quarta-feira, 16 de março de 2016

Centaurus - Parte 3 - Aglomerados Estelares, Galáxias, Aglomerado de Galáxias, Superaglomerado, Grande Atrator, Laniakea



Olá!



Caro Leitor,

existe um Trabalho meu
nomeado de
DA TERRA AO CÉU E AO INFINITO
.................


e penso que a constelação Centaurus bem incorpora esta questão.




Mario Jaci Monteiro - As Constelações, Cartas Celestes - CARJ



Viemos comentando 
em
O Mítico Chiron representa Centaurus ou Sagittarius?,
sobre o Mito do Centauro,
a figura mítica metade-cavalo e metade homem
e que pode ser simbolizada através o sábio Quíron ou Chiron ou Kheiron
e que aparece atuando tanto
através a constelação Centaurus,
 ora sendo comentada,
como através a constelação Sagittarius.


Estivemos também comentando sobre
duas estrelas bem brilhantes e bem próximas entre si
e também bem próximas à nossa doce e simples
constelação do Cruzeiro do Sul, Crux:
são as estrelas Alpha e Beta Centauri
em
Centaurus - Parte 1 - Estrelas


Comentamos sobre o fato de que
Alpha Centauri não é exatamente uma estrela
e sim um sistema estelar.
Uma das três estrelas no sistema, a menor,
é denominada de Proxima Centauri 
- e isso acontece pelo fato de que é a estrela mais próxima da Terra!


 Próxima Centauri é a estrela mais próxima ao nosso Sistema Solar 

e encontra-se a uma distância de cerca de 4.3 anos-luz.


Em continuidade
ao nosso Trabalho
Sobre a Constelação Centaurus,
entrou em cena a Postagem
Centaurus - Parte 2 - Omega Centauri: Uma lua cheia de Estrelasl

Existem, volta e meia,
noites com céus tão escuros e transparentes,
que posso parar para bem observar
o Cruzeiro do Sul e o Centauro...
e de repente, não mais do que de repente,
me parece "ver" um rasgo de luz, uma luz fugaz, fugidia...:
penso comigo mesma: deve ser Omega Centauri!
E é!


Veja bem, Caro Leitor,
Omega Centauri é um objeto nomeado enquanto uma estrela...,
parece-se com uma estrela...;
até que possamos para este lugar apontar nossas lentes simpáticas
que resolvem esta "estrela" como um 
Aglomerado Globular
- que recebeu o título de NGC 5139,
mas que é conhecido e reconhecido
apenas e ontem e ainda hoje e sempre como Omega Centauri!


Last but not least,
por último mas não menos importante...
e em conclusão ao nosso Trabalho
sobre a Constelação Centaurus,
entra em cena
Centaurus - Parte  3 - Aglomerados Estelares, Galáxias, Aglomerado de Galáxias, Superaglomerado,
 Grande Atrator, Laniakea


Nossa viagem
DA TERRA AO CÉU E AO INFINITO
nesta Postagem 
nos leva a estarmos agora diante
de nosso voo sem fim
através Aglomerados Estelares e Galáxias na direção da constelação Centaurus
e do Aglomerado de Galáxias
e do Superaglomerado Centaurus!

E então estamos nós agora diante  do chamado Grande Atrator
e através nossa nova casa neste universo
 - o qual estamos cada vez mais conhecendo e conhecendo 
e revelando novas realidades:
Laniakea, O Céu Imensurável.

Com um abraço estrelado,
Janine Milward







http://en.wikipedia.org/wiki/Omega_Centauri#mediaviewer/File:Omega_Centauri_by_ESO.jpg


Aglomerados estelares ou nuvens estelares são grupos de estrelas, dos quais se definem dois tipos: aglomerados globulares são grupos concentrados de centenas ou milhares de estrelas muito velhas que são gravitacionalmente ligadas, enquanto aglomerados abertos são grupos mais dispersos de estrelas, geralmente contendo menos que algumas centenas de membros, normalmente muito jovens. Aglomerados abertos são rompidos com o tempo pela influência gravitacional de nuvens moleculares gigantes, à medida que se movem pela galáxia, mas os membros do aglomerado continuam a mover-se aproximadamente na mesma direção, mesmo sem estarem mais gravitacionalmente ligados; eles então são conhecidos como associações estelares e, às vezes, de grupos em movimento.
...........................................



Centaurus A is the fifth brightest galaxy in the sky -- making it an ideal target for amateur astronomers -- and is famous for the dust lane across its middle and a giant jet blasting away from the supermassive black hole at its center. Cen A is an active galaxy about 12 million light years from Earth. 
(Credit: X-ray: NASA/CXC/SAO; Optical: Rolf Olsen; Infrared: NASA/JPL-Caltech



Uma galáxia é um grande sistema, gravitacionalmente ligado, que consiste de estrelasremanescentes de estrelas, um meio interestelar de gás e poeira e um importante mas insuficientemente conhecido componente apelidado de matéria escura.1 2 A palavra “galáxia” deriva do grego ‘’galaxias’’ (γαλαξίας), literalmente "leitoso", numa referência à nossa galáxia, a Via Láctea. Exemplos de galáxias variam desde as anãs, com até 10 milhões (107) de estrelas,3 até gigantes com 100 trilhões (1014) de estrelas,4 todas orbitando o centro de massa da galáxia.
As galáxias contêm quantidades variadas de sistemas e aglomerados estelares e de tipos de nuvens interestelares. Entre esses objetos existe um meio interestelar esparso de gás, poeira e raios cósmicos. A matéria escura parece corresponder a cerca de 90% da massa da maioria das galáxias. Dados observacionais sugerem que podem existir buracos negros supermaciços no centro de muitas, se não todas as galáxias. Acredita-se que eles sejam o impulsionador principal dos núcleos galácticos ativos – região compacta no centro de algumas galáxias que tem uma luminosidade muito maior do que a normal. A Via Láctea parece possuir pelo menos um desses objetos.5
..........................................

http://www.digitalskyllc.com/


Os aglomerados de galáxias ou cúmulos de galáxias são uma das maiores estruturas do Universo. Nelas inúmeras galáxias estão interagindo gravitacionalmente umas com as outras, chocando-se muitas vezes entre si mas normalmente estando equilibradas a uma certa distância.
Jan Hendrik Oort foi o primeiro a demonstrar que as galáxias não estão distribuídas aleatoriamente no espaço, mas concentram-se em grupos. Mais tarde, quando a descoberta já estava assimilada pela comunidade científica, acreditou-se que os aglomerados de galáxias fossem as estruturas maiores encontradas no Universo. Entretanto, em 1953 descobriu-se os superaglomerados de galáxias, ou expressamente falando "aglomerados de aglomerados de galáxias", estruturas ainda maiores do Universo. Um dos mais impressionantes é o Aglomerado de Abell, são milhões de galáxias aparentemente infinitas.


Depois de descobrir os aglomerados de galáxias, os astrônomos se perguntaram se existiam estruturas ainda maiores no Universo. Em 1953, o astrônomo francês Gérard de Vaucouleurs demonstrou que os aglomerados de galáxias também formam estruturas maiores, denominados superaglomerados de galáxias ou supercúmulos de galáxias.
A maioria dos superaglomerados têm milhões de anos-luz de diâmetro e contém milhares de galáxias. A existência de superaglomerados indica que as galáxias no Universo não estão uniformemente distribuídas, a maioria delas se agrupa em grupos e aglomerados, cada grupo contém cerca de 50 galáxias e cada aglomerado, vários milhares de galáxias. Não há conhecimento de nenhum aglomerado de superaglomerados, mas sua existência é debatida. Acredita-se que o número total de superaglomerados no Universoseja em torno de 10 milhões.
...............................................

Grande Atrator é uma anomalia gravitacional no espaço intergaláctico dentro do alcance do Superaglomerado do Centaurus que revela a existência de uma concentração localizada de massa equivalente a dezenas de milhares de massas da Via Láctea, observável por seus efeitos no movimento das galáxias e seus aglomerados associados se estendendo por centenas de milhões de anos-luz.
.....................................


https://www.youtube.com/watch?v=rENyyRwxpHo
https://www.youtube.com/watch?v=rENyyRwxpHo
https://www.youtube.com/watch?v=rENyyRwxpHo




Laniakea é um Superaglomerado de galáxias, onde a Via Láctea, o Sistema Solar e a Terra estão localizados. Foi definido em setembro de 2014, quando astrônomos da Universidade do Havaí, liderados por R. Brent Tully, publicaram um novo método de definir superaglomerados de acordo com as velocidades relativas de Galáxias. Essa nova definição de superaglomerados locais engloba o anteriormente caracterizado Superaglomerado de Virgemcomo um apêndice de Laniakea.
O superaglomerado de Laniakea abrange 100,000 galáxias ao longo de 520 milhões de Anos-luz. No centro do superaglomerado, há um ponto gravitacional central denominado Grande Atrator, que atrai todas as galáxias do superaglomerado, fazendo com que o movimento de cada galáxia seja direcionado para esse centro de massa.
A palavra Laniakea significa "paraíso imensurável" em havaiano. 1




Mario Jaci Monteiro - As Constelações, Cartas Celestes - CARJ




NGC 4945 é uma galáxia espiral com estrutura relativamente caótica, localizada na direção da constelação do Centauro. Possui uma magnitude aparente de 8,6, uma declinação de -49º 28' 03" e uma ascensão reta de 13 horas, 05 minutos e 27,1 segundos.
NGC 4945 é uma galáxia extremamente luminosa no infravermelho, provavelmente devido a uma forte atividade de formação de estrelas.
ESO


NGC 4976 é uma galáxia elíptica (E4) localizada na direcção da constelação de Centaurus. Possui uma declinação de -49° 30' 21" e uma ascensão recta de 13horas, 08 minutos e 37,4 segundos.
A galáxia NGC 4976 foi descoberta em 31 de Março de 1835 por John Herschel.


NGC 5460 é um aglomerado aberto na direção da constelação de Centaurus. O objeto foi descoberto pelo astrônomo James Dunlop em 1826, usando um telescópiorefletor com abertura de 9 polegadas. Devido a sua moderada magnitude aparente (+5,6), é visível apenas com telescópios amadores ou com equipamentos superiores.


NGC 5617 é um aglomerado aberto na direção da constelação de Centaurus. O objeto foi descoberto pelo astrônomo James Dunlop em 1826, usando um telescópiorefletor com abertura de 9 polegadas. Devido a sua moderada magnitude aparente (+6,3), é visível apenas com telescópios amadores ou com equipamentos superiores.


NGC 5286, also known as Caldwell 84, is a globular cluster of stars located some 35,900[3] light years away in the constellation Centaurus. At this distance, the light from the cluster has undergone reddening from interstellar gas and dust equal to E(B – V) = 0.24 magnitude in the UBV photometric system. The cluster lies 4 arc-minutesnorth of the naked-eye star M Centauri.[6] It was discovered by Scottish astronomer James Dunlop from Australia and listed in his 1827 catalog.[7]
This cluster is about 29 kly (8.9 kpc) from the Galactic Center and is currently orbiting in the Milky Way halo. It may be associated with the Monoceros Ring—a long tidal stream of stars that could have been formed from a disrupted dwarf galaxy. NGC 5286 may be one of the oldest globular clusters in the galaxy,[6] with an estimated age of 12.54 billion years.[5] It is not perfectly spherical, but has a projected ellipticity of 0.12.[6]
The velocity dispersion of stars at the center of the cluster is (8.1 ± 1.0) km/s. Based upon the motions of stars at the core of this cluster, it may host an intermediate mass black hole with less than 1% of the cluster's mass. The upper limit for the mass estimate of this object is 6,000 times the mass of the Sun.[6]

NGC 5286 (center) with M Centauri
http://en.wikipedia.org/wiki/NGC_5286#mediaviewer/File:NGC_5286.jp
Globular cluster NGC 5286 - Roberto Mura - http://it.wikipedia.org/wiki/File:NGC_5286.jpg
NGC 3766 é um aglomerado aberto na direção da constelação de Centaurus. O objeto foi descoberto pelo astrônomo Nicolas Lacaille em 1751, usando um telescópiorefrator com abertura de 0,5 polegadas. Devido a sua moderada magnitude aparente (+5,3), é fracamente visível a olho nu, mesmo em regiões distantes de cidades.





Mario Jaci Monteiro - As Constelações, Cartas Celestes - Excerto de Centaurus





NGC 5662 é um aglomerado aberto na direção da constelação de Centaurus. O objeto foi descoberto pelo astrônomo Nicolas Lacaille em 1751, usando um telescópiorefrator com abertura de 0,5 polegadas. Devido a sua moderada magnitude aparente (+5,5), é visível apenas com telescópios amadores ou com equipamentos superiores


NGC 5617 é um aglomerado aberto na direção da constelação de Centaurus. O objeto foi descoberto pelo astrônomo James Dunlop em 1826, usando um telescópiorefletor com abertura de 9 polegadas. Devido a sua moderada magnitude aparente (+6,3), é visível apenas com telescópios amadores ou com equipamentos superiores.


NGC 5316 é um aglomerado aberto na direção da constelação de Centaurus. O objeto foi descoberto pelo astrônomo James Dunlop em 1826, usando um telescópiorefletor com abertura de 9 polegadas. Devido a sua moderada magnitude aparente (+6), é visível apenas com telescópios amadores ou com equipamentos superiores.


NGC 5281 é um aglomerado aberto na direção da constelação de Centaurus. O objeto foi descoberto pelo astrônomo Nicolas Lacaille em 1751, usando um telescópiorefrator com abertura de 0,5 polegadas. Devido a sua moderada magnitude aparente (+5,9), é visível apenas com telescópios amadores ou com equipamentos superiores.


NGC 4852 é um aglomerado aberto na direção da constelação de Centaurus. O objeto foi descoberto pelo astrônomo James Dunlop em 1826, usando um telescópiorefletor com abertura de 9 polegadas. Devido a sua moderada magnitude aparente (+8,9), é visível apenas com telescópios amadores ou com equipamentos superiores.


NGC 3960 é um aglomerado aberto na direção da constelação de Centaurus. O objeto foi descoberto pelo astrônomo James Dunlop em 1826, usando um telescópiorefletor com abertura de 9 polegadas. Devido a sua moderada magnitude aparente (+8,3), é visível apenas com telescópios amadores ou com equipamentos superiores.


NGC 3960 é um aglomerado aberto na direção da constelação de Centaurus. O objeto foi descoberto pelo astrônomo James Dunlop em 1826, usando um telescópiorefletor com abertura de 9 polegadas. Devido a sua moderada magnitude aparente (+8,3), é visível apenas com telescópios amadores ou com equipamentos superiores.


IC 2948 est un amas ouvert dans la constellation du Centaure.
  • Ascension droite 11h 36' 28"
  • Déclinaison -63° 15'
  • Taille 15'
  • Magnitude 7,5
Amas ouvert large réservé à l'hémisphère sud.
L'amas ouvert est situé dans la sud de la constellation du Centaure, près de la constellation de la Croix du Sud. De simples jumelles permettent de voir cet intéressant amas, dans une région ou les amas ouverts sont nombreux (NGC 3766, NGC 4103, NGC 4052, et un peu plus loin, NGC 4439, NGC 4349, NGC 4463, H5).

2008 April 18
See Explanation.  Clicking on the picture will download
 the highest resolution version available.
http://apod.nasa.gov/apod/ap080418.html
IC 2948: The Running Chicken Nebula 
Credit & CopyrightSteve Crouch

Explanation: Bright nebulae abound in and around the expansive southern constellation of Centaurus. This one, cataloged as IC 2948/2944 is near the star Lambda Centauri (just off the top of the frame) and not far on the sky from the better known Eta Carinae Nebula. Embedded in the reddish glowing cloud of hydrogen gas, typical of emission nebulae found in massive star-forming regions, is the energetic young star cluster Collinder 249. Seen in silhouette near the top of the view are small, dark clouds of obscuring cosmic dust. Called Thackeray's Globules for their discoverer, they are potential sites for the formation of new stars, but are likely being eroded by the intense radiation from the nearby young stars. Of course, gazing at the center of the region suggests to some IC 2948's popular name - The Running Chicken Nebula. The gorgeous skyscape spans about 70 light-years at the nebula's estimated 6,000 light-year distance.







The Night Sky Atlas logo image

The Night Sky Atlas

Visible in November before dawn, to July after dusk, best in March.
Skyatlas PNG Image





NGC 4945 - Galáxia Centaurus
Ascensão Reta  13h04       Declinação -49o. 22
Tipo S - Galáxia Espiral       Magnitude fotográfica aparente   8,00
Dimensões Angulares   20 X 4     


NGC 4945



Image credit: X-ray: NASA/CXC/Univ degli Studi Roma Tre/A.Marinucci et al, Optical: ESO/VLT & NASA/STScI





NGC 4945 é uma galáxia espiral com estrutura relativamente caótica, localizada na direção da constelação do Centauro. Possui umamagnitude aparente de 8,6, uma declinação de -49º 28' 03" e uma ascensão reta de 13 horas, 05 minutos e 27,1 segundos.
NGC 4945 é uma galáxia extremamente luminosa no infravermelho, provavelmente devido a uma forte atividade de formação de estrelas.
http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_4945



NGC 3766 - Aglomerado Galáctico
Situado a 2o. ao norte da Alpha Centauro, 
este aglomerado é formado por mais de 60 estrelas 
(que vão de 8a. à 12 a. magnitude),
 medindo 10’ de diâmetro, apresentando-se denso e compacto. 



 É visível a olho nú em lugares de céus escuros e transparentes,

 podendo ser mais bem visto através simples par de binóculos
 - e melhor ainda através uma boa luneta.

NGC 3766  - Aglomerado Aberto Centauro
Ascensão Reta 11h35m    Declinação -61o.30
Magnitude fotográfica global  Magnitude fotográfica da mais brilhante estrela
 Distância kpc 1,79    Diâmetro 12’    Tipo Espectral B1



6a. Edição do Atlas Celeste
de autoria de Ronaldo Rogério de Freitas Mourão,
Editora Vozes, Petrópolis, ano de 1986






NGC 3766 é um aglomerado aberto na direção da constelação de Centaurus. O objeto foi descoberto pelo astrônomo Nicolas Lacaille em 1751, usando um telescópio refrator com abertura de 0,5 polegadas. Devido a sua moderada magnitude aparente (+5,3), é fracamente visível a olho nu, mesmo em regiões distantes de cidades.
http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_3766


Ficheiro:NGC 3766 in Cen.jpg







http://www.iau.org/static/public/constellations/gif/CEN.gif




http://chandra.harvard.edu/photo/2014/proam/cena_optical.jpg

Centaurus A is the fifth brightest galaxy in the sky -- making it an ideal target for amateur astronomers -- and is famous for the dust lane across its middle and a giant jet blasting away from the supermassive black hole at its center. Cen A is an active galaxy about 12 million light years from Earth. 
(Credit: X-ray: NASA/CXC/SAO; Optical: Rolf Olsen; Infrared: NASA/JPL-Caltech)





NGC 5128 - Galáxia Centaurus
Ascensão Reta 13h24m   Declinação -42o.54
Tipo E - Galáxia Elíptica       Magnitude fotográfica aparente   7,87
Dimensões Angulares 23 X 20        

Podemos localizar esta galáxia considerando a metade da distância 
entre Omega Centauri e Delta Centauri, de magnitude 4.  

Esta galáxia se distingue por duas características:
 uma intensa faixa de absorção na região média 
e uma intensa fonte de ondas de radio.  
Esses efeitos induziram a pensar em galáxias em colisão.  
Apresenta-se com um diâmetro de 14’ e uma magnitude de 8,6.

Esta galáxia contém três vezes mais estrelas do que nossa própria Galáxia 
e dista cerca de 12 milhões de anos-luz. 

Em termos da possibilidade de galáxias em colisão, 
podemos observar que existe uma grande galáxia eliptical consistindo de antigas estrelas
 e que parece estar dividida em duas partes por um anel de poeira escura 
que pode ser considerado como remanescente da outra galáxia, mais jovem. 
 Um grande numero de estrelas azuis e jovens
 ( que possivelmente terias sido formadas como resultado desta colisão)
 pode ser visto brilhando no anel de poeira.




6a. Edição do Atlas Celeste
de autoria de Ronaldo Rogério de Freitas Mourão,
Editora Vozes, Petrópolis, ano de 1986





http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/e/e5/Centaurus_A.jpg/1025px-Centaurus_A.jpg
Origemhttp://www.eso.org/public/images/eso0005b/ (direct link)
AutorESO
http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_5128




Centaurus A (NGC 5128) é uma galáxia lenticular (S0) localizada na direção da constelação de Centaurus. Possui uma declinação de -43° 00' 58" e uma ascensão recta de 13 horas, 25 minutos e 29,0 segundos.
A galáxia NGC 5128 foi descoberta em 29 de Abril de 1826 por James Dunlop. Centaurus A está localizada a cerca de 14 milhões de anos-luz de distância, na constelação Centaurus. É uma das radiogaláxias próximas à Terra, razão pela qual o seu núcleo galáctico ativo foi amplamente estudado por astrônomos profissionais.1 É a quinta galáxia mais brilhante do céu,1 tornando-se assim num objetivo ideal para a astronomia amadora,2 embora a galáxia somente seja visível do hemisfério Sul e de baixas latitudes norte.
Um jato que extrai energia da zona que se acredita que seja um buraco negro supermassivo no centro da galáxia é o responsável pelas emissões de raios X e rádio. Com as observações de rádio feitas durante um prazo de dez anos, os astrônomos determinaram que a parte interior do jato move-se com a metade da velocidade da luz. Os raios X são produzidos pelas colisões do jato com os gases circundantes, gerando assim partículas muito energéticas.
Como se observa em outras galáxias starburst, uma colisão é responsável pela intensa formação de estrelas. Usando o Telescópio Espacial Spitzer os cientistas confirmaram que Centaurus A está atravessando uma colisão galáctica devorando uma galáxia espiral.


Centaurus A: Black Hole Outflows From Centaurus A

shown by submillimeter data (colored orange) from the Atacama Pathfinder Experiment (APEX) telescope in Chile and X-ray data (colored blue) from the Chandra X-ray Observatory. Visible light data from the Wide Field Imager on the Max-Planck/ESO 2.2 m telescope, also located in Chile, shows the dust lane in the galaxy and background stars. The X-ray jet in the upper left extends for about 13,000 light years away from the black hole. The APEX data shows that material in the jet is travelling at about half the speed of light.
Credit X-ray: NASA/CXC/CfA/R.Kraft et al.; Submillimeter: MPIfR/ESO/APEX/A.Weiss et al.; Optical: ESO/WFI

http://cseligman.com/text/atlas/ngc51.htm#5128


NGC 5128 (= PGC 46957 = Arp 153), Centaurus A
Discovered (Apr 29, 1826) by James Dunlop (482)
A 7th magnitude lenticular galaxy (type S0? pec) in Centaurus (RA 13 25 29.0, Dec -43 00 58)

Apparent size 25.7 by 20.0 arcmin? Used by the Arp Atlas as an example of a disturbed galaxy with interior absorption. (In the process of devouring a large spiral galaxy)
DSS image of NGC 5128, also known as Centaurus A and Arp 153
Above, a 24 arcmin wide "closeup" of Centaurus A
Below, a wide-field view of the region (Image Credits: Adam Block/AURA/NSF/NOAO)
NOAO image of the region near NGC 5128, also known as Centaurus A and Arp 153
Below, a HST image of the nucleus of Centaurus A (Image Credits: E.J. Schreier (STScI), and NASA)
HST image of the nucleus of NGC 5128, also known as Centaurus A and Arp 153
Below, a Spitzer infrared image of the nucleus of the galaxy ((SSC/Caltech) et al., JPL, Caltech, NASA)
Spitzer image of nucleus of NGC 5128, also known as Centaurus A and Arp 153
Below, a multispectral image of radio lobes due to (black hole?) jets (Image Credits:ESO/WFI (Optical); MPIfR/ESO/APEX/A.Weiss et al. (Submillimetre); NASA/CXC/CfA/R.Kraft et al. (X-ray), ESO
Multispectral ESO NASA image of NGC 5128, also known as Centaurus A and Arp 153


http://cseligman.com/text/atlas/ngc51.htm#5128





A3526 - O Aglomerado Centaurus

The Centaurus Cluster (A3526) is a cluster of hundreds of galaxies, located approximately 170 million light years away in the Centaurusconstellation. The brightest member galaxy is the elliptical galaxy NGC 4696 (~11m). The Centaurus cluster shares its supercluster, the Hydra-Centaurus Supercluster, with IC4329 Cluster and Hydra Cluster.
The cluster consists of two different sub-groups of galaxies with different velocities.[3] Cen 30 is the main subgroup containing NGC 4696. Cen 45 is moving at 1500 km/s relative to Cen 30, and is believed to be merging with the main cluster.

File:Centaurus cluster.jpg
http://en.wikipedia.org/wiki/File:Centaurus_cluster.jpg
Description
Chandra X-ray image of the core of the Centaurus cluster (inner 6.7 arcmin), this image was made from 200ks of combined data, and smoothed with a Gaussian of 1 arcsec. It shows the X-ray emission in the 0.4 to 7 keV band and has been exposure-map corrected.
Date
SourceOwn work
AuthorXioxox
Chandra X-ray image showing the inner 6.7 arcminutes of the core of the Centaurus Cluster. This image shows the hotintracluster medium, at temperatures of a few tens of millionKelvin.







http://en.wikipedia.org/wiki/NGC_4696#mediaviewer/File:NGC_4696_Hubble_WikiSky.jpg
NGC 4696 by Hubble Space Telescope


NGC 4696 is an elliptical galaxy. It lies around 150 million light years away in the constellation Centaurus. It is the brightest galaxy in the Centaurus Cluster, a large, rich cluster of galaxies in the constellation of the same name.[3] The galaxy is surrounded by many dwarf elliptical galaxies also located within the cluster.[3]
http://en.wikipedia.org/wiki/NGC_4696


http://en.wikipedia.org/wiki/Centaurus_Cluster#mediaviewer/File:NGC_4696_(captured_by_the_Hubble_Space_Telescope).jpg
NGC 4696: a cosmic question mark. Credit: ESA/Hubble and NASA


http://www.atlasoftheuniverse.com/superc/cen.html

Aglomerado de Galáxias
Abell 3526 - O Aglomerado Centauro
Abell 3565 - parte do Superaglomerado Hydra-Centaurus
Abell 3574 - parte do Superaglomerado Hydra-Centaurus
Abell S749 - 450 milhões de anos-luz, em Centaurus
Abell 3581 - parte do Superaglomerado Hydra-Centaurus
Abell S636 - o Aglomerado Antlia, parte do Superaglomerado Hydra-Centaurus

Abell    Coordenadas    Coordenadas  R  Redshift Distância    Membro
Número   Equatoriais    Galácticas               Milhões   Superaglomerado
                                                                          anos-luz
          RA       Dec         L°    B°               (H=70)
A3526  12 48.9  -41 18  156.4 -11.4  0  .0102     142     Centaurus
 A3565  13 36.7  -33 58  151.8  -0.4  1  .0111     154     Centaurus
A3574  13 49.2  -30 18  149.2  +3.3  0  .0148     205     Centaurus
A3581  14 07.5  -27 01  147.6  +8.3  0  .0218     301     Centaurus


O superaglomerado Centaurus 
é o mais proximo dos grandes superaglomerados. 

Este aglomerado é vasto e contendo quatro muito ricos aglomerados de galáxias - A3526, A3565, A3574 e A3581 bem como centenas de pequenos grupos de galáxias.
A3526 é o aglomerado dominante entre esses e situa-se a 140 milhões de anos-luz de distância.  Vistos de longa distância, os superaglomerados Virgo e Hydra parecem apêndices ao superaglomerado Centaurus.  O superaglomerado Centaurus situa-se próximo ao chamado Great Attractor - uma imensa coleção de matéria que afeta o movimento de nossa Galáxia e outras galáxias.  O superaglomerado Centaurus é obscurecido pelo plano de nossa própria Galáxia, porém é bem provável que o imenso aglomerado A3627 seja bem responsável por esta situação.


 O aglomerado dominante é A3526, conhecido como o Aglomerado Centaurus.  Apesar de ter recebido a classificação 0 no Catalogo Abell, merece a classificação 1.  Por outro lado, A3565, um aglomerado mais pobre, é que deveria receber a classificação 0.
Próximo ao superaglomerado Centaurus, situa-se o aglomerado Hydra (A10600), dentro do obscuro aglomerado Norma (A3627) - que é considerado um dos mais importantes aglomerados no universo mais próximo.


http://www.atlasoftheuniverse.com/superc/cen.html



 A3627 

http://apod.nasa.gov/apod/ap960218.html

February 18, 1996
See Explanation.  Clicking on the picture will download 
 the highest resolution version available.
Abell 3627 in the Great Attractor 
Credit: Digitized Sky Survey (ROE), SkyView
Copyright: STScIAAO, UK-PPARC, ROE
Explanation: Are these galaxies near the center of the largest gravitationally bound concentration of mass yet known? Previously, the cluster of galaxies known as Abell 3627 was largely unstudied because dust in the diskof our own Galaxy obscured much of its light. Several galaxies from Abell 3627 appear above as fuzzy blue patches behind many stars in our Galaxy. Recent observations by Renee Kraan-Korteweg (Paris Observatory) and collaborators, however, indicate that this cluster of galaxies is near the center of the huge nearby conglomeration of mass known as the Great Attractor. Evidence for this was uncovered in new accurate measurements of the large extent and nearby distance of Abell 3627.
Authors & editors: Robert Nemiroff (GMU) & Jerry Bonnell (USRA).
NASA Technical Rep.: Sherri Calvo. Specific rights apply.
A service of: LHEA at NASAGSFC

http://apod.nasa.gov/apod/ap960218.html

Este é um dos mais próximos aglomerados de galáxias listado no Catalogo Abell (que não inclui o aglomerado Virgo).  Existe a evidência da movimentação de galáxias em  direção à região do Centaurus no céu.  É o Great Attractor, cuja exata locação situa-se bem próxima ao plano de nossa Galáxia e fica escondida por gás, poeira e estrelas de primeiro plano.



Apesar de A3627 ser um aglomerado bem massivo, possivelmente não seja massivo o suficiente para atrair tantas galáxias se movimentando em sua direção.
Existe também a evidência de um imenso aglomerado de galáxias nesta mesma região e que havia sido anteriormente ignorado.  É A3627 (ou o Aglomerado Norma), apresenta-se bem massivo e similar em escala aos aglomerados Coma ou Perseus.  É, portanto, o mais próximo dos muito ricos aglomerados que contêm milhares de galáxias.  Não é um aglomerado fácil de ser visualizado e uma fotografia de grande angular nesta região do céu normalmente mostra um imenso número de estrelas de primeiro plano e nada mais.




http://apod.nasa.gov/apod/ap000104.html

2000 January 4
See Explanation.  Clicking on the picture will download 
 the highest resolution version available.
Galaxies Cluster Toward the Great Attractor 
Credit: 2P2 TeamWFIMPG/ESO 2.2-m TelescopeLa SillaESO
Explanation: Galaxies dot the sky like jewels in the direction of a mass so large it is known simply as the Great Attractor. The galaxies pictured above are part of a cluster of galaxies called ACO 3627 near the center of the Great Attractor. Previously, this cluster of galaxies, also known as the Norma Cluster, was largely unstudied because dust in the disk of our own Galaxy obscured much of its light. The Great Attractor is a diffuse mass concentration fully 250 million light-years away, but so large it pulls our own Milky Way Galaxy and millions of others galaxies towards it. Many of the galaxies in ACO 3627 are slowly heading towards collisions with each other.
Authors & editors: Robert Nemiroff (MTU) & Jerry Bonnell (USRA)
NASA Technical Rep.: Jay NorrisSpecific rights apply.
A service of: LHEA at NASAGSFC
& Michigan Tech. U.

http://apod.nasa.gov/apod/ap000104.html



http://www.eso.org/public/archives/images/screen/eso9954c.jpg
http://www.eso.org/public/archives/images/screen/eso9954c.jpg


Detail of a View Towards the Great Attractor


http://www.eso.org/public/archives/images/screen/eso9954d.jpg

View Towards the Great Attractor

This image covers a field of 0.5° x 0.5° in the Southern constellation of Norma (The Level) and in the direction of the "Great Attractor". This region is at an angular distance of about 7° from the main plane of the Milky Way, i.e. less than 15 times the width of the image shown. In this colour composite, the foreground stars in the Milky Way mostly appear as whitish spots (the "crosses" around some of the brighter stars are caused by reflections in the telescope optics). Many background galaxies are also seen. They form a huge cluster (ACO 3627) with a number of bright galaxies near the center — they stand out by their larger size and yellowish colour. In order to facilitate transport over the Web, this image has been compressed by a factor of four from its original size (8500 x 8250 pixels). North is up and East is left.
Five exposures each were made in blue (B-band filter; 5 x 300 sec), red (R-band filter; 5 x 180 sec) and near-infrared (narrow-band filter centered at 816 nm; 5 x 240 sec) light and combined into a false-colour composite by using blue, green, and red colour for the three images, respectively. A logarithmic intensity scale is used to better show the inner as well as the outer regions of the galaxies in this field.
Credit: ESO

Coordinates

Position (RA):16 14 22.57
Position (Dec):-60° 52' 6.63"
Field of view:33.69 x 32.63 arcminutes
Orientation:North is 0.3° right of vertical


The Hubble Telescope turned its lens to the region of the sky where the Great Attractor is located.




Grande Atrator é uma anomalia gravitacional no espaço intergaláctico dentro do alcance do Superaglomerado do Centaurus que revela a existência de uma concentração localizada de massa equivalente a dezenas de milhares de massas da Via Láctea, observável por seus efeitos no movimento das galáxias e seus aglomerados associados se estendendo por centenas de milhões de anos-luz.
Todas essas galáxias apresentam um desvio para o vermelho, em conformidade com o fluxo de Hubble, indicando que elas estão se afastando de nós e umas das outras, mas as variações em seus desvios para o vermelho são o suficiente para revelar a existência da anomalia. As variações em seus desvios para o vermelho são conhecidas como velocidades peculiares, e sendo essa variação de aproximadamente +700 km/s a −700 km/s, dependendo do desvio angular da direção em relação ao Grande Atrator.
.......................................

Laniakea Supercluster

The proposed Laniakea supercluster is defined as the Great Attractor's basin, encompassing the former superclusters of Virgo and Hydra-Centaurus. Thus the Great Attractor would be the core of the new supercluster.[6]
http://en.wikipedia.org/wiki/Great_Attractor



Panoramic view of the entire near-infrared sky. 
The location of the Great Attractor
 is shown following the long blue arrow at bottom-right.

http://en.wikipedia.org/wiki/Great_Attractor#mediaviewer/File:2MASS_LSS_chart-NEW_Nasa.jpg
IPAC/Caltech, by Tomas Jarrett - "Large Scale Structure in the Local Universe: The 2MASS Galaxy Catalog", Jarrett, T.H. 2004, PASA, 21, 396

ALGUNS OUTROS TRABALHOS SOBRE O GREAT ATTRACTOR:



A Massive Galaxy Cluster at the Core of the
Great Attractor


The Shapley Supercluster: the Largest 
Matter Concentration in the Local Universe






2P2 TeamWFITelescópio MPG/ESO 2,2 mLa Silla ObservatoryESO . Neste link poderá ver uma imagem maior com cores falsas do super-enxame de galáxias ACO ou Abell 3627 que se situa próximo do núcleo do Grande Atractor.
Um enorme volume do espaço que inclui a Via Láctea e super-enxames de galáxias está a dirigir-se na direcção de uma enorme massa invisível chamada Grande Atractor. ( mais informação em 
APOD e ESO ).


Na década de 80, um grupo de astrónomos conhecido como os "sete samurais" (David BursteinRoger DaviesAlan DresslerSandra FaberDonald Lynden-Bell, Roberto J. Terlevich, e Gary Wegnel) descobriu que as galáxias estão desigualmente distribuídas no espaço, com super-enxames galácticos separados por vazios enormes de matéria ordinária visível. O Grande Atractor é um exemplo de tal estrutura, ou seja, uma concentração difusa de matéria com cerca de 400 milhões de anos-luz de comprimento localizado a cerca de 250 milhões de anos-luz na direcção da constelação Centaurus (do hemisfério Sul), a cerca de 7º exteriormente em relação ao plano da Via Láctea - a uma distância de um desvio para o vermelho de 4350 km/s. Situa-se na chamada Zona de Evitamento onde as poeiras e estrelas do disco da Via Láctea obscurecem cerca de um quarto do céu visível da Terra.







O Grande Atractor está localizado numa região do Universo obscurecida para os observadores do Sistema Solar pela poeira do disco da Via Láctea. (mais ).





O Grande Atractor está aparentemente a atrair milhões de galáxias numa região do Universo que inclui a Via Láctea, a vizinhança do Grupo Local de 15 a 16 galáxias próximas e o maior super-enxame de Virgo e o próximo super-enxame Hydra-Centaurus, à velocidade de seiscentos a milhares de quilómetros por segundo. Baseado nas velocidades galácticas observadas, estima-se que a massa invisível (provavelmente composta de matéria negra) do vazio entre galáxias e enxames de galáxias ascende a 10 vezes mais do que a matéria visível nessas regiões do Universo. Os cálculos indicam que o Grande Atractor tem talvez cerca de 5,4 vezes 1016 relativamente à massa do Sol. As galáxias localizadas no outro lado do Grande Atractor estão também a ser puxadas na sua direcção o que reduz a sua velocidade de expansão comparativamente ao resto do Universo.







Milhões de galáxias podem estar a dirigir-se na direcção do Grande Atractor, incluindo os super-enxames  de galáxias Virgo e Hydra-Centaurus (mais).




O núcleo no Grande Atractor fica situado na zona de galáxias chamada Muro de Centaurus.  Vista do Sistema Solar, esta estrutura similar ao Grande Muro encontra-se de perfil ( Woudt and Kraan-Korteweg, 2000 ). A intersecção do Muro de Centarus com o Grande Atractor inclui o enxame ou super-enxame Norma  -  ACO 3627, Abell 3627, ou A3627 (Woudt et al, 20001999a, and 1999b). Na verdade, a Via Láctea, o Grupo Local, e  o super-enxame Virgo, bem como o super-enxame Hydra-Centaurus, parecem constituir parte da estrutura ( ou pelo menos "apêndices") do bloco de matéria ordinária e escura que forma o Muro de Centaurus.

........................................................

LEIA MAIS 
EM
http://www.solstation.com/x-objects/greatatt.htm

....................................


†  Artigo revisto por Carlos Oliveira, University of Texas at Austin.

††  Artigo original
 http://www.solstation.com/x-objects/greatatt.htm 
- tradução autorizada pela SolStation.com

http://www.astrosurf.com/ceu/extremosga.html




http://cow.physics.wisc.edu/~ogelman/guide/gr8a/

The Great Attractor


3D modeling

Close Galactic Velocities

ARE WE ATTRACTED?

     We are obviously attracted to the Earth. Few people have ventured off of the Earth. The second obvious attraction is to the sun. For the last few hundred years the first physics children have had was that the Earth went around the sun. The next attraction is a little bit more obscure because it is located 28,000 light-years away from us. The center of the Milky Way galaxy is a great center of gravitational attraction of most objects visible to the naked eye. The last "Great Attractor" known to us is a little more obscure. It lies 400,000,000 light-years away and seems to attract our entire local group. There are however many things obscuring our view of it. The interstellar medium blocks 20% of our visible sky, and in this case the Great Attractor lies within that 20%. It is a conglomeration of perhaps 100,000 galaxies beyond the local group.


WHERE ARE WE GOING?
     The strongest attraction in this neck-of-the-woods of the universe is believed to be a cluster of galaxies. The center of which is believed to be Abell 3627.


Great Attractor Area

X-ray of the core
HOW FAST?
     It appears that the Earth is moving, in the direction of the constellation Leo (RA: 11.2h, dec: -7deg), around 380 km/s. This does however include the revolution of the Sun around the galaxy, and includes the movement of the Milky Way about the center of the local group. This taken into account sum to around 300 km/s in the direction of the constellation Cygnus. After correcting for this one finds the local group is moving at around 600 km/s relative to the cosmic microwave background, measured via doppler-shift, in the direction of the Hydra-Centaurus supercluster. This is the reason for Dressler and collaborators' idea that there should be something pulling us in that direction.

http://cow.physics.wisc.edu/~ogelman/guide/gr8a/







http://www.atlasoftheuniverse.com/superc/cen.html

The Centaurus Supercluster

The Centaurus supercluster is the nearest large supercluster. This map below is a plot of the brightest galaxies (from the Principal Galaxies Catalogue) in this area of the sky. The supercluster is a fairly obvious structure in the middle of the map. Note that the plane of the Milky Way cuts its way through this region of the sky - any photographs of galaxies in the area of the Centaurus Supercluster are usually heavily contaminated with large numbers of foreground stars.

The Centaurus Supercluster



The Nearest Superclusters

This is a map of the universe within 500 million light years. It shows most of the major galaxy superclusters that surround the Virgo supercluster. These superclusters are not isolated in space but together with many other smaller concentrations of galaxies they form parts of extensive walls of galaxies surrounding large voids. Three of the biggest walls near us are marked on the map as well as several of the largest voids. There are several hundred thousand large galaxies within 500 million light years, so even on this scale our galaxy is a very insignificant object. There is a negative version of this map, which might be easier to print.

The closest superclusters
http://www.atlasoftheuniverse.com/nearsc.html




O CÉU IMENSURÁVEL

LANIAKEA


 Crédito: SDvision interactive visualization software by DP at CEA/Saclay, France

Parte do Super-Aglomerado Laniakea. As cores representam diferentes densidades: vermelho para grande densidade e azul para espaços quase vazios. Os pontos brancos são galáxias individuais. O ponto azul é onde se encontra a nossa Via Láctea. As linhas brancas são fluxos de velocidade dos grupos de galáxias. A linha amarela/laranja delimita Laniakea; em cima temos o super-aglomerado da Coma, à direita está o super-aglomerado de Peixes-Perseu; à esquerda está o super-aglomerado Shapley. 
Crédito: SDvision interactive visualization software by DP at CEA/Saclay, France


http://www.astropt.org/2014/09/06/laniakea-a-nossa-enome-casa/?utm_source=astroPT%20-%20Novo%20Post%21&utm_medium=email&utm_campaign=df35bc6a85-Emails%20enviados&utm_term=0_0804f6d887-df35bc6a85-64831629

static.squarespace.com_

Laniakea

A 2014 announcement says that the Centaurus Supercluster (Hydra-Centaurus) is just a lobe in a greater supercluster, Laniakea, that is centered on the Great Attractor. That supercluster would include the Virgo Supercluster, and be our local supercluster.[2]
http://en.wikipedia.org/wiki/Hydra-Centaurus_Supercluster#Laniakea



Laniakea é um Superaglomerado de galáxias, onde a Via Láctea, o Sistema Solar e a Terra estão localizados. Foi definido em setembro de 2014, quando astrônomos da Universidade do Havaí, liderados por R. Brent Tully, publicaram um novo método de definir superaglomerados de acordo com as velocidades relativas de Galáxias. Essa nova definição de superaglomerados locais engloba o anteriormente caracterizado Superaglomerado de Virgemcomo um apêndice de Laniakea.
O superaglomerado de Laniakea abrange 100,000 galáxias ao longo de 520 milhões de Anos-luz. No centro do superaglomerado, há um ponto gravitacional central denominado Grande Atrator, que atrai todas as galáxias do superaglomerado, fazendo com que o movimento de cada galáxia seja direcionado para esse centro de massa.
A palavra Laniakea significa "paraíso imensurável" em havaiano. 1
http://pt.wikipedia.org/wiki/Laniakea

......................................




The Laniakea Supercluster encompasses 100,000 galaxies stretched out over 160 megaparsecs (520 megalight-years). It has the approximate binding mass of 1017 solar masses, or a hundred thousand times that of our galaxy, which is almost the same as that of the massive Horologium Supercluster. It consists of three subparts, which are known previously as separate superclusters:
The most massive galaxy clusters of Laniakea are VirgoHydraCentaurusAbell 3565Abell 3574Abell 3521FornaxEridanus and Norma. The entire supercluster consists of approximately 300 to 500 known galaxy clusters and groups. The real number may be much larger, because some of these are transversing the Zone of Avoidance, making them essentially undetectable.
Superclusters are some of the universe’s largest structures, and have boundaries that are difficult to define, especially from the inside. The team used radio telescopes to map out the motions of a large collection of local galaxies. Within a given supercluster, all galaxy motions will be directed inward, toward the center of mass. In the case of Laniakea, this gravitational focal point is called the Great Attractor, and influences the motions of our Local Group of galaxies (where our Milky Way Galaxy resides) and all others throughout our supercluster.[4]
...................................








Veja os vídeos:

Laniakea: Our home supercluster

https://www.youtube.com/watch?v=rENyyRwxpHo

Publicado em 3 de set de 2014
Superclusters – regions of space that are densely packed with galaxies – are the biggest structures in the Universe. But scientists have struggled to define exactly where one supercluster ends and another begins. Now, a team based in Hawaii has come up with a new technique that maps the Universe according to the flow of galaxies across space. Redrawing the boundaries of the cosmic map, they redefine our home supercluster and name it Laniakea, which means ‘immeasurable heaven’ in Hawaiian.

Read the research paper: http://dx.doi.org/10.1038/nature13674
Read Nature's news story: http://www.nature.com/news/earth-s-ne...




The Laniakea supercluster of galaxies


Publicado em 3 de set de 2014
Video from the paper "The Laniakea supercluster of galaxies," by R. Brent Tully, Hélène Courtois, Yehuda Hoffman & Daniel Pomarède. Nature 513, 71–73 (04 September 2014) doi: http://dx.doi.org/10.1038/nature13674

High resolution version at http://irfu.cea.fr/laniakea
or http://vimeo.com/pomarede/laniakea

"By steps, the video illustrates the observed local distribution of galaxies, the observed departures from the expansion of the universe of the fraction of the galaxies with distance measurements, the inferred three-dimensional flow pattern of the local galaxies, and the inferred underlying distribution of matter causing these flows. Flows are differentiated between motions inward toward a local basin of attraction and flows outward toward external attractors. A boundary is located between inward and outward flows. We call the contiguous region of the inward flow pattern the Laniakea Supercluster of galaxies, our home supercluster.


.....................................................



SOBRE NOSSO TRABALHO
EM
CENTAURUS, 
A CONSTELAÇÃO DO CENTAURO:

Caro Leitor,
existe um Trabalho meu
nomeado de
DA TERRA AO CÉU E AO INFINITO
http://daterraaoceueaoinfinito.blogspot.com.br/
e penso que a constelação Centaurus bem incorpora esta questão.

Quer dizer,
viemos comentando 
em
O Mítico Chiron representa Centaurus ou Sagittarius?,
sobre o Mito do Centauro,
a figura mítica metade-cavalo e metade homem
e que pode ser simbolizada através o sábio Quíron ou Chiron ou Kheiron
e que aparece atuando tanto
através a constelação Centaurus,
 ora sendo comentada,
como através a constelação Sagittarius.


Estivemos também comentando sobre
duas estrelas bem brilhantes e bem próximas entre si
e também bem próximas à nossa doce e simples
constelação do Cruzeiro do Sul, Crux:
são as estrelas Alpha e Beta Centauri
em
Centaurus - Parte 1 - Estrelas

Comentamos sobre o fato de que
Alpha Centauri não é exatamente uma estrela
e sim um sistema estelar.
Uma das três estrelas no sistema, a menor,
é denominada de Proxima Centauri 
- e isso acontece pelo fato de que é a estrela mais próxima da Terra!

 Próxima Centauri é a estrela mais próxima ao nosso Sistema Solar 
e encontra-se a uma distância de cerca de 4.3 anos-luz.


Em continuidade,
entrou em cena a Postagem
Centaurus - Parte 2 - Omega Centauri: Uma lua cheia de Estrelas
Existem, volta e meia,
noites com céus tão escuros e transparentes,
que posso parar para bem observar
o Cruzeiro do Sul e o Centauro...
e de repente, não mais do que de repente,
me parece "ver" um rasgo de luz, uma luz fugaz, fugidia...:
penso comigo mesma: deve ser Omega Centauri!
E é!

Veja bem, Caro Leitor,
Omega Centauri é um objeto nomeado enquanto uma estrela...,
parece-se com uma estrela...;
até que possamos para este lugar apontar nossas lentes simpáticas
que resolvem esta "estrela" como um 
Aglomerado Globular
- que recebeu o título de NGC 5139,
mas que é conhecido e reconhecido
apenas e ontem e ainda hoje e sempre como Omega Centauri!


Last but not least,
por último mas não menos importante...
Centaurus - Parte  3 - Aglomerados Estelares, Galáxias, Aglomerado de Galáxias, Superaglomerado,
 Grande Atrator, Laniakea
nossa viagem
DA TERRA AO CÉU E AO INFINITO
nesta Postagem 
nos leva a estarmos agora diante
de nosso voo sem fim
através Aglomerados Estelares e Galáxias na direção da constelação Centaurus
e do Aglomerado de Galáxias
e do Superaglomerado Centaurus!

E então estamos nós agora diante do chamado Grande Atrator
e através nossa nova casa neste universo
 - o qual estamos cada vez mais conhecendo e conhecendo 
e revelando novas realidades:
Laniakea, O Céu Imensurável.

Com um abraço estrelado,
Janine Milward


Map Maker: Elijah J. Burritt


Os desenhos formados pelas estrelas
 - AS CONSTELAÇÕES - 
são como janelas que se abrem para a infinitude do universo 
e que possibilitam nossa mente a ir percebendo que existe mais, bem mais,
 entre o céu e a terra..., 
bem como percebendo que o caos, 
vagarosamente,
vai se tornando Cosmos
 e este por nossa mente sendo conscientizado.

Quer dizer, 
nossa mente é tão infinita quanto infinito é o Cosmos.

Com um abraço estrelado,
Janine Milward




Hubble's New Shot of Proxima Centauri, our Nearest Neighbor
Shining brightly in this Hubble image is our closest stellar neighbor: Proxima Centauri.

Credit: ESA/Hubble & NASA




Da Terra  ao Céu
 e ao Infinito

Constelações, Estrelas e Objetos Celestes
(sob o ponto de vista do Mundo Ocidental)
Suas histórias, seus mitos, seus significados e suas sintetizadas descrições

Reunião das Informações e Compilação,
Tradução para a língua portuguesa (em alguns momentos)
bem como Comentários Pessoais:
Janine Milward



Visitando os Sites abaixo,
 você conseguirá informações atualizadas e preciosas
sobre os Objetos Celestiais de seu interesse:

NASA/IPAC EXTRAGALACTIC DATABASE –
NASA/IPAC Extragalactic Database (NED) -  operated by the Jet Propulsion Laboratory, California Institute of Technology, under contract with the National Aeronautics and Space Administration.


THE NIGHT SKY ATLAS
The night sky atlas creates images of any part of the night sky, allowing easy location of any object. Detailed chart images show all stars visible to the naked eye, the constellations, Messier objects, and names of the brightest stars.

The Internet STELLAR DATABASE
- stars within 75 light-years.  (Plus some of the more well-known "name brand" stars farther away.)