sexta-feira, 3 de junho de 2016

Um Camaleão querendo devorar uma Mosca


Olá!

Em nossa Postagem anterior, viemos comentando sobre a Mosca
e que esta constelação é bem interessante por se posicionar
bem próxima ao Camaleão
- este querendo devorá-la, ao estender sua imensa língua
em direção ao inseto estelar!
Musca, com o nome original de Apis – a Abelha,
 foi introduzida no final do século XVI por Petrus Plancius
 para preencher a área previamente não catalogada 
perto do polo sul 
e para concordar com a constelação próxima Chamaeleon 
(mapas celestiais do século XVII 
claramente mostram a língua do camaleão tentando capturar o inseto). .........................

Na verdade, existem visões diferenciadas acerca 
a questão do posicionamento do Camaleão.

Quer dizer, veremos mais abaixo
que as ilustrações advindas do Programa Stellarium
apresentam o Camaleão dando as costas para a Mosca.

No entanto, nas ilustrações advindas de Mario Jaci Monteiro,
 em sua carta celeste,
e advindas de antigos mapas do hemisfério sul,
nos mostram o Camaleão com sua língua imensa e ferina
orientando-se em direção à Mosca 
(ou ainda à Abelha, Apis, sua nomeação original!),
a partir de sua estrela-beta Chamaeleontis!

Estaremos também encontrando ilustração antiga
mostrando Apus, a Ave-do-Paraíso,
tomando para si e para sua cauda alongada,
as estrelinhas que estariam fazendo as vezes
da língua estirada do Camaleão em direção à Mosca!

Estas constelações são muitíssimo interessantes de serem divisadas
e bem observadas - em noites de céus escuros e transparentes
e de ausência de Lua, com certeza -,
por apresentarem estrelinhas sempre bem tímidas
e todas fazendo a côrte e circulando em torno ao Oitante,
constelação que ostenta o ponto denominado enquanto Polo Sul.

Eu penso que os céus bem mais ao sul
num primeiro momento podem nos parecer um tanto confusos
em termos de bem podermos divisar seus asterismos...
No entanto, devagarinho, pouco a pouco, vamos sendo bem-sucedidos
em separar as constelações acolhendo estrelinhas tímidas, umas das outras
- assim como dedicaram-se e bem realizaram os astrônomos do passado.

Nesta Postagem, Caro Leitor,
encontre alguma informação sobre a constelação do Camaleão,
Chamaleon.

Boa Observação e Boa Leitura!

Com um abraço estrelado,
Janine Milward


Stellarium

Stellarium


Stellarium



Na Ilustração abaixo, Caro Leitor,
observe que a constelação Apus, a Ave-do-Paraíso,
alonga sua cauda e traz para si
as estrelinhas que também são consideradas como pertencentes
a Chamaleon, o Camaleão,
através sua longa e ferina língua
tentando alcançar Musca, a Mosca
(que inicialmente foi considerada como Apis, a Abelha,
mas que mais tarde, para não confundir com Apus, o pássaro,
foi nomeada como Musca, a Mosca.


The Consellations (Southern Hemisphere)
Map Maker: Elijah J. Burritt
Decorative chart of the southern skies, with a chart at the bottom left, identifying the magnitude of the various stars.

The constellations and major stars are named within the image.  From Burritt's Atlas Designed to Illustrate the Geography of the Heavens.


Mario Jaci Monteiro - As Constelações, Cartas Celestes, CARJ



http://penelope.uchicago.edu/Thayer/E/Gazetteer/Topics/astronomy/_Texts/secondary/ALLSTA/Chamaeleon*.html


Chamaeleon,

the German Chamäleon, the French Caméléon, and the Italian Camaleonte, is a small and unimportant constellation below Carina, Octans separating it from the south pole. It was first published and figured by Bayer among his new constellations from observations by navigators of the preceding century. Pontanus, in Chilmead's Treatise, included it with Musca as "the Chamaelon with the flie"; but Julius Schiller entirely changed its character by combining it with Apus and Musca in his biblical Eve.
None of its stars seem to be named except in China, where some of the larger were Seaou Tow, a small Measure or Dipper, that our αθηι,εμ2, and μ1 well show.
Gould gives 50 naked-eye components from 4.2 to the 7th magnitude. The constellation culminates about the 1st of May.

http://penelope.uchicago.edu/Thayer/E/Gazetteer/Topics/astronomy/_Texts/secondary/ALLSTA/Chamaeleon*.html




Na Ilustração abaixo, Caro Leitor,
observe que a língua alongada e ferina do Camaleão
busca avidamente a Mosca!....,
embora este mapa antigo nos apresente a Mosca 
ainda enquanto uma Abelha, Apis.





Title: [Celestial Map of the Southern Hemisphere]   Map Maker: Ignace Gaston Pardies


Fine fully colored example of this rare 17th Century map of the Southern Celestial Hemisphere, originally issued in 1674 by Ignace Gastone Pardies in Paris and revised in 1690, based in part on the work of the French Jesuit mathematician and astronomer Thomas Gouye (1650-1725).



Chamaeleon (Cha), o Camaleão, é uma constelação do hemisfério celestial sul. O genitivo, usado para formar nomes de estrelas, é Chamaeleontis.
As constelações vizinhas, de acordo com as fronteiras modernas, são ApusMuscaCarinaVolansMensa e Octans.

História

Chamaleon foi uma das doze constelações criadas por Petrus Plancius a partir das observações de Pieter Dirkszoon Keyser e Frederick de Houtman.1 Apareceu pela primeira vez num globo celeste publicado em 1597 em Amsterdã por Planicius e Jodocus HondiusJohann Bayer foi o primeiro uranógrafo a inserir Chamaleon num mapa celeste. Ela foi uma das muitas constelações criadas por exploradores europeus dos séculos XV e XVI a partir das estrelas observadas no hemisfério sul.2

Objetos

Estrelas

Há quatro estrelas brilhantes em Chamaleon. Alpha Chamaeleontis é uma estrela em tons brancos com magnitude 4.1 a 63 anos-luz da TerraBeta Chamaeleontisé uma estrela de tons azuis e brancos de magnitude 4.2 a 27 anos-luz da Terra. Gamma Chamaeleontis é uma estrela gigante vermelha de magnitude 4.1 e cerca de 413 anos-luz da Terra. A outra estrela brilhante em Chamaleon é Delta Chamaeleontis, uma estrela dupla. A estrela mais brilhante é Delta2 Chamaeleontis, uma estrela de tons azuis de magnitude 4.4 a 364 anos-luz da Terra. Delta1 Chamaeleontis é uma estrela gigante de tons alaranjados, a componente de menor brilho com magnitude 5.5 a 354 anos-luz.1

Céu profundo

Em 1999 foi descoberto um aglomerado aberto próximo e centrado na estrela η Chamaeleontis. O aglomerado conhecido como Aglomerado Eta Chamaeleontis ou Mamajek 1 tem 8 milhões de anos e está a 316 anos-luz da Terra.3
A constelação contém nuvens moleculares que formam o Complexo do Camaleão que estão formando estrelas T Tauri de pequena massa. O complexo de nuvens está entre 400 a 600 anos-luz da Terra e contém dezenas de milhares de vezes a massa solar em gás e poeira. Os aglomerados de estrelas T Tauri e estrelas classe B que mais se destacam são da nuvem Camaleão I, e estão associadas com a nuvem de relexão IC 2631.
Chamaleon contém uma nebulosa planetária, NGC 3195, que tem brilho razoavelmente fraco. Aparece ao telescópio com aproximadamente o mesmo tamanho aparente de Júpiter.1
http://pt.wikipedia.org/wiki/Chamaeleon


Chamaeleon constellation map.png

"Chamaeleon constellation map". Licenciado sob CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons - http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Chamaeleon_constellation_map.png#/media/File:Chamaeleon_constellation_map.png


Stellarium


Alpha Chamaeleontis (4 Chamaeleontis) é uma estrela na direção da Chamaeleon. Possui uma ascensão reta de 08h 18m 31.27s e uma declinação de −76° 55′ 11.9″. Sua magnitude aparente é igual a 4.05. Considerando sua distância de 63 anos-luz em relação à Terra, sua magnitude absoluta é igual a 2.60. Pertence àclasse espectral F5III.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Alpha_Chamaeleontis


Beta Chamaeleontis (40 Chamaeleontis) é uma estrela na direção da Chamaeleon. Possui uma ascensão reta de 12h 18m 20.94s e uma declinação de −79° 18′ 44.2″. Sua magnitude aparente é igual a 4.24. Considerando sua distância de 271 anos-luz em relação à Terra, sua magnitude absoluta é igual a −0.36. Pertence àclasse espectral B5Vn. É uma estrela variável.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Beta_Chamaeleontis













Stellarium



Gamma Chamaeleontis (23 Chamaeleontis) é uma estrela na direção da constelação de Chamaeleon. Possui uma ascensão reta de 10h 35m 28.22s e umadeclinação de −78° 36′ 28.1″. Sua magnitude aparente é igual a 4.11. Considerando sua distância de 413 anos-luz em relação à Terra, sua magnitude absoluta é igual a −1.40. Pertence à classe espectral M0III. É uma estrela variável.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Gamma_Chamaeleontis


Delta1 Chamaeleontis (25 Chamaeleontis) é uma estrela dupla na direção da constelação de Chamaeleon. Possui uma ascensão reta de 10h 45m 16.38s e umadeclinação de −80° 28′ 10.3″. Sua magnitude aparente é igual a 5.46. Considerando sua distância de 354 anos-luz em relação à Terra, sua magnitude absoluta é igual a 0.28. Pertence à classe espectral K0III.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Delta1_Chamaeleontis

Delta2 Chamaeleontis (26 Chamaeleontis) é uma estrela na direção da constelação de Chamaeleon. Possui uma ascensão reta de 10h 45m 47.14s e umadeclinação de −80° 32′ 24.7″. Sua magnitude aparente é igual a 4.45. Considerando sua distância de 363 anos-luz em relação à Terra, sua magnitude absoluta é igual a −0.79. Pertence à classe espectral B2.5IV.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Delta2_Chamaeleontis



Eta Chamaeleontis (8 Chamaeleontis) é uma estrela na direção da constelação de Chamaeleon. Possui uma ascensão reta de 08h 41m 19.60s e uma declinação de −78° 57′ 48.3″. Sua magnitude aparente é igual a 5.46. Considerando sua distância de 316 anos-luz em relação à Terra, sua magnitude absoluta é igual a 0.53. Pertence à classe espectral B9IV.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Eta_Chamaeleontis















Eta Chamaeleontis (η Cha), is a star located in the constellation Chamaeleon. Eta 
Chamaeleontis is also known as HR 3502, and HD 75416. Eta Chamaeleontis is located at Right Ascension 08h 43m 4.6 sec and Declination -78 deg 46 arcmin 57 arcsec.
Eta Chamaeleontis is an B8V dwarf star with an effective temperature of 12000 Kelvin. It has an apparent visual magnitude of +5.47, an absolute magnitude of +.53 and a mass of 3.7 solar masses. It is located 97 pc (315 light years) from the Sun.[1]
η Cha is the brightest and most massive member of the eponymous Eta Chamaeleontis Cluster (or Mamajek 1), a very nearby (316 light years), and young (8 million years old) open cluster discovered in 1999. The cluster contains nearly 20 stellar members spread out over a 40-arcminute diameter region of sky, including the neighboring A-type star HD 75505 and the eclipsing binary RS Cha.[2] All of the low-mass members (including RS Cha) are pre-main sequence, and several of them appear to still be accreting from protoplanetary disks.
http://en.wikipedia.org/wiki/Eta_Chamaeleontis

open cluster Mamajek 1

Basic ParametersMamajek 1
DSS Image: 40 x 40 arcminutes
Right Ascension (2000)08 42 06
Declination (2000)-79 01 38
Galactic longitude292.482
Galactic latitude-21.654
Distance [pc]97
Reddening [mag]0.00
Distance modulus [mag]4.93
Log Age6.778
Metallicity
Notes

Numbering system:

Mamajek E.E., Lawson W.A., Feigelson E.D. 1999, ApJ 516, L77 (1999ApJ...516L..77M)




http://www.iau.org/static/public/constellations/gif/CHA.gif



NGC 3195, Telescópio Espacial Hubble
http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_3195#/media/File:Ngc3195.jpg

NGC 3195 é uma nebulosa planetária na direção da constelação de Chamaeleon. O objeto foi descoberto pelo astrônomo John Herschel em 1835, usando um telescópiorefletor com abertura de 18,6 polegadas. Devido a sua moderada magnitude aparente (+11,6), é visível apenas com telescópios amadores ou com equipamentos superiores.
http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_3195



NGC 3149 é uma galáxia espiral (Sb) localizada na direcção da constelação de Chamaeleon. Possui uma declinação de -80° 25' 20" e uma ascensão recta de 10 horas, 03minutos e 43,4 segundos.
A galáxia NGC 3149 foi descoberta em 24 de Fevereiro de 1835 por John Herschel.
http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_3149



NGC 2915 é uma galáxia espiral barrada (SBa) localizada na direcção da constelação de Chamaeleon. Possui uma declinação de -76° 37' 36" e uma ascensão rectade 9 horas, 26 minutos e 13,6 segundos.
A galáxia NGC 2915 foi descoberta em 31 de Março de 1837 por John Herschel.
http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_2915
http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_2915#/media/File:NGC2915-hat-R814GB606.jpg



NUVEM MOLECULAR CHAMALEÃO


"Chamaeleon I cloud" di This work was done by Dr. David Burrows and graduate student Jeff Mendenhall of the Penn State Department of Astronomy & Astrophysics, and is based on a mosaic of images collected by Dr. Burrows and by Dr. Eric Feigelson of Penn State using the US/German ROSAT satellite. - HEASARC ROSAT Guest Observer Facility, url=http://heasarc.nasa.gov/docs/rosat/gallery/misc_shadow_cham.html. Con licenza Pubblico dominio tramite Wikimedia Commons - http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Chamaeleon_I_cloud.png#/media/File:Chamaeleon_I_cloud.png



Uma nebulosa escura é uma grande nuvem molecular, as quais se apresentam como regiões pobres em estrelas onde a poeira do meio interestelar parece estar concentradas.
Nebulosas escuras podem ser vistas quando elas obscurecem parte de uma nebulosa de reflexão ou uma emissão (por exemplo a nebulosa cabeça de cavalo) ou se elas bloqueiam estrelas de fundo (por exemplo a Nebulosa do Saco de Carvão). As maiores nebulosas escuras são visíveis a olho nu, elas aparecem como caminhos escuros contra o fundo brilhante da Via Láctea.

Astrofísica da nebulosa escura

hidrogênio destas nuvens escuras opacas existe na forma de hidrogênio molecular. A maior nebulosa deste tipo, a chamada nuvem molecular gigante (NMG), é mais do que um milhão de vezes a massa do Sol. Ela contém mais massa do que o meio interestelar, e quase 150 anos-luz de comprimento, e tem uma densidade média de 100 a 300 molécula por centímetro cúbico e uma temperatura interna de 7 a 15 KNuvens moleculares consistem basicamente de gás e poeira, mas contém muitas estrelas também. As cores dessas nuvens estão completamente escondidas da visão e não são detectáveis exceto para a emissão de micro-ondas de suas moléculas constituintes. Esta radiação não é absorvida pela poeira e rapidamente escapa da nuvem. O material interno da nuvem é arrastado coeso em todas as direções, com algumas nuvens reduzindo-se a massa de estrelas individuais, pequenos arrastões devem estender-se a cerca de um ano luz. As nuvens têm um campo magnético interno que se opõe a sua própria gravidade.
A NMG desempenha um importante papel na dinâmica da galáxia: quando uma estrela passa próxima a um NMG, um considerável impulso gravitacional abalará a órbita da estrela de forma significativa. Depois de repetidas aproximações, uma estrela de meia-idade terá componentes significativos de velocidade em todas as direções, ao invés de uma órbita quase circular como uma estrela jovem (isto é porque a jovem estrela herda a órbita circular da NMG onde ela nasceu). Isto dá aos astrônomos outra ferramenta para estimar a idade de estrelas, e ajuda a explicar a espessura do disco galáctico
Na região interna de uma nebulosa escura importantes eventos têm lugar, tais como a formação das estrelas e masers.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Nebulosa_escura


"ChaCloudMap" di Roberto Mura - Opera propria. Con licenza CC BY-SA 3.0 tramite Wikimedia Commons - http://commons.wikimedia.org/wiki/File:ChaCloudMap.png#/media/File:ChaCloudMap.png

La Nube del Camaleonte
http://it.wikipedia.org/wiki/Nube_del_Camaleonte#/media/File:ChaCloud.jpg

La Nube del Camaleonte
Dati osservativi
(epoca J2000.0)
CostellazioneCamaleonte
Ascensione retta12h : [1]
Declinazione-79° :[1]
Coordinate galattichel=297°; b=-18°
Distanza520-590[1] a.l.
(160-180[1] pc)
Dimensione apparente (V)
Caratteristiche fisiche
TipoNebulosa oscura
Galassia di appartenenzaVia Lattea
Massa5000 M

Caratteristiche rilevantiAssociato a stelle di media massa
La Nube del Camaleonte è una nube molecolare oscura situata prevalentemente nella costellazione del Camaleonte; si estende per alcuni gradi in particolare nella porzione nordorientale della costellazione, dove viene in piccola parte illuminata dalla luce delle stelle adiacenti.
La nube si trova a circa 160-180 parsec (520-590 anni luce) dal sistema solare ed è composta da tre strutture principali, indicate con le sigle Cha I, II e III;[1] la nube giace sul bordo più interno del Braccio di Orione, a breve distanza dalla celebre Nebulosa Sacco di Carbone e dalla brillante Associazione Scorpius-Centaurus, sebbene questi due oggetti giacciano a delle latitudini galattiche superiori.
Nella Nube del Camaleonte sono attivi dei limitati fenomeni di formazione stellare, che generano stelle di piccola e media massa; grazie alla sua notevole vicinanza, lo studio di questi fenomeni ne risulta notevolmente facilitato, come pure l'osservazione delle dinamiche che portano alla formazione di oggetti di massa substellare, come le nane brune,[2] e la nascita dei sistemi planetari.[3]
http://it.wikipedia.org/wiki/Nube_del_Camaleonte
http://it.wikipedia.org/wiki/Nube_del_Camaleonte#/media/File:Cha_I.jpg



IC 2631 (nota anche come Ced 112) è una nebulosa a riflessione visibile nella costellazione del Camaleonte.
Si individua nella parte settentrionale della costellazione, circa 3° a nordest della stella δ Chamaeleontis, di quarta magnitudine; giace sul confine con la Carena e sul bordo settentrionale di una nebulosa oscura estesa per alcuni gradi, la cui presenza può essere rilevata dall'assenza di stelle di fondo nella sua direzione. La suadeclinazione è fortemente australe, al punto che può essere osservata quasi esclusivamente dalle regioni dell'emisfero australe terrestre, sebbene sia visibile, molto bassa, sull'orizzonte, anche pochi gradi a nord dell'equatore.
IC 2631 è la nebulosa a riflessione più luminosa facente parte della Nube del Camaleonte, una nube molecolare in cui hanno luogo dei fenomeni di formazione stellare generanti stelle di piccola massa; questa nube riveste una grande importanza nello studio della formazione dei sistemi planetari e delle nane brune.[4] La stella responsabile dell'illuminazione dei gas in direzione di IC 2631 è la giovanissima stella HD 97300; si tratta di una stella T Tauri con emissioni nell'infrarosso, al punto che possiede anche la sigla Ced 112 IRS 3. Questa stella fa parte dell'associazione Chamaeleon T1, un gruppo di stelle T Tauri legato fisicamente alla nube Chamaeleon I, in cui si sono formate;[5] questa nube, che costituisce la sezione più settentrionale della Nube del Camaleonte, è quella che presenta la maggiore attività di formazione stellare, dell'intero sistema nebuloso di cui fa parte.
http://it.wikipedia.org/wiki/IC_2631
IC 2631
http://it.wikipedia.org/wiki/IC_2631#/media/File:Ced_112.jpg


SAIBA BEM MAIS SOBRE
A NUVEM MOLECULAR ESCURA EM CAMALEÃO
acessando




Na Ilustração abaixo, Caro Leitor,
observe que a constelação Apus, a Ave-do-Paraíso,
alonga sua cauda e traz para si
as estrelinhas que também são consideradas como pertencentes
a Chamaleon, o Camaleão,
através sua longa e ferina língua
tentando alcançar Musca, a Mosca
(que inicialmente foi considerada como Apis, a Abelha,
mas que mais tarde, para não confundir com Apus, o pássaro,
foi nomeada como Musca, a Mosca.

The Consellations (Southern Hemisphere)
Map Maker: Elijah J. Burritt
Decorative chart of the southern skies, with a chart at the bottom left, identifying the magnitude of the various stars.


The constellations and major stars are named within the image.  From Burritt's Atlas Designed to Illustrate the Geography of the Heavens.


Os desenhos formados pelas estrelas 
– As Constelações -
 são como janelas que se abrem para a infinitude do universo 
e que possibilitam nossa mente a ir percebendo que existe mais, bem mais, 
entre o céu e a terra...;
 bem como percebendo que o caos,
 vagarosamente, 
vai se tornando Cosmos 
e sendo por nossa mente conscientizado.  

Quer dizer, 
nossa mente é tão infinita quanto infinito é o Cosmos.

COM UM ABRAÇO ESTRELADO,
Janine Milward






Title: [Celestial Map of the Southern Hemisphere]   Map Maker: Ignace Gaston Pardies
Fine fully colored example of this rare 17th Century map of the Southern Celestial Hemisphere, originally issued in 1674 by Ignace Gastone Pardies in Paris and revised in 1690, based in part on the work of the French Jesuit mathematician and astronomer Thomas Gouye (1650-1725).