sábado, 22 de abril de 2017

Uma Pomba voando junto ao Navio Argo, Argonavis


Olá!

Olhando mais atentamente
 para os céus estrelados do sul
e nas imediações do Cão Maior e da Popa e da Quilha
- melhor dizendo, entre Sírius e Canopus -,podemos pensar: 
será uma pomba voando?


Stellarium



Sim!

Onde está a Pomba?

Duas estrelas nos ajudam a encontrar a Pomba:
Sírius, a mais bela da noite, estrela-alpha Canis Majoris,
e
Canopus, o Capitão do Navio,
estrela-alpha Argo Navis, estrela-alpha Carinae!

Caro Leitor,
veja a Pomba 
- a constelação Columba -
voando bem próxima ao Navio 
e ainda acenando para o Cão Maior!



Stellarium




Caro Leitor,
se acaso você estiver disposto 
a acompanhar o andamento,
o plácido navegar de Argo Navis, o Navio
(Carina, Puppis e Vela),
circum-navegando como se desenhando 
um figura elipsal de sudeste a sudoeste
ao longo de todo o tempo em que permanece
sob nossa visão nos céus estrelados mais ao sul...,
não deixe também de observar
a doce leveza do voo da Pomba de Noé, 
a constelação Columba,
voando sempre junto ao Navio, à antiga Arca de Noé.

A Pomba de Noé traz consigo um pequeno ramo
- ramo este demonstrativo de que a terra não está longe
e que as águas diluviais já estão baixando -
e voa ao lado da Arca de Noé, da Arca que carrega a vida,
a continuidade da vida,
 em seu ventre de madeira flutuando sobre as águas celestes.



http://farm4.static.flickr.com/3009/2735045875_ece86a358e.jpg






Mario Jaci Monteiro - As Constelações, Cartas Celestes - CARJ




COLUMBA NOE, A POMBA DE NOÉ


Posicionamento:
Ascensão Reta 5h3m / 6h28      Declinação -27o.2 / -43o.0


História:
Reconhecida inicialmente por Royer em 1679, 
porém já existente anteriormente.


Mito:
 Representa a pomba enviada por Noé, da Arca.



Estrelas e objetos interessantes, em Columba:

Phact - Alpha Columbae. 
A Rola, nome árabe que designa esta estrela.
Situada na base da asa direita da Pomba. De Had’ar, Chão.

Wezn - Beta Columbae
Magnitude 3.2
Peso, nome de origem árabe Al Wazn,
 ou seja, o peso, 
para designar que a estrela parece se levantar com dificuldade do horizonte.


6a. Edição do Atlas Celeste
de autoria de Ronaldo Rogério de Freitas Mourão,
Editora Vozes, Petrópolis, ano de 1986

 http://www.iau.org/static/public/constellations/gif/COL.gif


Programa Stellarium




Alpha Columbae (Phact, 38 Columbae) é uma estrela na direção da Columba. Possui uma ascensão reta de 05h 39m 38.94s e uma declinação de −34° 04′ 26.6″. Sua magnitude aparente é igual a 2.65. Considerando sua distância de 268 anos-luz em relação à Terra, sua magnitude absoluta é igual a −1.93. Pertence à classe espectral B7IV.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Alpha_Columbae

Beta Columbae (Wezn, 53 Columbae) é uma estrela na direção da Columba. Possui uma ascensão reta de 05h 50m 57.55s e uma declinação de −35° 46′ 09.5″. Suamagnitude aparente é igual a 3.12. Considerando sua distância de 86 anos-luz em relação à Terra, sua magnitude absoluta é igual a 1.02. Pertence à classe espectralK1.5III.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Beta_Columbae

Gamma Columbae (65 Columbae) é uma estrela na direção da constelação de Columba. Possui uma ascensão reta de 05h 57m 32.21s e uma declinação de −35° 16′ 59.9″. Sua magnitude aparente é igual a 4.36. Considerando sua distância de 853 anos-luz em relação à Terra, sua magnitude absoluta é igual a −2.73. Pertence à classe espectral B2.5IV.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Gamma_Columbae

Delta Columbae (91 Columbae) é uma estrela na direção da constelação de Columba. Possui uma ascensão reta de 06h 22m 06.85s e uma declinação de −33° 26′ 10.6″. Sua magnitude aparente é igual a 3.85. Considerando sua distância de 237 anos-luz em relação à Terra, sua magnitude absoluta é igual a −0.46. Pertence àclasse espectral G7II.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Delta_Columbae

Epsilon Columbae (22 Columbae) é uma estrela na direção da constelação de Columba. Possui uma ascensão reta de 05h 31m 12.74s e uma declinação de −35° 28′ 13.6″. Sua magnitude aparente é igual a 3.86. Considerando sua distância de 277 anos-luz em relação à Terra, sua magnitude absoluta é igual a −0.79. Pertence à classe espectral K1II/III.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Epsilon_Columbae




http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_1851#mediaviewer/File:PIA07908.jpg
Ultraviolet image of the globular cluster NGC 1851 in the southern constellation Columba.
http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_1851

NGC 1851 - Aglomerado Globular Columba
Ascensão Reta  05h13m      Declinação - 40o.02
Magnitude fotográfica global 7,7       Diâmetro aparente 11’5         Tipo Espectral F7
Número conhecido de Variáveis  3        Distância kpc   14,0
Velocidade Radial (km/s)   +309


6a. Edição do Atlas Celeste
de autoria de Ronaldo Rogério de Freitas Mourão,
Editora Vozes, Petrópolis, ano de 1986



NGC 2090
NGC 2090 é uma galáxia espiral (Sc) localizada na direcção da constelação de Columba
Possui uma declinação de -34° 15' 03" e umaascensão recta de 5 horas, 47 minutos e 01,6 segundos.
A galáxia NGC 2090 foi descoberta em 29 de Outubro de 1826 por James Dunlop.


http://pt.wikipedia.org/wiki/NGC_2090




http://www.ianridpath.com/atlases/urania/urania30.jpg





Richard Hinckley Allen, Star Names, Their Lore and Meaning, Dover Publications, Inc, New York, USA 








http://penelope.uchicago.edu/Thayer/E/Gazetteer/Topics/astronomy/_Texts/secondary/ALLSTA/Columba_Noae*.html

Columba Noae, Noah's Dove,

now known simply as Columba, is the Colombe de Noé of the French, Colomba of the Italians, and Taube of the Germans, lying south of the Hare, and on the meridian with Orion's Belt.
Although first formally published by Royer in 1679, and so generally considered one of his constellations, it had appeared seventy-six years before correctly located on Bayer's plate of Canis Major, and in his text as recentioribus Columba; one of these "more recent" being Petrus Plancius, the Dutch cosmographer and map-maker of the 16th century, and instructor of Pieter Theodor. While these are the first allusions to Columba in modern times, yet the following from Caesius may indicate knowledge of its stars,1 and certainly of the present title, seventeen centuries ago. Translating from the Paedagogus of Saint Clement of Alexandria, he wrote:

Signa sive insignia vestra sint Columba, sive Navis coelestis cursu in coelum tendens sive Lyra Musica, in recordationem Apostoli Piscatoris.
Still it was not recognized by Bartschius twenty-one years after Bayer, nor by Tycho, Hevelius, or Flamsteed; but Halley gave it, in the same year as Royer, with ten stars; and our Gould, two centuries later in Argentina, increased the number to seventeen. It was made up from the southwestern p167outliers of Canis Major, near to the Ship, — Noah's Ark, — and so was regarded as the attendant Dove.

Smyth wrote of its modern formation, and of its nomenclature in Arab astronomy:
Royer cut away a portion of Canis Major, and constructed Columba Noachi therewith in 1679. The part thus usurped was called Muliphein, fromal‑muhlifein, the two stars sworn by, because they were often mistaken for Soheil, or Canopus, before which they rise: these two stars are now α and βColumbae. Muliphein is recognized as comprehending the two stars called Ḥaḍʽár, ground, and al‑wezn, weight.
Reference already has been made to Al Muḥlīfaïn at the stars γζ, and λ Argūs, δ Canis Majoris, and α Centauri.

http://penelope.uchicago.edu/Thayer/E/Gazetteer/Topics/astronomy/_Texts/secondary/ALLSTA/Columba_Noae*.html


Minha (Janine) simples e direta e sintetizada tradução para o texto acima:

A Pomba de Nóe - agora conhecida simplesmente como A Pomba, Columba.
.......................................

Apesar de ter sido formalmente publicado por Royer,e m 1679, 
e desta forma considerada como uma de suas constelações, 
a Pomba, Columba, aparece setenta e sete anos antes 
e corretamente localizada na ilustração de Bayer sobre Canis Major 
e em seu texto como Columba.  
Outra descoberta mais recente aconteceu com Petrus Plancius,
 o cosmógrafo holandês e ilustrador de mapas durante o século XVI 
e instrutor de Pieter Theodor. 
 Enquanto essas são as primeiras alusões acerca Columba 
em tempos modernos, 
ainda assim existe um texto de Caesius 
que pode indicar conhecimento destas estrelas 
e, certamente, de seu título, dezessete séculos antes.
........................
Mesmo assim, esta constelação não foi reconhecida por Bartschius 
vinte e um anos após Bayer, 
e nem por Tycho ou Hevelius ou Flamsteed.  
Porém Halley a reconheceu, no mesmo ano em que Royer o fez, com dez estrelas;
 e dois séculos mais tarde, Gould, na Argentina, 
aumentou este número para dezessete. 
Esta constelação foi desenhada 
a partir da fronteira com Canis Major 
e próxima ao Navio – A Arca de Nóe –
 e portanto, foi reconhecida 
como uma Pomba.
………………………………



http://pt.wikipedia.org/wiki/Arca_de_No%C3%A9#mediaviewer/File:Noahs_Ark.jpg
A Arca de Noé segundo Edward Hicks.

.............................................

A história de Arca de Noé, de acordo com os capítulos 6 a 9 do livro do Gênesis, começa com Deus observando o mau comportamento da Humanidade e decidido a inundar a terra e destruir toda vida. Porém, Deus encontrou um bom homem, Noé, "um virtuoso homem, inocente entre o povo de seu tempo", e decidiu que este iria preceder uma nova linhagem do homem. Deus disse a Noé para fazer uma arca e levar com ele a esposa e seus filhos ShemHam e Japheth, e suas esposas. E, de todas as espécies de seres vivos existentes então, levar para a arca dois exemplares, macho e fêmea. A fim de fornecer seu sustento, disse para trazer e armazenar alimentos.

Eventualmente, a arca veio a descansar sobre o
 Monte Ararate. As águas começaram a diminuir e os topos das montanhas emergiram. Noé enviou um corvo, que "voou de um lado a outro até que as águas recuaram a partir da terra". Em seguida, Noé enviou uma pomba, mas ela retornou à arca sem ter encontrado nenhum lugar para pousar. Depois de mais sete dias, Noé novamente enviou a pomba e ela voltou com uma folha de oliva no seu bico e então ele soube que as águas tinham abrandado.Noé, sua família e os animais entraram na arca e "passados 7 dias foram quebrados todos os fundamentos da grande profundidade e as janelas do céu foram abertas, e a chuva caiu sobre a terra por quarenta dias e quarenta noites". A inundação cobriu mesmo as mais altas montanhas por mais de seis metros (20 pés), e todas as criaturas morreram; apenas Noé e aqueles que com ele estavam sobre a arca ficaram vivos. A história do Dilúvio é considerada por vários estudiosos modernos como um sistema de dois contos ligeiramente diferentes, entrelaçados, daí a pois aparente incerteza quanto à duração da inundação (quarenta ou cento e cinquenta dias) e o número de animais colocados a bordo da arca (dois de cada espécie, ou sete pares de alguns tipos) . Em relação a inundação a Bíblia narra que choveu durante 40 dias e 40 noites, e que após isso parou de chover. Mas as águas permaneceram sobre a terra durante 150 dias. E depois disso Deus se lembrou de Noé e dos que estavam com ele na arca e fez passar um vento sobre a terra para baixar as águas. E em relação aos animais a Bíblia narra que foram 2 de cada espécie dos animais impuros, e 7 pares das espécies dos animais puros.


Noé esperou mais sete dias e enviou a pomba mais uma vez, e desta vez ela não retornou. Em seguida, ele e sua família e todos os animais saíram da arca e Noé fez um sacrifício a Deus, e Deus resolveu que nunca mais lançaria maldição à terra por causa do homem, nem iria destruí-la novamente dessa maneira.

A fim de se lembrar dessa promessa, Deus colocou o Arco da Aliança nas nuvens, dizendo: "Sempre que houver nuvens sobre a terra e o arco aparecer nas nuvens, eu me lembrarei da eterna aliança entre Deus e todos os seres vivos de todas as espécies sobre a terra".
................................................
LEIA MUITA MAIS
em

http://pt.wikipedia.org/wiki/Arca_de_No%C3%A9#mediaviewer/File:Kohrvirab.jpg
Mosteiro de Khor VirapArmênia, à sombra do Monte Ararate, onde a Arca de Noé supostamente encalhou após o Dilúvio.