quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Vênus alcançando Júpiter e formando ambos esses Planetas um só ponto brilhante no horizonte oeste!

Olá!

Caro Leitor,
os céus do horizonte oeste
estarão nos proporcionando 
uma visão ímpar e emocionante
com a bela da tarde, Vênus,
alcançando Júpiter, o gigante gasoso,
e formando ambos esses Planetas
um só ponto brilhante!

Meu conselho é que desde a noitinha de hoje,
dia 25,
você possa já ir acompanhando
este enlace maravilhoso
- no cair das noites dos dias 26 e 27 -
entre Vênus e Júpiter
e sob o testemunho de Mercúrio!

Com um abraço estrelado,
Janine Milward



Veja em 26 e em 27de agosto
Mercúrio adiantando-se, 
vagarosamente,
enquanto Vênus terá alcançado Júpiter
e formando praticamente uma só luz
de tão grudados que estarão entre si!









27 de agosto  - Vênus e Júpiter formando um só ponto brilhante no horizonte oeste!








Os Deuses e as Deusas, no Olimpo:
Veja Júpiter, Zeus, sentado em seu trono,
e veja Vênus, Afrodite,
logo abaixo, sentada entre Eros
(o anjinho atuando como cupido)
 e Ars, Marte.
E encontre Mercúrio inserido
entre Apolo e Athena,
à esquerda ao alto.



Os Doze Deuses Olímpicos, por Monsiau, em finais do século XVIII
https://pt.wikipedia.org/wiki/Deuses_ol%C3%ADmpicos#/media/File:Olympians.jpg
Nicolas-André Monsiau (1754-1837) - Uploaded originally to english wikipedia by en:User:Deucalionite on 24 August 2005. (see: [1])

The Olympian gods. Depicted clockwise from top center are: Zeus, Hephaestus, Athena, Apollo, Hermes, Artemis, Poseidon, Eros, Aphrodite, Ares, Dionysus, Hades, Hestia, Demeter, Hera.






Algumas Palavras acerca os
Mitos sobre Júpiter e Vênus
e ainda sobre Mercúrio




Júpiter



Júpiter é filho de Cronos e Rea, Saturno e Cibele.  Saturno sabia que seria destronado por um dos seus filhos.  E passou a engolir um a um, logo após seus nascimentos.  Entretanto, sua mulher traçou um plano junto a Gaia, a Mãe-Terra: quando estava prestes a dar luz ao próximo rebento, ocultou-se em uma caverna e lá Júpiter veio ao mundo.  Gaia recolheu o menino em seus braços e Cibele retornou ao lar e lá apanhou uma pedra, envolveu em panos e entregou a Saturno que, imediatamente, a devorou.

Cibele salvara seu filhos mas havia, ao mesmo tempo, selado a profecia: em dia próximo, o último filho de Cronos tomaria das armas para encerrar o sombrio reinado de sangue.  E para sempre se instalaria no trono do mundo.

Ao crescer, Júpiter se aliou aos irmãos e aos monstros, destronou Saturno e venceu os Titãs e os Gigantes.  Com a tríplice vitória, firmou-se como senhor absoluto do mundo e encerrou o ciclo de divindades tenebrosas, das forças desordenadas, que, como Cronos, o Tempo, a tudo corrompem e destroem.  Sua vitória pode ser compreendida como a vitória da Ordem e da Razão sobre os instintos e as emoções desenfreadas.  É Júpiter quem abre aos homens o caminho da razão e ensina-lhes que o verdadeiro conhecimento só é obtido a partir da dor.  Mas não assiste impassível aos sofrimentos humanos, ao contrário, compadece-se... apenas não se deixa levar pelas emoções, pis é a imagem da justiça e da razão.  Sabe que não pode intervir nas descobertas pessoais: cada qual  tem de viver sozinho sua própria experiência.  Limita-se a premiar os esforços honestos e a punir as impiedades.

Por todos esses atributos, Homero chamou-o de ‘pai dos deuses e dos homens’.    Como rei, Júpiter comanda o Olimpo e os homens.  Como rei e pai, Júpiter alcançou regiões imensas pois teve vários filhos e com várias mulheres e todos estes filhos espalharam-se mundo afora, tanto na terra, quanto nos mares e até nos mundos ínferos (como é o caso de Perséfone, filha que teve com Ceres e que foi raptada por Plutão, para ser sua esposa).  As Graças, as Musas, as Horas, as Moiras, Apolo e Diana, Perseu, Hércules, Baco, Helena e Pólux... todos são seus filhos e alguns outros mais. 


Jupiter.jpg
NASA/JPL/USGS - http://photojournal.jpl.nasa.gov/catalog/PIA00343 







Vênus (Afrodite)
nascida da espuma do mar,
Deusa do Amor
e apaixonada por Marte



http://pt.wikipedia.org/wiki/Marte_%28mitologia%29#mediaviewer/File:Venus_and_Mars.jpg
Marte e Venus, por Sandro Botticelli








http://pt.wikipedia.org/wiki/Afrodite#mediaviewer/File:Sandro_Botticelli_-_La_nascita_di_Venere_-_Google_Art_Project_-_edited.jpg



Urano, o céu estrelado, uniu-se à Terra e nela fecundou os Titãs, Ciclopes e Gigantes.  Saturno, o mais jovem dos Titãs, foi o escolhido por sua mãe para livrar-se de Urano e durante a noite, quando seu pai desceu para cobrir a Terra, Gaia, aproximou-se e, com um golpe único e violento, cortou os testículos do pai e atirou-os ao mar.

O sangue de Urano jorrou sobre a Terra e novamente a fecundou: nasceram as Eríneas, terríveis deusas da vingança.  Distante, no mar, aos poucos foi se formando uma espuma, nascida dos órgãos arrancados de Urano.  E desta espuma brotou Afrodite, Vênus, a mais bela dentre as deusas, emergindo das águas, amparada numa grande concha de madrepérola.  Vênus é conduzida ao Olimpo e todos clamam sua beleza.

Inicialmente, Vênus era considerada a deusa do instinto da fecundidade.  Sua ação era ilimitada, abrangendo toda a natureza com seus componentes humanos, animais e vegetais. 

Acreditava-se que ela espalhava o elemento úmido, causa fundamental de todo princípio gerador e de toda a fecundidade na natureza.

Somente mais tarde é que Afrodite/Vênus passou a ser a deusa do amor - no início protetora das formas mais nobres e puras desse sentimento.  Com o tempo, passou a personificar o amor em seus inúmeros aspectos, recebendo outros nomes e cultos diversos: Afrodite Urânia (celeste) que simboliza o amor puro e ideal; Afrodite Pandemos era deusa do amor sensual e venal.

Segundo Homero, somente três das divindades olímpicas não se deixavam seduzir por Vênus: Pallas Athenas (Minerva), Ártemis (Diana) e Héstia (Vesta).  Recusando-se a obedecer às suas leis, de Vênus, estas deusas têm as atribuições que os gregos consideravam mais importantes, por constituírem a nobreza e a beleza da vida: a arte, o lar e a honra.

O amor de Vênus e Marte aconteceu a partir do momento em que Marte abandonou as atitudes brutais e aproximou-se da deusa do amor oferecendo-lhe seu corpo perfeito, dizendo-lhe palavras de afeto.  Cumulou-a de ricos presentes.  Apaixonaram-se e fizeram planos para se unirem no amor.  Encontravam-se à noite enquanto Vulcano, esposo de Vênus, trabalhava em sua forjaria.  Marte sempre levava consigo o jovem Alectrião, seu confidente, para lhe avisar quando chegasse o Sol.  Uma noite, porém, Alectrião adormeceu e o Sol surpreendeu os amantes que dormiam abraçados.  O Sol, indignado, foi avisar Vulcano que, pacientemente, teceu uma rede e aguardou o momento adequado para flagrar o amor ilícito entre Vênus e Marte.  E assim aconteceu.  Alectrião foi transformado por Marte em um galo, condenado a advertir eternamente os homens do despertar do sol.

Vênus teve quatro filhos com Marte, seu amante ideal: Cupido, Harmonia, Deimos e Fobos - os dois primeiros representando os elementos positivos contidos no mito venusiano e os dois últimos, o aspecto negativo sintetizado na figura de Marte, violento deus da guerra.

Com Mercúrio, Vênus teve Hermafrodito, figura dupla de homem e de mulher.  Com Baco, Vênus gerou Príapo, protetor dos bosques, jardins e vinhas.  Com Anquises, um mortal, Vênus deu a luz a Enéias, famoso herói troiano.  Com Vulcano, seu esposo, não teve filhos.





Com Mercúrio, Vênus teve Hermafrodito, figura dupla de homem e de mulher.  Com Baco, Vênus gerou Príapo, protetor dos bosques, jardins e vinhas.  Com Anquises, um mortal, Vênus deu a luz a Enéias, famoso herói troiano.  Com Vulcano, seu esposo, não teve filhos.



Mercúrio

http://static.ddmcdn.com/gif/mercury-color-messenger-nasa-full-130222.jpg


Maia é uma ninfa sobre quem pairaram os olhos de Júpiter. A jovem diverte-se, sorri, dança, brinca ao redor da majestosa figura de Júpiter... e ambos entregam-se ao amor. Deste amor, nasce Mercúrio.  Depois de dar a luz a Mercúrio, Maia adormece.  Mercúrio abre os olhos.  Não é apenas um frágil bebê que desperta, mas um ser dotado de extraordinária precocidade.

Permanece deitado por alguns momentos ainda, até assegurar-se de que Maia está mergulhada em profundo sono.  Então liberta-se rapidamente das numerosas faixas que lhe envolviam o pequeno corpo e que impossibilitariam seus movimentos.

Lá fora, no meio da noite pela primeira vez, olha o céu, as estrelas, e sai para o mundo, já pronto a fazer  suas peraltices.  Ao retornar à casa, avistou uma tartaruga.  Ficou encantado com o pequeno animal e, pegando-o nas mãos, disse as seguintes palavras: “Que sorte inesperada!”.  Com um estilete, feriu a tartaruga e esvaziou-lhe a carapaça, onde prendeu pedaços de cana de diferentes tamanhos.  Depois, distendeu sete cordas feitas com os intestinos dos animais que havia roubado durante seu passeio de peraltices.  Havia acabado de criar um novo instrumento musical: a lira.

Originário provavelmente da Trácia, o culto de Hermes (Mercúrio) não tardou a difundir-se entre povos primitivos da Grécia.  A princípio, o deus era venerado sobretudo pelos pastores.  Depois, Hermes perdeu grande parte de suas atribuições pastorais e de fecundidade, e aos poucos, foi se tornando deus dos viajantes, que conduzia por estradas muitas vezes cheias de riscos.

A maior parte das viagens realizadas pelos gregos tinha objetivos comerciais.  Por extensão, Hermes, protetor das estradas, tornou-se também deus do comércio e dos ladrões.  Essas novas características foram-lhe facilmente acrescidas por dois motivos principais: de um lado, os gregos eram conhecidos como comerciantes hábeis e muito pouco escrupulosos; de outro, o próprio Hermes, por sua extraordinária astúcia, adequava-se perfeitamente às necessidades práticas da sociedade grega, que, para sobreviver entre tantos inimigos ao seu redor, tinha de recorrer à esperteza.

E Hermes tinha um discurso bastante convincente e logo se transformou em deus da eloqüência. Estas todas funções lhe trazem também a função de mensageiro: ele é o verddeiro e perfeito arauto dos deuses -  atribuição caracterizada pelo objeto que sempre carrega consigo: o caduceu, bastão que tem poderes de distribuir bênçãos e prosperidade, além de ser capaz de transformar em ouro tudo o que toca.

Corredor infatigável, Hermes viaja por todas as partes, entre a Terra e o Olimpo.  A desenvoltura com que realizava tal atividade levou os regos a imagina-lo como um modelo ideal de juventude.  Entretanto, Hermes não possuía apenas dotes físicos.  Por haver inventado a lira, era venerado pelos poetas e cantores, e honrado, como protetor da música, juntamente com Apolo.  Mais tarde, foi-lhe atribuída a criação das ciências, especialmente da matemática e da astronomia.  Dessa maneira, surgiu a figura de Hermes Trismegisto, três vezes santo.

Com o tempo, Hermes assumiu também a função de conduzir as almas dos mortos até a região dos ínferos.  Era então chamado de Hermes Psicopompo (condutor de almas).

Mercúrio teve vários filhos: com Vênus, a deusa do amor, gerou Hermafrodito, ser de dupla natureza, homem e mulher ao mesmo tempo.  Com a ninfa Driopéa, gerou Pã, deus dos rebanhos e dos pastores... e muitos outros seres.


Os textos acima são sintetizados por Janine e extraídos de alguns Fascículos da antiga coleção Mitologia, publicada pela Abril Cultural, ainda na década de 1960.



COM UM ABRAÇO ESTRELADO,
JANINE MILWARD