terça-feira, 16 de junho de 2015

Indus, um Índio nos céus estrelados do sul

Olá!

 Índio, Indus,

é uma constelação de estrelas pouco iluminadas
- porém que acolhe 
a 12 anos-luz de distância da Terra
EPSILON INDI, 
uma das 20 estrelas mais próximas do Sol.



Stellarium



Nesses momentos quando Escorpião e Sagitário
encontram-se no meio do céu, no zênite,
bem por volta da meia-noite
e com a ausência da Lua,
não é assim tão difícil tentarmos divisar 
as estrelinhas que compõem o Índio dos céus estrelados do sul...,
ou, pelo menos, encontrarmos a estrela-alpha Pavonis, Peacock,
na constelação do Pavão, bem unida ao Índio.

O Pavão e o Índio, Pavo e Indus,

encontram-se ao sul do Sagitário
e entre  o Altar, Ara, e ainda o indefectível Triângulo Austral
 bem ao lado das estrelas Alpha e Beta Centauri, dois ponteiros
- e o pássaro Grou, Grus, com sua belíssima estrela-alpha Grui, Alnair, balizando
as demais estrelinhas em formação de pelotão
bem como este pássaro é antecedido por Fomalhaut, estrela-alpha Pisces Austrinus,
um pequeno farol ao sul indicando o Grou, 
e este sendo seguido pelo Índio e pelo Pavão.

A bem da verdade, 

eu penso que somente sob céus rurais, pelo menos,
o Caro Leitor poderá divisar mais satisfatoriamente
tanto o Índio quanto o Pavão...

Outra questão também muito importante

a ser comentada sobre a proximidade das constelações Pavão e Índio
é o fato de que comungam o chamado
Super Aglomerado Pavo-Indus
- considerado um Aglomerado não muito importante
por não ser uma concentração densa de galáxias 
e por não conter qualquer rico aglomerado de galáxias. 

Com um abraço estrelado,

Janine Milward






Stellarium

Stellarium
Stellarium




http://www.atlascoelestis.com/baj%2051.htm
Iohann Bayer  
Uranometria , Augusta 1603



http://www.raremaps.com/gallery/enlarge/33613

http://www.raremaps.com/gallery/detail/33613/Celestial_Map_of_the_Southern_Hemisphere/Pardies.html
Title: [Celestial Map of the Southern Hemisphere]   Map Maker: Ignace Gaston Pardies

Mario Jaci Monteiro - As Constelações, Cartas Celestes



 INDUS, O ÍNDIO

Posicionamento:
Ascensão Reta  20h25m / 23h25m    Declinação -45o.4 / -74o.7

História:
Constelação formada por Bayer, 1604.

Algumas Informações Interessantes acerca esta Constelação:
É uma constelação mais ao sul 
e facilmente identificada por se situar 
entre as estrelas Alpha Gruis, Al Nair, 
e Alpha Pavonis, Peacock.

A Estrela Alpha Indi possui a magintude 3.2, a mais brilhante na constelação, 
enquanto a estrela Beta Indi está próxima à magnitude 4
e as demais estrelas estão além a magnitude 4.  

Epsilon Indi é uma das estrelas mais próximas ao Sol,
 cerca de 11.4 anos-luz,
 numa magnitude visual de 4.7.

Fronteiras:
As constelações de Grus, Microscopium, Telescopium, Pavo, Octans e Tucana.




- 6a. Edição do Atlas Celeste
de autoria de Ronaldo Rogério de Freitas Mourão,
Editora Vozes, Petrópolis, ano de 1986


http://penelope.uchicago.edu/Thayer/E/Gazetteer/Topics/astronomy/_Texts/secondary/ALLSTA/Indus*.html

The text is in the public domain.

Indus, the Indian,

is the German Indianer, the Italian Indiano, and the French Indien; La Lande giving the alternative Triangle Indien, probably from the general outline of its chief stars.
It is one of Bayer's new constellations, south of the Microscope, between Grus and Pavo, and, although generally supposed to represent a typical American Indian, its publisher drew it as a far more civilized character, yet nude, with arrows in both hands, but no bow. Flamsteed's Atlas has a similar figuring. Julius Schiller, however, went much further back in point of time and joined it with Pavo as the patriarch Job.
Indus, or its lucida α, was Pe Sze in China, where it also was known as the Persian, a title from the Jesuit missionaries.
Gould assigned to it 84 naked-eye stars, from 3.1 to 7th magnitudes; but none of these are specially noticeable except the 6.3 γ, which may be a variable, and ε, with the unusually large proper motion of 4ʺ.6 annually, a rate of speed that will carry it to the south pole in 50,000 years.






Indus constellation map.png
"Indus constellation map". Licenciado sob CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons - http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Indus_constellation_map.png#/media/File:Indus_constellation_map.png




http://www.stellarium.org/pt/




Indus, o Índio, é uma constelação do hemisfério celestial sul.
O genitivo, usado para formar nomes de estrelas, é Indi.
Epsilon Indi é uma das estrelas mais próximas,
a aproximadamente 11,82 anos-luz do Sol.



 A 12 anos-luz de distância da Terra
EPSILON INDI 
é uma das 20 estrelas mais próximas do Sol.

Leia mais sobre este Tema, acessando 

VEJA O VÍDEO:
VIAJANDO ENTRE AS ESTRELAS MAIS PRÓXIMAS AO NOSSO SISTEMA SOLAR
Author: ESO/I. Crossfield/N. Risinger
Date: 29 January 2014
Description
English: This video takes you on a fly-through of the space around the nearest stars to the Sun. Some familiar stars are visible, such as Alpha Centauri, Sirius and Barnard's Star, but there is also a faint object only discovered in early 2013 — this is WISE J104915.57-531906.1AB, which is informally known as Luhman 16AB, a recently discovered pair of brown dwarfs only six light-years from the Sun. It is the third closest system to the Solar System.
Date29 January 2014
SourceESO
AuthorESO/I. Crossfield/N. Risinger


http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_nearest_stars#mediaviewer/File:Nearby_Stars_(14ly_Radius).svg
Nearby Stars (14ly Radius)Public Domain
Inductiveload - self-made, Mathematica, Inkscape. See also: http://www.daviddarling.info/encyclopedia/S/starsnearest.html


http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_nearest_stars#mediaviewer/File:Nearest_stars_red-green.png
Nearest stars red-green
Periferomenos - Own work
VEJA A ANIMAÇÃO:
http://en.wikipedia.org/wiki/File:Nearest_stars_rotating_red-green.gif
3D animation of the nearest stars (within 14 light years), for red-green glasses. The perception of depth is approximately quantitatively accurate, but depends on display resolution and zoom.



Stellarium




Epsilon Indi (HD 209100 / HR 8387)

Due to Epsilon Indi's relative proximity and similarity of spectral type to Sol, the star has been an object of intense interest among astronomers. Epsilon Indi became one of the top 100 target stars for NASA's proposed Terrestrial Planet Finder (TPF), but the project has been postponed indefinitely.
....................................
  • Constellation Indus was created by Dutch navigators Pieter Dirkszoon Keyser and Frederick de Houtman, who charted the southern skies from 1595 to 1597. Since many Europeans were exploring North America at the time, Johann Bayer decided to honor the new constellation by naming it for the American Indian in a collection of new constellations for his 1603 book Uranometria. For more information about the stars and other objects in this constellation, go to Christine Kronberg's Indus. For an illustration, see David Haworth's Indus.
Saiba mais, acessando
http://www.solstation.com/stars/eps-indi.htm


http://www.solstation.com/stars/eps2imap.jpg

http://simbad.u-strasbg.fr/simbad/sim-id?Ident=HD+209100

Epsilon Indi (HD 209100 / HR 8387) é um estrela na constelação de Indus (o índio), perto da Pequena Nuvem de Magalhães. Com magnitude aparente +4,69, é a sexta estrela mais brilhante de sua constelação. A 12 anos-luz de distância da Terra, é uma das 20 estrelas mais próximas do Sol. Se pensa que forma parte de uma associação estelar que leva seu nome, que inclui ao menos 16 estrelas.
Epsilon Indi é um sistema binário, cujo componente principal, Epsilon Indi A, é uma anã laranja do tipo espectral K4V e com temperatura superficial de 4620 K. Com uma massa de 3/4 da massa solar, e luminosidade solar 22% a do Sol. Sua metalicidade é mais ou menos igual a do Sol e, igual a este, apresenta atividade cromosférica, com um período de rotação de 23 dias, também similar ao do Sol.
Em 2003, anunciou-se o descobrimento de um anã marromEpsilon Indi B, a uma distância de pelo menos 1500 UA da estrela principal. Foi descoberta graças ao rápido movimento próprio no céu que tem este sistema estelar: em 400 anos se move a uma distância igual ao tamanho da Lua, o que indicava que estava muito próxima a nós. Para este descobrimento combinaram imagens fotográficas de arquivo, comparando-as com imagens recentes do catálogo Two Micron All Sky Survey (2MASS). A confirmação se realizou com a câmara infravermelha SOFI do telescópio ESO 3.5-m New Technology Telescope (NTT) do Observatório de La Silla, noChile.
Epsilon Indi B tem uma massa entre 40 e 60 vezes a massa de Júpiter e uma luminosidade de só 0,002% a do Sol. Meses depois de seu descobrimento, se descobriu que Epsilon Indi B é por sua vez um sistema binário composto por duas anãs marrons, separadas por 2,1 UA. A mais massiva delas, Epsilon Indi B, está classificada com o tipo espectral T1, enquanto que Epsilon Indi C está classificada com o tipo T6. Suas massas respectivas são 47 e 28 vezes a massa de Júpiter e suas temperaturas superficiais se estimam em 1250 e 850 K.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Epsilon_Indi

Epsilon Indi (ε Ind, ε Indi) is a star system approximately 12 light-years away from the Earth in the constellation of Indus consisting of a K-type main-sequence star, ε Indi A, and two brown dwarfs, ε Indi Ba and ε Indi Bb, in a wide orbit around it.[9] The brown dwarfs were discovered in 2003. ε Indi Ba is an early T dwarf (T1V) and ε Indi Bb a late T dwarf (T6V) separated by 0.6 arcseconds, with a projected distance of 1460 AU from their primary star.
................................................
The constellation Indus (the Indian) first appeared in Johann Bayer's celestial atlas Uranometria in 1603. The 1801 star atlas Uranographia, by German astronomerJohann Elert Bode, places Epsilon Indi as one of the arrows being held in the left hand of the Indian.[10]
In 1847, Heinrich Louis d'Arrest compared the position of this star in several catalogues dating back to 1750, and discovered that it possessed a measureable proper motion. That is, he found that the star had changed position across the celestial sphere over time.[11] In 1882–3, the parallax of Epsilon Indi was measured by astronomersDavid Gill and William L. Elkin at the Cape of Good Hope. They derived a parallax estimate of 0.22 ± 0.03 arcseconds.[12] In 1923, Harlow Shapley of the Harvard Observatory derived a parallax of 0.45 arcseconds.[13]
During Project Ozma in 1960, this star was examined for artificial radio signals, but none were found.[14] In 1972, the Copernicus satellite was used to examine this star for the emission of ultraviolet laser signals. Again, the result was negative.[15] Epsilon Indi leads a list, compiled by Margaret Turnbull and Jill Tarter of the Carnegie Institutionin Washington, of 17,129 nearby stars most likely to have planets that could support complex life.[16]
................................................
In January 2003, astronomers announced the discovery of a brown dwarf with a mass of 40 to 60 Jupiter masses in orbit around Epsilon Indi at a distance of at least 1,500 AU.[25][26] In August 2003, astronomers discovered that this brown dwarf was actually a binary brown dwarf, with an apparent separation of 2.1 AU and an orbital period of about 15 years.[8][27] Both brown dwarfs are ofspectral class T; the more massive component, ε Indi Ba, is of spectral type T1V–T1.5V and the less massive component, Epsilon Indi Bb, of spectral type T6V.[8]
.............................................

LEIA MAIS, MUITO MAIS, ACESSANDO

http://en.wikipedia.org/wiki/Epsilon_Indi#mediaviewer/File:Eps2iall.jpg
Eps2iallPublic Domain

http://www.daviddarling.info/encyclopedia/E/Epsilon_Indi.html
One of the nearest stars to the Sun. Epsilon Indi is a dwarf K star, orange in color, somewhat cooler than the Sun, and with about one-seventh the solar luminosity; it lies in the constellation Indus. Epsilon Indi has the tenth largest proper motion of any known star. Because, relatively speaking, it is moving so quickly across the sky, in only a few thousand years it will have moved out of Indus and into the neighboring constellationTucana (the Toucan). 

The brown dwarfs of Epsilon Indi

Around Epsilon Indi, at an average distance of 1.46 AU (220 million km), orbits the nearest known brown dwarf. Discovered in 2003, this brown dwarf, Epsilon Indi Ba, has a mass of 40 to 60 times the mass of Jupiter and a surface temperature of about 1,260 K. Shortly after its discovery, Epsilon India Ba was found to have an orbital companion of its own – a cooler, fainter brown dwarf known as Epsilon Indi Bb. 

The projected separation as seen on the sky between Epsilon Indi and Indi Ba is approximately 1500 AU (one AU, or astronomical unit, is the average distance between the Earth and the Sun or about 93 million miles/150 million km), and the distance between Epsilon Indi Ba and the newly discovered Epsilon Indi Bb is at least 2.2 AU. Epsilon Indi Ba and Bb are members of a recently discovered type of astronomical object – the "T" class brown dwarfs. 
http://www.daviddarling.info/encyclopedia/E/Epsilon_Indi.html



http://www.iau.org/static/public/constellations/gif/IND.gif



NGC 7029 é uma galáxia elíptica (E6) localizada na direcção da constelação de Indus. Possui uma declinação de -49° 17' 01" e uma ascensão recta de 21 horas, 11minutos e 51,7 segundos.
A galáxia NGC 7029 foi descoberta em 2 de Outubro de 1834 por John Herschel.
http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_7029


NGC 7125 é uma galáxia espiral barrada (SBc) localizada na direcção da constelação de Indus. Possui uma declinação de -60° 42' 45" e uma ascensão recta de 21 horas, 49 minutos e 16,2 segundos.
A galáxia NGC 7125 foi descoberta em 22 de Julho de 1835 por John Herschel.
http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_7125


NGC 7126 é uma galáxia espiral (Sc) localizada na direcção da constelação de Indus. Possui uma declinação de -60° 36' 34" e uma ascensão recta de 21 horas, 49minutos e 18,3 segundos.
A galáxia NGC 7126 foi descoberta em 22 de Julho de 1835 por John Herschel.
http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_7126




NGC 7041 é uma galáxia elíptica (E-S0) localizada na direcção da constelação de Indus. Possui uma declinação de -48° 21' 47" e uma ascensão recta de 21 horas, 16minutos e 32,1 segundos.
A galáxia NGC 7041 foi descoberta em 7 de Julho de 1834 por John Herschel.
http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_7041

http://skyview.gsfc.nasa.gov/current/cgi/runquery.pl?Interface=quick&VCOORD=NGC7041&SURVEY=Digitized+Sky+Survey





NGC 7049 is a galaxy that spans about 150 000 light-years and lies about 100 million light-years away from Earth in the inconspicuous southern constellation of Indus.
NGC 7049's unusual appearance is largely due to a prominent rope-like dust ring which stands out against the starlight behind it. These dust lanes are usually seen in young galaxies with active star-forming regions. NGC 7049 shows the features of both an elliptical galaxy and a spiral galaxy, and has relatively few globular clusters[1] The bright star at the top of the ring is in our own Galaxy. Not visible is an unusual central polar ring of gas circling out of the plane near the galaxy's center. NGC 7049 is the brightest (BCG) of the Indus triplet of galaxies (NGC 7029NGC 7041, NGC 7049), and its structure might have arisen from several recent galaxy collisions. Typical BCGs are some of the oldest and most massive galaxies. [2]
http://en.wikipedia.org/wiki/NGC_7049

http://en.wikipedia.org/wiki/NGC_7049#mediaviewer/File:NGC_7049aa.jpg
NGC 7049aaPublic Domain
NASA/ESA/Hubble Space Telescope - http://antwrp.gsfc.nasa.gov/apod/ap090408.html




NGC 7090 é uma galáxia espiral barrada (SBc) localizada na direcção da constelação de Indus. Possui uma declinação de -54° 33' 18" e uma ascensão recta de 21horas, 36 minutos e 27,7 segundos.
A galáxia NGC 7090 foi descoberta em 4 de Outubro de 1834 por John Herschel.
http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_7090

http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_7090#mediaviewer/Ficheiro:NGC_7090_Hubble_WikiSky.jpg
NGC 7090 Hubble WikiSkyDomínio público
en:NASAen:STScIen:WikiSky - en:WikiSky's snapshot tool - [1]





Supermassive black holes belch gas out of evolving galaxies at crazy speeds

Seyfert galaxy IC 5063 has a giant black hole, spewing gas at over 625,000 miles per hour. For the first time, astronomers know what is driving this massive acceleration.

Stellarium


http://www.atlascoelestis.com/baj%2051.htm
Iohann Bayer  

Uranometria , Augusta 1603



The Pavo-Indus Supercluster


http://www.atlasoftheuniverse.com/superc/pavind.html




The Pavo-Indus Supercluster is not regarded as a major supercluster. It is not a particularly dense concentration of galaxies and it doesn't contain any very rich clusters of galaxies. This map below shows the brightest galaxies (from the Principal Galaxies Catalogue) in this region of the sky. The Pavo-Indus Supercluster is faintly visible as a curving wall of galaxies that connects to the rich A3627 cluster and ultimately to the Centaurus supercluster.

The Pavo-Indus Supercluster

Abell    Coordenadas    Coordenadas  R  Redshift Distância    Membro
Número   Equatoriais    Galácticas               Milhões   Superaglomerado
                                                                          anos-luz
          RA       Dec         L°    B°               (H=70)
A3742  21 06.7  -47 09  229.7 +20.5  0  .0152     211     Pavo-Indus
A3656  20 00.5  -38 32  221.8 +33.6  0  .0178     246     Pavo-Indus
 A3698  20 36.0  -25 17  237.8 +42.2  1  .0188     260     Pavo-Indus
Pavo Superaglomerado não é considerado como um supercluster importante por não ser uma concentração densa de galáxias e por não conter qualquer rico aglomerado de galáxias. Este supercluster marca um dos términos de uma longa muralha de galáxias que acolhem o superaglomerado Centaurus e provavelmente, o superaglomerado Virgo, da mesma forma.





Superaglomerados de galáxias


As observações dos objetos existentes no Universo mostraram aos astrônomos que existe uma estrutura hierárquica no Universo. Como já vimos, as estrelas estão reunidas em aglomerados estelares e em estruturas maiores que chamamos de galáxias. Por sua vez as galáxias interagem gravitacionalmente formando grupos e aglomerados de galáxias. Estudos mais detalhados do universo mostraram que os próprios aglomerados de galáxias também interagem formando os chamadossuperaglomerados de galáxias.

Os superaglomerados de galáxias são estruturas imensas em que os elementos participantes são os aglomerados de galáxias. Os superaglomerados de galáxias são separados no espaço por regiões "vazias", chamadas em inglês de "voids".

Mas porque estruturas tão gigantescas como os superaglomerados de galáxias não foram logo descobertas? Note que acima demos as três dimensões da Grande Parede. Para "ver" uma estrutura tri-dimensional no universo é necessário localizar a posição das galáxias em três dimensões e isso envolve o conhecimento não só da localização da galáxia pelas suas coordenadas mas a combinação dessas informações com a distância, que é obtida a partir do conhecimento do seu redshit. 
..............................

Superaglomerado Pavus-Indus 

Vizinho ao Superaglomerado Local (que contém o Grupo Local, ao qual a nossa Galáxia pertence), encontramos o Superaglomerado Pavo-Indus. 

Esse superaglomerado contém quatro aglomerados principais de galáxias, Abell 3656, Abell 3698, Abell 3742 e Abell 3747. 





http://media.skysurvey.org/interactive360/index.html





SAIBA MAIS
SOBRE A CONSTELAÇÃO DO PAVÃO
ACESSANDO 
http://daterraaoceueaoinfinito.blogspot.com.br/2013/08/pavo-o-pavao.html
SOBRE A CONSTELAÇÃO DO ÍNDIO




REGIÕES 
AUSTRAL
POLAR SUL


Stellarium

Stellarium



Mario Jaci Monteiro - As Constelações, Cartas Celestes - CARJ




Confira, Caro Leitor, 
algumas constelações - e duas Galáxias! - bem ao sul 
e fazendo a côrte ao Polo Sul
e que já vêm sendo apresentadas
neste nosso Trabalho Da Terra ao Céu e ao Infinito:



    Os desenhos formados pelas estrelas – As Constelações - são como janelas que se abrem para a infinitude do universo e que possibilitam nossa mente a ir percebendo que existe mais, bem mais, entre o céu e a terra...; bem como percebendo que o caos, vagarosamente, vai se tornando Cosmos e sendo por nossa mente conscientizado.  

    Quer dizer, nossa mente é tão infinita quanto infinito é o Cosmos.

    COM UM ABRAÇO ESTRELADO,
    Janine Milward




    The Consellations (Southern Hemisphere)
    Map Maker: Elijah J. Burritt
    Decorative chart of the southern skies, with a chart at the bottom left, identifying the magnitude of the various stars.

    The constellations and major stars are named within the image.  From Burritt's Atlas Designed to Illustrate the Geography of the Heavens.