sexta-feira, 25 de março de 2016

Carnaval, Quarta-Feira de Cinzas, Páscoa... algumas festas pagãs e cristãs móveis atreladas à Astronomia





Você sabia que tanto o Carnaval quanto a Quarta-Feira de Cinzas - festas móveis - são atrelados à Astronomia? E por que são festas móveis?

Bem, a Quarta-Feira de Cinzas acontece inaugurando, digamos assim, um tempo chamado de Quaresma, uma espécie de quarentena preparatória para os cristãos voltarem-se para suas interiorizações próprias..., até que encontrem seus Renascimentos, na Páscoa, a chamada Páscoa da Ressurreição.

A Páscoa - assim como a Semana Santa que a precede - são eventos também móveis e são atrelados à Astronomia.

E como tudo isso acontece e por que é a Astronomia a ciência que estrutura todas estas festas, estes eventos?

Muito simples: todos sabemos que no dia 21 de março entra em cena o Equinócio da Primavera, o chamado Ponto Vernal (o entrecruzamento das Linhas do Equador Celeste e da Eclíptica acontecendo em um ponto da constelação Pisces, os Peixes, e esse ponto inaugura um novo ciclo). Veja em http://oceudomes.blogspot.com.br/.../lua-recem-nova...

A Páscoa, enquanto festa cristã, acontece no primeiro domingo depois da primeira Lua Cheia do Equinócio da Primavera, simples assim.

Quer dizer, tudo acontece a partir da primeira Lua Cheia depois da entrada em cena do posicionamento do Sol passando pelo Ponto Vernal, simples assim.

E sabemos que o Carnaval sempre termina (?!?) na Quarta-Feira de Cinzas e a quarta-feira de cinzas acontece exatamente 40 dias antes da primeira Lua Cheia após o Equinócio da Primavera, simples assim.

Neste ano, a primeira Lua Cheia após o Equinócio da Primavera estará acontecendo em 23 de março, numa quarta-feira precedendo a famosa Quinta-Feira quando da Última Ceia sendo comemorada e a famosa Sexta-Feira da Paixão.... - sendo que o domingo de Páscoa estará acontecendo no dia 27 de março.

Muito antigamente e ainda antes dessas questões cristãs sobre a Páscoa, existia a Páscoa, sim, no sentido das festividades de comemoração do Renascimento da Vida após o longo inverno da (quase) desesperança! E estas festividades aconteciam exatamente no dia da Lua Cheia primeira após o Equinócio da Primavera: Primavera! O Retorno da Vida.

E sabemos que uma noite de Lua Cheia é algo sempre encantador e que convida as pessoas a saírem para o mundo iluminado pela luminosidade ímpar da Lua, é claro, podendo todos curtirem a festa durante a noite inteira, inteirinha, inteirinha e sob o belo luar iluminando campos e cidades e povos felizes com o retorno da vida, com a chegada da Primavera!

Com um abraço estrelado,
Janine Milward

segunda-feira, 21 de março de 2016

Lua encontrando-se com Júpiter e já avisando sobre a chegada da espaçonave Juno, em começo de julho!

Olá!

Caro Leitor,
em relatos míticos,
Júpiter e Juno ocupam os tronos do Olimpo
e são um casal bem interessante
pois que Juno é relatada como sempre buscando flagrar
seu marido em seus encontros ocultos
com amantes vários...


 As histórias míticas sobre Juno sempre a retratam 
como esposa fiel e dedicada
 porém imensamente ciumenta e até rancorosa
... e vingativa. 



Júpiter por várias vezes teve que disfarçar-se

para despistar sua ciumenta esposa 
- e poder seduzir e realizar-se em amores extra-conjugais... 

Algumas dessas paixões
que também fizeram parte da vida amorosa de Júpiter
acabaram emprestando seus nomes para a nomeação das
quatro principais Luas de Júpiter,
as chamadas Luas Galileicas
(e ainda outras Luas que vieram sendo conhecidas
e nomeadas).


Na vida real dos dias de hoje,
sabemos que a espaçonave Juno vem aproximando-se
mais e mais do Planeta Júpiter.... céus...
bem como das várias Luas que nomeiam
os amores extra-conjugais do deus dos deuses...  céus...


Estaremos, portanto, diante da repetição do mito
- ou seja, Juno saindo em busca do marido,
Juno saindo para investigar o marido,
Juno encontrando-se com alguns dos temas amorosos
ensaiados por seu (infiel) marido...,
através as Luas que rodeiam o Planeta Júpiter!


O que nos parece realmente surpreendente,
Caro Leitor, é o fato de 
a espaçonave enviada pela NASA à Júpiter...,
ter sido nomeada como Juno!


A Principal Missão de Juno:
Compreender a Origem e a Evolução de Júpiter


Em
Unlocking Jupiter's Secrets 
(Desvendando os Segredos de Júpiter)
o Leitor encontrará
um simpático texto da Nasa nos dizendo/explicando
sobre a nomeação, sobre o porquê da nomeação da espaçonave JUNO:

Juno's Mythical Connection

In Greek and Roman mythology, Jupiter drew a veil of clouds around himself to hide his mischief. It was Jupiter's wife, the goddess Juno, who was able to peer through the clouds and reveal Jupiter's true nature. The Juno spacecraft will also look beneath the clouds to see what the planet is up to, not seeking signs of misbehavior, but helping us to understand the planet's structure and history.


A conexão mítica de Juno

Na mitologia greco/romana, Júpiter trouxe um véu de nuvens em torno de si mesmo
para esconder seus disfarces.  Foi a esposa de Júpiter, a deusa Juno, quem pôde perscrutar através das nuvens e revelar a verdadeira natureza de Júpiter.  A espaçonave também estará perscrutando por detrás das nuvens para ver as possibilidades do Planeta, não para procurar por sinais de mau comportamento, porém para nos ajudar a compreender a estrutura e a história do Planeta.


(minha tradução simples e direta).
.............................................


Nesta Postagem, Caro Leitor,
você encontrará relatos míticos
sobre Júpiter e Juno
(e sobre esta também informações
sobre o asteróide que com seu nome
é conhecido).


E também estaremos trazendo algumas informações
sobre a Missão Juno
através a espaçonave enviada à Júpiter
na intenção de desvendar muitos de seus segredos!

Aliás, Caro Leitor, 
a nave Juno
deverá alcançar o gigante gasoso, Júpiter,
brevemente,
em 04 de julho de 2016!
(meu aniversário de 66 aninhos! Viva!)

Com um abraço estrelado,
Janine Milward




Stellarium
Stellarium
Stellarium


Stellarium




JÚPITER E JUNO


http://www.ibamendes.com/2011/11/arte-e-mitologia.html

Fonte:
A mythologia da mocidade, ou historia dos deoses, semideoses e divindades allegoricas da fabula, 
seguida da descripção dos lugares celebres da antiguidade mythologica
. Moura, Caetano Lopes de, 1780-1860, 
disponível digitalmente no site da biblioteca: Brasiliana - USP






Júpiter 


Color close up of cloud swirls on Jupiter.
http://solarsystem.nasa.gov/planets/jupiter
http://solarsystem.nasa.gov/planets/jupiter/indepth




Júpiter é filho de Cronos e Rea, Saturno e Cibele.  Saturno sabia que seria destronado por um dos seus filhos.  E passou a engolir um a um, logo após seus nascimentos.  Entretanto, sua mulher traçou um plano junto a Gaia, a Mãe-Terra: quando estava prestes a dar luz ao próximo rebento, ocultou-se em uma caverna e lá Júpiter veio ao mundo.  Gaia recolheu o menino em seus braços e Cibele retornou ao lar e lá apanhou uma pedra, envolveu em panos e entregou a Saturno que, imediatamente, a devorou.

Cibele salvara seu filhos mas havia, ao mesmo tempo, selado a profecia: em dia próximo, o último filho de Cronos tomaria das armas para encerrar o sombrio reinado de sangue.  E para sempre se instalaria no trono do mundo.

Ao crescer, Júpiter se aliou aos irmãos e aos monstros, destronou Saturno e venceu os Titãs e os Gigantes.  Com a tríplice vitória, firmou-se como senhor absoluto do mundo e encerrou o ciclo de divindades tenebrosas, das forças desordenadas, que, como Cronos, o Tempo, a tudo corrompem e destroem.  Sua vitória pode ser compreendida como a vitória da Ordem e da Razão sobre os instintos e as emoções desenfreadas.  É Júpiter quem abre aos homens o caminho da razão e ensina-lhes que o verdadeiro conhecimento só é obtido a partir da dor.  Mas não assiste impassível aos sofrimentos humanos, ao contrário, compadece-se... apenas não se deixa levar pelas emoções, pis é a imagem da justiça e da razão.  Sabe que não pode intervir nas descobertas pessoais: cada qual  tem de viver sozinho sua própria experiência.  Limita-se a premiar os esforços honestos e a punir as impiedades.

Por todos esses atributos, Homero chamou-o de ‘pai dos deuses e dos homens’.    Como rei, Júpiter comanda o Olimpo e os homens.  Como rei e pai, Júpiter alcançou regiões imensas pois teve vários filhos e com várias mulheres e todos estes filhos espalharam-se mundo afora, tanto na terra, quanto nos mares e até nos mundos ínferos (como é o caso de Perséfone, filha que teve com Ceres e que foi raptada por Plutão, para ser sua esposa).  As Graças, as Musas, as Horas, as Moiras, Apolo e Diana, Perseu, Hércules, Baco, Helena e Pólux... todos são seus filhos e alguns outros mais. 




JUNO

asteroid Juno

The asteroid Juno was photographed in 2003 with a special optics system on the Hooker telescope at the Mount Wilson Observatory. The researchers at the Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics who took the picture used varying wavelengths of light as measured in nanometers, starting with cyan and going into the infrared. Image credit: Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics



Juno (asteroide 3) foi descoberto a 1 de Setembro de 1804 pelo astrónomo alemão Karl Harding em Lilienthal. Localizado na cintura principal, foi o terceiro asteroide a ser descoberto, levando o número de ordem 3. Tem o nome da figura mitológica Juno, a deusa romana suprema, mulher de Júpiter.

Juno, líder da família de asteroides Juno, é um dos maiores asteroides da cintura principal, medindo cerca de 234 km em diâmetro. É um asteroide tipo S, significando que é altamente refletivo e composto de uma mistura de níquel e ferro com silicatos de ferro e magnésio.




Juno

Juno é filha de Saturno e Cibele.  Sua mãe salvou-a da fúria de Saturno que queria devorar todos seus filhos.  Juno cresceu distante dos pais e solitária.  Um dia, após ter derrotado seu pai, Saturno, Júpiter, irmão de Juno, encontrou-a e por ela se apaixonou.  Como Juno o recusara, transformou-se em cuco, pássaro triste e foi consolado por Juno, em seu peito quente.  Quando Juno percebeu, havido sido violentada por seu irmão, Júpiter.  Para reparar sua falta, Júpiter então, desposou-a.

Bela e majestosa  rainha do Olimpo, a severa esposa de Júpiter era tida, pelos antigos gregos, como modelo de fidelidade conjugal.  Nenhuma aventura amorosa consta nas lendas a seu respeito.  Porém, também as lendas contam que Juno tem um caráter rancoroso e ciumento, particularmente no que se refere às suas questões domésticas e familiares.  Aliás, sempre Júpiter lhe escapava do controle cerrado e buscava por outras farras amorosas...

Com Júpiter, Juno teve quatro filhos: Vulcano, personificação do fogo (algumas lendas dizem que Juno teria gerado Vulcano apenas por si mesma, sem a participação nem o conhecimento de seu marido); Marte, deus da guerra; Ilítia, deusa da maternidade e protetora das mulheres na hora do parto; e Hebe, representação divina da juventude eterna.  Tifão, no entanto, terrível monstro, também foi gerado por Juno com o auxilio da Mãe-Terra, Gaia, sem a presença de Júpiter.


Os textos acima  - sobre Júpiter e Juno -
 são sintetizado por Janine Milward
e extraídos de alguns Fascículos da antiga coleção Mitologia, 
publicada pela Abril Cultural, ainda na década de 1960.






A Principal Missão de Juno:
Compreender a Origem 
e a Evolução de Júpiter


Juno's Main Mission:
 To Understand the Origin and Evolution of Jupiter

Image above: 
An Atlas V rocket with NASA's Juno spacecraft lifts off from Space Launch Complex 41 of the Cape Canaveral Air Force Station in Florida. Photo credit: Pat Corkery, United Launch Alliance
Juno Headed to Jupiter!

Juno seguindo em direção a Júpiter!




O que nos parece realmente surpreendente,
Caro Leitor,
é o fato de 
a espaçonave enviada pela NASA
à Júpiter...,
ter sido nomeada como Juno!

Quer dizer,
por um lado e mitologicamente falando,
esta nomeação pode ser entendida como uma homenagem
à esposa oficial de Júpiter....;
porém, por outro lado,
não deixa de ser surpreendentemente trágico-cômica
esta situação 
de trazer uma repetição ao mito
- ou seja, Juno saindo em busca do marido,
Juno saindo para investigar o marido,
Juno encontrando-se com alguns dos temas amorosos
ensaiados por seu (infiel) marido...,
através as Luas que rodeiam o Planeta Júpiter!


Em
Unlocking Jupiter's Secrets 
(Desvendando os Segredos de Júpiter)
o Leitor encontrará
um simpático texto da Nasa nos dizendo/explicando

sobre a nomeação, sobre o porquê da nomeação da espaçonave JUNO:


Juno's Mythical Connection

In Greek and Roman mythology, Jupiter drew a veil of clouds around himself to hide his mischief. It was Jupiter's wife, the goddess Juno, who was able to peer through the clouds and reveal Jupiter's true nature. The Juno spacecraft will also look beneath the clouds to see what the planet is up to, not seeking signs of misbehavior, but helping us to understand the planet's structure and history.


A conexão mítica de Juno

Na mitologia greco/romana, Júpiter trouxe um véu de nuvens em torno de si mesmo
para esconder seus disfarces.  Foi a esposa de Júpiter, a deusa Juno, quem pôde perscrutar através das nuvens e revelar a verdadeira natureza de Júpiter.  A espaçonave também estará perscrutando por detrás das nuvens para ver as possibilidades do Planeta, não para procurar por sinais de mau comportamento, porém para nos ajudar a compreender a estrutura e a história do Planeta.

(minha tradução simples e direta)


LEIA MUITO MAIS
em
Unlocking Jupiter's Secrets
 (Desvendando os Segredos de Júpiter)



http://www.jpl.nasa.gov/images/juno/junoposition-full.jpg


Jupiter is by far the largest planet in our solar system. Humans have been studying it for hundreds of years, yet many basic questions remain unanswered. In 1995, NASA's Galileo mission dropped a probe into Jupiter's atmosphere. The data returned showed that Jupiter's composition was different than scientists thought, indicating that current theories of planetary formation are wrong. The Juno mission should help answer many questions about the giant planet, and about the origin of our solar system and planetary systems around other stars, such as:

How did Jupiter form?
How much water or oxygen is in Jupiter?
What is the structure inside Jupiter?
Does Jupiter rotate as a solid body, or is the rotating interior made up of concentric cylinders?
Is there a solid core, and if so, how large is it?
How is its vast magnetic field generated?
How are atmospheric features related to the movement of the deep interior?
What are the physical processes that power the auroras?
What do the poles look like?





Description
English: The Juno spaceprobe in front of the planet Jupiter (Artist's Concept). Note: The appearance of Jupiter in this image is correct (not mirrored like in JUNO - PIA13746.jpg file).
Polski: Sonda Juno na orbicie wokół Jowisza (wizja artystyczna)
Date
Sourcehttp://www.nasa.gov/mission_pages/juno/multimedia/pia13746.html
AuthorNASA/JPL



Juno 

(spacecraft)


Juno is a NASA New Frontiers mission to the planet Jupiter. Juno was launched from Cape Canaveral Air Force Station on August 5, 2011 and will arrive in July 2016.[3] The spacecraft is to be placed in a polar orbit to study Jupiter's composition, gravity fieldmagnetic field, and polar magnetosphereJuno will also search for clues about how it formed, including whether Jupiter has a rocky core, the amount of water present within the deep atmosphere, and how its mass is distributed. It will also study its deep winds, which can reach speeds of 618 kilometers per hour (384 mph).[4]




WHERE IS JUNO?

ONDE ESTÁ JUNO?


Diagram of Juno's path to Jupiter
http://www.nasa.gov/mission_pages/juno/where


As of Feb. 19, 2016, Juno is approximately 413 million miles (665 million kilometers) from Earth. The one-way radio signal travel time between Earth and Juno is currently about 37 minutes.
Juno is traveling at a velocity of approximately 51,000 miles per hour (about 22.9 kilometers per second) relative to Earth, 16,000 miles per hour (about 7.3 kilometers per second) relative to the Sun, and 12,000 miles per hour (about 5.6 kilometers per second) relative to Jupiter. Juno has now travelled 1.71 billion miles (2.75 billion kilometers, or 18.41 AU) since launch, and has another 48 million miles to go (77 million kilometers, or 0.52 AU) before entering orbit around Jupiter.
The Juno spacecraft remains in excellent health and is operating nominally.
Juno is slated to arrive at the gas giant planet on July 4, 2016, scheduled for 8:35 p.m. PDT (Earth Received Time). Visualize Juno’s journey through space and get up-to-date data sets using NASA's Eyes on the Solar System 3D interactive.
Juno’s onboard color camera, called JunoCam, invites the public to serve as a virtual imaging team. Upload and comment on which pictures JunoCam will take when it reaches Jupiter using the new JunoCam web platform.
Did You Know?
After traveling in space for two years, Juno swung past the Earth in October 2013. The spacecraft used Earth’s gravity to increase its speed toward Jupiter – a maneuver called a gravity assist. At closest approach, Juno came within 350 miles (560) kilometers) of Earth’s surface.



As of Jan. 8, 2016, Juno is approximately 457 million miles (735 million kilometers) from Earth. The one-way radio signal travel time between Earth and Juno is currently about 41 minutes.
Juno is traveling at a velocity of approximately 56,000 miles per hour (about 25 kilometers per second) relative to Earth, 17,000 miles per hour (about 7.6 kilometers per second) relative to the Sun, and 12,000 miles per hour (about 5.4 kilometers per second) relative to Jupiter. Juno has now travelled 1.69 billion miles (2.73 billion kilometers, or 18.23 AU) since launch, and has another 64 million miles to go (104 million kilometers, or 0.70 AU) before entering orbit around Jupiter.
The Juno spacecraft remains in excellent health and is operating nominally.
Juno is slated to arrive at the gas giant planet on July 4, 2016 (scheduled for 7:47 p.m. Pacific Time). Visualize Juno’s journey through space and get up-to-date data sets using NASA's Eyes on the Solar System 3D interactive.
Juno’s onboard color camera, called JunoCam, invites the public to serve as a virtual imaging team. Upload and comment on which pictures JunoCam will take when it reaches Jupiter using the new JunoCam web platform.
Did You Know?
At closest approach, Juno will pass only 3,100 miles (5,000 kilometers) above Jupiter’s cloud tops. If Jupiter were the size of a basketball, the equivalent distance would be only about one-third of an inch (0.8 centimeter).



Mission Timeline

  • Launch - August 5, 2011
  • Deep Space Maneuvers - August/September 2012
  • Earth flyby gravity assist - October 2013
  • Jupiter arrival - July 2016
  • Spacecraft will orbit Jupiter for about one year (33 orbits)
  • End of mission (deorbit into Jupiter) - October 2017

  • LEIA MUITO MAIS
  • em
  • Unlocking Jupiter's Secrets Desvendando os Segredos de Júpiter)
  • http://www.nasa.gov/mission_pages/juno/overview/index.html#.VBsgcpRdU_p


Mission summary
Juno requires a five-year cruise to Jupiter, arriving around July 4, 2016. The spacecraft will travel over a total distance of roughly 2.8 billion kilometers (18.7 AU; 1.74 billion miles).[5] The spacecraft will orbit Jupiter 33 times during one Earth year. Juno's trajectory used a gravity assist speed boost from Earth, accomplished through an Earth flyby two years (October 2013) after its August 5, 2011 launch.[6] Shortly after the Earth flyby, Juno entered into a safe mode. Nonetheless, it remains on track for its encounter with Jupiter.[7] In August 2016, the spacecraft will perform an orbit insertion burn to slow the spacecraft enough to allow capture into an 11-daypolar orbit. Once Juno enters into its orbit, infrared and microwave instruments will begin to measure the thermal radiation emanating from deep within Jupiter's atmosphere. These observations will complement previous studies of its composition by assessing the abundance and distribution of water, and therefore oxygen. By filling missing pieces of the puzzle of Jupiter's composition, this data will also provide insight into Jupiter's origins. Juno will also investigate the convection that drives general circulation patterns in Jupiter's atmosphere. Other instruments aboard Juno will gather data about its gravitational field and polar magnetosphere. The Junomission is set to conclude in October 2017, after completing 33 orbits around Jupiter, when the probe will be de-orbited to crash into Jupiter[8][9] so as to avoid any possibility of it impacting its moons.[10]

conheça mais sobre Juno
acessando  
http://missionjuno.swri.edu/



.http://www.nasa.gov/images/content/567922main_junospacecraft0711.jpg


COM UM ABRAÇO ESTRELADO,
Janine Milward




Stellarium




VISITE MINHA PÁGINA
DA TERRA AO CÉU E AO INFINITO
http://daterraaoceueaoinfinito.blogspot.com.br/