astrônomo William Herschel em 1784, usando um telescópio refletor com abertura de 18,6 polegadas. Devido a sua moderada magnitude aparente (+8,6), é visível apenas com telescópios amadores ou com equipamentos superiores.







http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_2158#mediaviewer/File:NGC_2158.jpg
Image of NGC 2158 Credit: Atlas Image [or Atlas Image mosaic] obtained as part of the Two Micron All Sky Survey (2MASS), a joint project of the University of Massachusetts and the Infrared Processing and Analysis Center/California Institute of Technology, funded by the National Aeronautics and Space Administration and the National Science Foundation.



Programa Stellarium






IC 2157






http://it.wikipedia.org/wiki/IC_2157#mediaviewer/File:IC_2157_map.png
Roberto Mura - Opera propria

IC 2157 è un ammasso aperto visibile nella costellazione dei Gemelli.

..............................................
IC 2157 venne individuato per la prima volta soltanto nel 1899, quando Thomas Espin lo riconobbe come ammasso aperto; la sua bassa luminosità e la sua scarsa concentrazione aveva fatto in modo che quest'oggetto fosse ignorato dalla famiglia Herschel. Venne infine inserito nell'Index Catalogue, pubblicato come un'estensione del New General Catalogue.[4]

http://it.wikipedia.org/wiki/IC_2157




http://it.wikipedia.org/wiki/IC_2157#mediaviewer/File:IC_2157.jpg
w:en:Palomar Observatory/w:en:STScI/w:en:WikiSky - WikiSky.org, ritaglio eseguito con lo snapshot tool








NGC 2355 é um aglomerado aberto na direção da constelação de Gemini. O objeto foi descoberto pelo astrônomo William Herschel em 1784, usando um telescópio refletor com abertura de 18,6 polegadas. Devido a sua moderada magnitude aparente (+9,7), é visível apenas com telescópios amadores ou com equipamentos superiores.


http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_2355


Programa Stellarium







NGC 2395 é um aglomerado aberto na direção da constelação de Gemini. O objeto foi descoberto pelo astrônomo William Herschel em 1784, usando um telescópio refletor com abertura de 18,6 polegadas. Devido a sua moderada magnitude aparente (+8), é visível apenas com telescópios amadores ou com equipamentos superiores.

http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_2395


Programa Stellarium




Os desenhos formados pelas estrelas 
- AS CONSTELAÇÕES -
são como janelas que se abrem para a infinitude do universo 
e que possibilitam nossa mente a ir percebendo que existe mais, bem mais, 
entre o céu e a terra...  
bem como percebendo que o caos, vagarosamente, vai se tornando Cosmos 
e sendo por nossa mente conscientizado.  

Quer dizer, 
nossa mente é tão infinita quanto infinito é o Cosmos.


COM UM ABRAÇO ESTRELADO,
Janine Milward



VISITE MINHA PÁGINA
DA TERRA AO CÉU E AO INFINITO
http://daterraaoceueaoinfinito.blogspot.com.br/